Cenários e Possibilidades do Esporte e das Práticas Corporais na História

Inscrições até: 21/05/2018

01ago

anpuh-mg

ST 10. Cenários e Possibilidades do Esporte e das Práticas Corporais na História

Coordenadores: Ester Liberato Pereira (Doutora – Unimontes) e Leonardo Turchi Pacheco (Doutor – Unifal)

Apresentação

O escopo deste Simpósio Temático é instigar o intercâmbio de reflexões, bem como de experimentações, saberes, conhecimentos e práticas de estudos de cunho historiográfico que apresentam o esporte e as práticas corporais como elemento-chave de pesquisa e suas possíveis análises como meio de apreciação narrativa. Trata-se, assim, de um espaço para discussão de temas distintos da História do Esporte e das Práticas Corporais, tais como perspectivas epistemológicas, teóricas e metodológicas. Ao buscar contemplar os diferentes aspectos dos esportes no tempo e no espaço, objetivamos, portanto, expandir as apreciações atinentes à perspectiva histórica do fenômeno esportivo e agregar as discussões de pesquisadoras(es) que se dedicam a essa temática.

Justificativa

A cada dia, ao esporte e às práticas corporais, é conferida mais evidência dentre pesquisadoras(es) brasileiras(os) enquanto objetos de pesquisa, a partir de distintas perspectivas. Contudo, tais fenômenos não se limitam às discussões acadêmicas, já que os esportes tornaram-se oficialmente política de Estado no país na década passada. Assim, nas mais diferentes sociedades contemporâneas, identifica-se que a(o)s profissionais das denominadas ciências humanas e sociais empreendem esforços de análise que reconhecemo valor dos esportes enquanto fenômenos e práticas com densos significados sociais, culturais, políticos e econômicos desde, pelo menos, os últimos 30 anos. O desenvolvimento dessa área de pesquisas ocorreu de forma paralela à ação de intermediação financeira e divulgação midiática dessas práticas, que gerou uma guinada histórica no aparelhamento dos esportes ao nível internacional, intensificando a sua massificação e colocando-o, em fins do século XX, no cerne de uma indústria do entretenimento de propensão multinacional. É imperativo, contudo, que um Simpósio Temático destinado à História do Esporte e das Práticas Corporais, a ocorrer após o perturbado ano de 2016, justifique sua ocorrência com a verificação de que, diferentemente do que se concebia, apesar da concretização da Copa do Mundo de Futebol (2014) e dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão (2016) no país, o esporte e seus megaeventos não obtiveram a projeção esperada no Brasil. É possível que o esclarecimento para tal desapontamento esportivo não deva ser procurado em uma conjeturada desvalorização da prática esportiva ou no desencantamento popular com os megaeventos, mas sim em uma densa combinação de colapso político e econômico, a qual propicia o quadro de um Brasil distante daquele arquitetado há uma década. Concentra-se, de tal modo, na concepção de utilizaçãodo esporte e das práticas corporais como um alicerce para apresentar, decifrar e/ou aclarar panoramas culturais, políticos, econômicos e sociais, especialmente dos séculos XIX e XX.

Bibliografia

BOURDIEU, Pierre, “Como é possível ser esportivo” In: ______. Questões de Sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983. pp. 136-153.

BURKE, Peter. O que é história cultural? Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.

CHARTIER, R. A história hoje: dúvidas, desafios, propostas”. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 7, n. 13, 1994, p. 97-113.

ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. A Busca da Excitação. Lisboa: Difel, 1992.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. IN: GINZBURG, C. Mitos, emblemas e sinais. São Paulo: Editora Schwarcz, 1989.

VAMPLEW, W. A história do esporte no cenário internacional: visão geral. Revista Tempo, vol. 17, n. 34, p. 5-17, jan./jun. 2013.

Data e horário

Início: 1 de agosto de 2018

Encerramento: 3 de agosto de 2018

Localização

Unimontes

Montes Claros / MG