O futebol em paralaxe

Autores

Diogo Corrêa Meyer

Subtítulo

a invenção de representações nas narrativas dos meios de comunicação

Orientador

Renzo Romano Taddei

Banca

José Paulo Florenzano, Luiz Henrique de Toledo

Faculdade / Instituição

Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Ciências Sociais

Ano

2016

Páginas

205

Cidade

Guarulhos

Resumo (pt)

O fito desta pesquisa é a compreensão da criação e recriação das identidades nacionais e regionais a partir da problematização dos estilos de jogo no futebol através da perspectiva da antropologia relacional. Para tal, observamos a trajetória de dois treinadores de equipes do Rio Grande do Sul e São Paulo, regiões que consideramos dotadas de significações acerca do impasse sobre o que é o “futebol brasileiro”. A representatividade do esporte e a sua relação com o local e o nacional é um tema de ambiguidades, visto que ora determinado clube pode aparentar propriedades de uma região (o “futebol-arte” “tipicamente” brasileiro, o “jogo bonito”; ou o “futebol-força” “tipicamente” gaúcho) e, em outro momento, se distanciar para linhas divergentes da primeira. A partir de depoimentos (entrevistas e análise do discurso jornalístico) de viventes desta malha futebolística, notamos o efeito destas falas na invenção improvisada da (s) cultura (s) e a consequente ascensão de estilos de jogo e performances corporais híbridas, que não correspondam mais ao domínio de uma dicotomia-síntese, como futebol-arte x futebol-força, Natureza x Cultura, Civilização x Barbárie, Centro x Periferia, Parte x Todo, Brasil x Rio Grande do Sul, entre outros; mas sim a um fenômeno relacional entre actantes humanos e não humanos no interior de uma malha dinâmica de sentidos e saberes, como os números estatísticos, crônicas, charges, reportagens, estádios, sons, condições geoclimáticas, entre outros elementos que constituem e sustentam os argumentos de agentes que se encontram em constante re-criação.

Palavras-chave: Futebol; Identidade; Paralaxe; Rio Grande do Sul; São Paulo.

Abstract

This research’s goal is the comprehension of creation and recreation of national and regional identities by the problematization of the football games’ styles through the perspective of relational anthropology. For this purpose, we observed the career of two coaches that work in Rio Grande do Sul and São Paulo teams, regions that we consider endowed with meanings about the impasse over what is the “Brazilian football”. The sports’ representability and the relation between the local and the national environment is a subject full of ambiguity, because, in a moment, a specific soccer club seems to have only regional influences (the “football-art” “typically” Brazilian, the “jogo bonito”; or the “football-strength” “typically” gaucho) and, in another moment, it takes a distance from the same. Using interviews and analyzing the journalistic speech from people who lives football, we noticed the effects of this discourses in improvised inventions of the culture (or cultures) and, consequently, the rise of the games’ styles and hybrid body performances, not satisfying anymore to the domain of a dichotomy-synthesis, such as football-art x football-strength, Nature x Culture, Civilization x Barbarism, Downtown x Outskirts, Half x Full, Brazil x Rio Grande do Sul, so on and so forth; but a related phenomenon among actant humans and not humans within a dynamic meshwork of knowledge and feelings, like statistical data, columns, cartoons, news, stadiums, sounds, geo-climatic conditions, and other things that constitute and maintain the arguments of elements that are constantly in re-creation.

Keywords: Soccer; Identity; Parallax; Rio Grande do Sul; São Paulo.

Sumário

1 APRESENTAÇÃO, 13

2 A PESQUISA, 15
2.1 Coordenadas metodológicas, 15
2.2 “Bola na malha pra fazer o gol”: por uma análise relacional do futebol, 23

3 INTRODUÇÃO , 33

4 HISTÓRIA (S) DO (S) FUTEBOL (ÓIS) NO (S) BRASIL (IS), 41

5 “SIRVAM NOSSAS FAÇANHAS DE MODELO A TODA TERRA” : UM ESTUDO DE CASO DO FUTEBOL NO RIO GRANDE DO SUL, 47
5.1 Re-constituições do gaúcho e a escolha pelo futebol, 47
5.2 “Vibra o Brasil inteiro, com o clube do povo do Rio Grande do Sul”: a invenção do “Inter de Falcão” e a realocação do gaúcho no futebol brasileiro, 60
5.2.1 1974: Minelli chega ao Inter, 62
5.2.2 “A Máquina Vermelha”: 1975 e o “gol iluminado”, 68
5.2.3 A apoteose do “estilo holandiano” e o treinador como inventor, 76
5.3 “Se somos assim, não é por acaso”: as Copas dos Brasis entre Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e Sport Club Corinthians Paulista em 1995 e 2001, 83
5.3.1 1995: O ano “gremicista”, 86
5.3.2 2001: Tite x Corinthians, 96

6 “ÉS DO BRASIL O CLUBE MAIS BRASILEIRO”? ESTUDO DE CASO DA PASSAGEM DO TÉCNICO TITE NO SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA (2012- 2015), 102
6.1 “O Corinthians é uma torcida que tem um time”: a Invasão Corintiana como elemento caracterizador da ontologia alvinegra, 105
6.2 Um gaúcho em São Paulo: Tite a primeira passagem em 2004, 112
6.3 Entre Ibagué e Yokohama: os anos internacionais de Tite e o Corinthians, 117
6.4 A re-volta do “titês”: a terceira passagem de Tite pelo Corinthians, 136

7 EPÍLOGO: “Escrevam: acabará treinando a seleção brasileira”: Tite na Confederação Brasileira de Futebol e a consolidação de um Gaúcho, 148

O FUTEBOL E A MALHAÇÃO – CONSIDERAÇÕES FINAIS, 155

BIBLIOGRAFIA, 162

REFERÊNCIAS AUDIOVISUAIS, 170

ENTREVISTAS, 171

ANEXOS, 197

TABELAS, 205
Tabela I – Retrospecto das melhores campanhas do Sport Club Corinthians Paulista na Copa Libertadores da América (2000 e 2012), 205

Referência

MEYER, Diogo Corrêa. O futebol em paralaxe: a invenção de representações nas narrativas dos meios de comunicação. 2016. 205 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo, Guarulhos, 2016.