142.17

10 de abril de 1910: a partida que River Montevidéu inspirou o Uruguai com Celeste

Gabriel de Oliveira Costa

River Plate Montevidéu e Alumni, duas equipes alvirrubras de Uruguai e Argentina, respectivamente, são as reais inspirações para as vestimentas de times e seleções históricas. Esse fato se remete ao ano de 1910, no dia 10 de abril. Na época, o Alumni era o multicampeão argentino e principal time do país e para esta partida, vestiria seu uniforme 1, ou seja, a camisa branca com listas verticais vermelhas. Já o River/URU que tinha as mesmas cores em alusão ao xará de Buenos Aires, incluindo calções e meias pretas, teve de improvisar com a vestimenta azul celeste para o amistoso, pois foi este o acordo para o duelo que ocorreria no Parque Central.

Apesar de o Uruguai futuramente vir a ser a seleção medalhista de ouro nas Olimpíadas de 1924 e 1928, além do título Mundial da Copa de 1930, a Argentina era a  favorita em 1910, pois ostentava de uma larga invencibilidade diante dos vizinhos. Uma das primeiras grandes superstições no futebol nascia neste confronto, pois quando o River/URU vence o Alumni por 2 a 1 (Pablo Dacal e D´Agostini), a festa é tamanha que as cores utilizadas no icônico uniforme dos uruguaios é adotado pela seleção nacional, em um gesto patriota – visto que o azul celeste quanto preto não estão presentes na bandeira uruguaia. O novo modelo de cores substituiria as camisas brancas e listas verticais similares à Argentina. A popularidade cresceu tanto que o padrão estendeu-se para outras modalidades esportivas de qualquer seleção que representasse o país desde então.

Uruguai

Foto: Divulgação/redes sociais

Adoção uruguaia

Felizes com o triunfo diante do Alumni, que tinha 8 jogadores da seleção Argentina no time titular, a maré de sorte foi testada em junho, quando reeditaram o amistoso pela Copa Centenário, ocorrida em Buenos Aires. A seleção uruguaia que ainda não tinha se padronizado de celeste e jogou a competição com ao menos 3 combinações diferentes – Azul escuro, branco e Celeste. Apesar das expectativas, os argentinos venceram por 4 a 1, mas a revanche viria em agosto, na Copa Lipton, em Montevidéu. Para homenagear o time do River Plate/URU, a seleção decide jogar em 15 de agosto com a camisa celeste, usada pelo River há poucos meses. Ao vencerem os argentinos (3-1) diante do seu grande público, nascia ali a futura Celeste Olímpica bicampeã mundial.

Naquela icônica partida de River e Alumni, o time responsável por dar identidade à seleção uruguaia foi: Cavallotti; José e Miguel Benincasa; Lourtet, Sainz e García; Módena, Dacal, D´Agostini, Raymonda e Seoane.

Ainda que a seleção argentina de fato já usasse a cor celeste antes do Uruguai, um rumor curioso cerca esse amistoso até os dias atuais. Desde 1901, quando os argentinos vestiam branco e preto, intercalavam com azul celeste, porém era a cor exclusiva da camisa. Desde 1910, os “hermanos” adotaram as listas verticais similares ao Alumni, mas com a cor celeste, como uma tentativa de “não desafiar” mais a sorte. 

Uruguai

Foto: Divulgação/redes sociais

Inspiração do Alumni

Derrotado no confronto, o Alumni também tem seu legado forte após aquele período. Decacampeão argentino durante 1900 até 1911, os alvirrubros inspiraram as vestimentas do Estudiantes De La Plata (1906), Union Santa Fé e o antigo Boca Alumni (ambas em 1907). Base da seleção nacional durante esse período, foi o primeiro time (ou primeira seleção Argentina) a vencer os Britânicos, quando jogaram contra a África do Sul (1906) na época, colônia do Reino Unido.

Uruguai

Foto: Divulgação/redes sociais

Ostracismo 

Apesar de River Plate Montevidéu e Alumni serem pilares na identidade de tantas equipes, ambos sofreram com ostracismo no decorrer dos tempos. O time argentino que levava como essência, a formação de alunos da English High School, apesar de atual campeão nacional (1911), decretou falência no ano seguinte por não garantir o cumprimento de todas despesas para o novo torneio argentino que nascia na época. Sem nunca ter jogado contra o Boca Juniors, Independiente ou San Lorenzo, o Alumni dissolveu-se em 1912 e boa parte da sua equipe foi para o Quilmes, o campeão daquela temporada.

Já o River/URU ainda está de pé e na elite uruguaia, porém desde 1914 não vence um torneio nacional. Ainda assim, é até os dias atuais um dos três maiores campeões uruguaios – atrás de Peñarol e  Nacional, mas igualado com Danubio, Montevidéu Wanderers e Defensor, todos com 4. Ainda nos anos 40, o River Plate/ARG superou sua inspiração, quando foi pentacampeão (1941) e ainda que o clube de Montevidéu tenha amargado algumas quedas no passado, atualmente é um time mediano e estável em seu país.

Como citar

COSTA, Gabriel de Oliveira. 10 de abril de 1910: a partida que River Montevidéu inspirou o Uruguai com Celeste. Ludopédio, São Paulo, v. 142, n. 17, 2021.