122.33

A excelência encontra-se nos detalhes

Victor Vicente Barreto

No último domingo, dia 11 de agosto, o torcedor pôde vibrar com o emocionante confronto entre as equipes de Palmeiras e São Paulo, embate válido pela etapa semifinal do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino A2. Como havia sido derrotada pelo placar mínimo no jogo de ida, realizado no Pacaembu, a equipe palestrina se lançou ao ataque desde o início. Com transmissão em rede aberta realizada pela Rede Bandeirantes, o clássico paulista contou com boa técnica, disputas fortes, bola na trave, expulsão e gols: um para cada lado, placar que, somado ao do jogo de ida, classificou a equipe do Morumbi para a grande final. 

Para além de uma boa partida de futebol, o confronto também pode ser visto como mais um entre os vários acontecimentos que colocam o ano de 2019 como um dos mais notáveis anos no que diz respeito à consolidação da modalidade feminina no país. Palmeiras e São Paulo somam-se a diversos outros clubes brasileiros tradicionais que, a partir do começo deste ano, criaram — ou expandiram — suas equipes femininas profissionais e suas respectivas categorias de base. Entretanto, apesar dos claros avanços observados, alguns problemas históricos da modalidade ainda vigoram firmes no país do futebol.

Sport Recife dispensa a jogadora Sofia Sena que desabafou sobre a falta de estrutura do clube. Foto: Reprodução/Instagram.

Apesar do sucesso da última Copa do Mundo de Futebol Feminino apontar para um maior interesse do público, como nos mostram os altos números de audiência na televisão brasileira, o torcedor é constantemente desestimulado a acompanhar suas equipes de coração. Em alguns casos, a ausência de organização compromete a consolidação da modalidade ao não possibilitar o estabelecimento das bases para que as atletas possam trabalhar de forma digna. Como relatou publicamente a atleta Sofia Sena, muitas vezes o que falta aos clubes, para além de uma infraestrutura adequada, é uma maior consideração para com suas atletas — tais denúncias contribuíram diretamente para o seu desligamento da equipe feminina do Sport Club do Recife. Em alguns casos, como é o da equipe pernambucana, a falta de consideração pode ser percebida claramente quando a equipe feminina não dispunha sequer de um preparador físico. Em outros, a falta de consideração é muito mais sutil.

Em fevereiro, ao apresentar o projeto de uma nova equipe palmeirense para o futebol feminino, o diretor de futebol alviverde Alexandre Mattos frisou que o clube buscaria por excelência na modalidade, tal qual era o objetivo traçado para o time masculino. Em uma parceria com a prefeitura de Vinhedo, cidade do interior paulista, o novo time teria todo o suporte infraestrutural necessário para desempenhar uma boa competição, o que se mostrou aparentemente verdadeiro.

Entretanto, o torcedor palmeirense que, empolgado pelo momento atual, busque informações  sobre a equipe feminina no site oficial do clube se depara com a já citada falta de consideração para com as atletas. Como podemos ver nas imagens a seguir, se acessarmos os sites oficiais dos quatro grandes clubes do estado, o alviverde é o único que não dispõe de uma seção dedicada às suas atletas disposta em sua homepage. Ao clicarmos na aba “Futebol”, somos direcionados para uma página que apenas contém registros da modalidade masculina, diferente do que acontece nos demais clubes paulistas. Se quiser saber um pouco mais sobre a modalidade feminina, o torcedor deverá dar alguns cliques a mais e, atento às abas laterais, encontrar a seção desejada dentre as demais modalidades esportivas.

A homepage alviverde não conta com uma seção dedicada ao Futebol Feminino palmeirense. Foto: Reprodução.

A homepage corintiana conta com uma seção dedicada ao Futebol Feminino. Foto: Reprodução.

A situação fica ainda mais incomoda se, por exemplo, o torcedor almejar ter contato com informações mais aprofundadas sobre o elenco feminino. Ao contrário dos rivais, o site oficial do Palmeiras não disponibiliza informações sobre as atletas de forma individualizada, mas sim de uma maneira superficial e pouco informativa. Não é possível encontrar, por exemplo, sequer informações básicas —  como foto individual, data de nascimento e posição — sobre a artilheira e camisa dez Carla Nunes, ao contrário do que acontece com as principais atletas dos outros clubes do estado, como podemos notar nas imagens abaixo. 

Página dedicada à equipe feminina de futebol alviverde conta com poucas informações sobre as atletas. Foto: Reprodução.

A página dedicada à equipe feminina tricolor conta com foto individual, nome completo e data de nascimento das jogadoras. Foto: Reprodução.

O Santos possui até mesmo páginas de informações individualizadas sobre suas atletas, como é o caso da lateral Maurine. Foto: Reprodução.

Como podemos notar, a Sociedade Esportiva Palmeiras caminha um pouco distante de seus principais adversários regionais no que diz respeito à divulgação de suas atletas em sua página oficial, o que acaba por distanciar seu torcedor do novo projeto de Futebol Feminino palestrino. 

Portanto, cabe a todos nós, torcedores, estudiosos do esporte, jornalistas e dirigentes — com um peso maior para estes últimos, evidentemente —  percebermos as minúcias que ainda atrapalham a aproximação do público à uma modalidade que, mais do que nunca, depara-se com um futuro muito promissor à sua frente. Para que isso se torne uma realidade, entretanto, é necessário que o Futebol Feminino brasileiro conquiste plenamente a consideração de que falava Sofia. Para que ele encontre a excelência, é necessário que estejamos sempre atentos aos mais simples dos detalhes.

Fontes

CASTRO, Elton de. Jogadora do Sport faz desabafo sobre falta de estrutura do futebol feminino: “É humilhante”. Globo Esporte, Recife, 16 julho 2019. Disponível em: <https://globoesporte.globo.com/pe/futebol/times/sport/noticia/jogadora-do-sport-faz-desabafo-sobre-falta-de-estrutura-do-futebol-feminino-e-humilhante.ghtml>. Acesso em: 14 ago. 2019.

CASTRO, Elton de. Sport dispensa jogadora que reclamou da estrutura do clube e da CBF. Globo Esporte, Recife, 26 julho 2019. Disponível em: <https://globoesporte.globo.com/pe/futebol/times/sport/noticia/jogadora-que-reclamou-da-estrutura-do-clube-e-da-cbf-e-dispensada-pelo-sport.ghtml>. Acesso em: 14 ago. 2019.

CORINTHIANS [Site]. Site oficial do Sport Club Corinthians Paulista. Disponível em: <https://www.corinthians.com.br/>. Acesso em: 14 ago. 2019.

PALMEIRAS [Site]. Site oficial da Sociedade Esportiva Palmeiras. Disponível em: <http://www.palmeiras.com.br>. Acesso em: 14 ago. 2019.

SANTOS [Site]. Site oficial do Santos Futebol Clube. Disponível em: <https://www.santosfc.com.br>. Acesso em: 14 ago. 2019.

SÃO PAULO [Site]. Site oficial do São Paulo Futebol Clube. Disponível em: <http://www.saopaulofc.net>. Acesso em: 14 ago. 2019.

ZITO, Felipe. Em parceria com Vinhedo, Palmeiras apresenta time feminino; conheça o elenco. Globo Esporte, São Paulo, 13 fevereiro 2019. Disponível em: <https://globoesporte.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/em-parceria-vinhedo-palmeiras-apresenta-time-de-feminino-conheca-todas-as-jogadoras.ghtml>. Acesso em: 14 ago. 2019.

Como citar

BARRETO, Victor Vicente. A excelência encontra-se nos detalhes.