129.28

Brasil e Argentina vencem o mundial do Catar 2022

Luciano Victor Barros Maluly

Doha, 18 de novembro de 2022

Brasil e Argentina empataram, hoje, pelo placar de dois a dois, no Estádio Internacional Khalifa, em Doha, no Catar, pela final da Copa do Mundo.

A Argentina, praticamente, dominou a partida e teve as melhores oportunidades. Logo aos cinco minutos, Lionel Messi marcou um golaço de falta sem chances para Alisson, o melhor jogador brasileiro em campo.

Em falta perigosa para a Argentina, Alisson defende chute de Messi. Foto: Lucas Figueiredo/CBF.

Dois minutos depois, o craque argentino fez o segundo gol de pênalti, após Marquinhos derrubar Sergio Agüero dentro da área.

O segundo tempo começou da mesma forma com o domínio total dos hermanos e as defesas de Alisson.

Tite usou das surpresas que marcaram a sua filosofia de trabalho após a conquista da Copa América, em 2019.

A maior delas ocorreu antes da Copa quando convocou as três jovens estrelas do Real Madrid (Vinicius Júnior, Reinier e Rodrygo) e também o grupo de jogadores que formam a base do supercampeão, Flamengo, para disputarem o torneio.

A partida começou a mudar quando o treinador substituiu Philippe Coutinho pelo veterano Diego, de 37 anos, uma das surpresas na lista dos convocados e esquecido por Tite em 2018. “Ele terá a mesma importância de Roger Milla à República dos Camarões; de Dino Zoff à Itália e, especialmente, de Nilton Santos ao Brasil”, justificou o técnico no dia da convocação, referindo-se aos veteranos craques do passado que disputaram Copas do Mundo.

Diego entrou e mudou a história da Copa do Catar. Já no primeiro lance, encontrou Neymar livre, que cruzou para o toque sutil de Gabigol.

 

Diego Ribas, com a camisa da seleção brasileira. Foto: Pedro Martins/Mowa Press.

O empate era pouco para o veterano que, já nos acréscimos, fez um lançamento perfeito para Gabigol, que ganhou – na raça – a disputa com nos zagueiros argentino, e marcou um golaço de fora da área.

O jogo ainda não tinha acabado e o mais sensacional estava guardado para o último minuto, quando Messi foi derrubado na área por Daniel Alves, que também estava disputando a sua última copa. Após muitas reclamações dos brasileiros, o VAR confirmou o segundo pênalti marcado a favor dos argentinos.

Antes da cobrança, Messi é ovacionado pela torcida presente. Brasileiros e argentinos se reuniram para uma salva de palmas, pois aquele poderia ser o último lance do craque argentino em Copas do Mundo.

Messi chorou e todos os atletas em campo o abraçaram. A emoção tomou conta do estádio e, para surpresa, o Camisa 10 desistiu da cobrança.

Neymar e Messi durante o jogo do Brasil contra Argentina. Foto: Mowa Press.

Os jogadores se abraçaram e caminharam juntos aos vestiários. Não retornaram para a prorrogação e nem para as cobranças de pênaltis.

Sem saber o que fazer, o árbitro italiano encerrou a partida e declarou, após muita conversa com os dirigentes, as duas equipes campeãs.

Ao levantarem juntos o Troféu da FIFA, os jogadores de ambas as equipes, especialmente Lionel Messi, construíram uma nova história do esporte e da humanidade. Afinal, os jogadores saíram aplaudidos como se houvesse uma única nação do futebol.