106.8

Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino: Que comecem os jogos!

Suellen dos Santos Ramos

No dia 4 de dezembro de 2017 a Diretoria de Competições da Confederação Brasileira de Futebol divulgou o calendário para o futebol feminino em 2018. O Campeonato Brasileiro será o primeiro desafio das futebolistas, que assim como no ano anterior, será disputado em duas divisões, série A1 e série A2. Com início previsto para o dia 25 de abril, para ambas as divisões, as equipes da série A1 já estão definidas. Já na série A2, as competidoras passaram por uma fase preliminar. O ano já iniciou para vinte e seis equipes que almejaram ingressar no Campeonato Brasileiro da série A2. Entre os dias 24 e 26 de março os clubes lutaram pelas treze vagas que ainda estavam em aberto para completar a competição da categoria, os representantes de diversos estados brasileiros se enfrentaram em embate único para definir os classificados.

No ano de 2017 ascenderam à elite do futebol de mulheres às equipes da Portuguesa (SP) e Pinheirense (PA), após classificação para a final do Campeonato Brasileiro A2, em que a equipe paraense sagrou-se campeã. As duas equipes juntam-se a: São José (SP), São Francisco (BA), Ferroviária (SP), Iranduba (AM), Kindermann (SC), Corinthians (SP), Sport (PE), Foz Cataratas (PR), Rio Preto (SP), Flamengo (RJ), Santos (SP), Vitória (PE), Audax (SP) e Ponte Preta (SP). Os dezesseis times foram divididos em dois grupos de oito competidores, que na primeira fase se enfrentam em jogos de turno e returno. Classificam-se quatro equipes de cada grupo para fase eliminatória, que duelam em jogos de ida e volta até a grande final.

Barueri – SP – 20/07/2017 – BRASILEIRÃO CAIXA 2017 – ESPORTES – Jogo 126, Grupo 09 da Série A1 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino “Brasileirão Caixa 2017”, partida da final entre, S.C. Corinthians Paulista/Audax X Santos F.C., realizado na Arena Barueri em Barueri, SP; válido pelo grupo 09 do Brasileirão Feminino 2017 A1. Foto: MARCELO PEREIRA/ALLSPORTS

Jogadoras do Santos comemoram o título do Brasileirão Feminino 2017 A1. Foto: Marcelo Pereira/ALLSPORTS.

Assim como dois clubes subiram para disputa da primeira divisão, outros dois que ficaram nas últimas posições da série A1 em 2017, irão disputar a série A2 em 2018, são eles: Grêmio (RS) e Vitória (BA). Além dessas duas equipes, outro confirmado é o Embu das Artes, representante do Estado com melhor colocação no ranking da CBF, São Paulo. Foram definidos os demais participantes e após a fase preliminar, juntam-se a Grêmio, Vitória e Embu das Artes, as equipes: Duque de Caxias (RJ), Sampaio Correa (MA), Tiradentes (PI), América (MG), Minas Icesp (DF), Napoli (SC), Botafogo (PB), Esmac (PA), São Gonçalo (CE), S.C. Internacional (RS), Lusaca (BA), Vila Nova (ES) e 3B Sport (AM).

Um dos aspectos a serem destacados nesta edição do Campeonato Brasileiro é o número de equipes envolvidas. Se retrocedermos dois anos, em 2016, apenas 20 equipes participavam do campeonato nacional. No ano de 2018, somando a fase preliminar, 45 clubes foram incluídos na competição, um aumento superior à 50%. Pela segunda vez consecutiva a disputa acontece em duas divisões, aumentando também o número de equipes em atividade no Brasileirão Feminino, que de 20 pula para 32. Essa crescente pode ser associada à obrigatoriedade imposta pela CONMEBOL no final de 2016. Para quem desconhece tal ação, os times de homens que almejassem disputar a Copa Libertadora da América a partir de 2019, deveriam se adequar às regras do licenciamento proposto pela entidade, dentre elas a obrigatoriedade em ter uma equipe de futebol feminino. As regras valem também para competições organizadas pela FIFA, órgão máximo do futebol. Estas imposições fizeram com que, enfim, a Confederação Brasileira de Futebol, abrisse os braços para o futebol de mulheres. A demonstração disto é o alto investimento que se tem feito em competições tanto na categoria adulta quanto de base.

As ações de FIFA e CONMEBOL já estão surtindo efeitos no Brasil. Dentre as 20 equipes que disputarão a Série A do Campeonato Brasileiro (dos homens) no ano de 2018, oito contam com o plantel de mulheres. Estes, para o futebol feminino são os ditos “times de camisa”. Especificamente para as equipes são paulinas, Santos e Corinthians o investimento em seus departamentos de futebol feminino já trouxe resultados expressivos. As Santistas são as atuais campeãs do Brasileirão Feminino da Séria A1 e as corinthianas atuais campeãs da Copa Libertadores da América. Os dois times deram exemplo não só de investimento, mas também de planejamento.

Barueri – SP – 20/07/2017 – BRASILEIRÃO CAIXA 2017 – ESPORTES – Jogo 126, Grupo 09 da Série A1 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino “Brasileirão Caixa 2017”, partida da final entre, S.C. Corinthians Paulista/Audax X Santos F.C., realizado na Arena Barueri em Barueri, SP; válido pelo grupo 09 do Brasileirão Feminino 2017 A1. Foto: MARCELO PEREIRA/ALLSPORTS

O troféu do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino da Série A1. Foto: Marcelo Pereira/ALLSPORTS.

Junto a isto, outro ponto de destaque é a emergência das Regiões Norte e Nordeste. As equipes dessas regiões basicamente triplicaram o número de participantes na competição nacional nos últimos três anos. Inclusive “times de camisa” como Sport (PE), Náutico (PE) e Vitória (BA), abriram espaço para o futebol feminino dentro do clube.

De um modo geral, esse novo formato de disputa do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino, em que os clubes estão divididos em duas séries, resultou no aumento de equipes participantes assim como na abertura dos clubes de camisa para o futebol feminino, o que conseqüentemente gera maior visibilidade para a modalidade. Essa visibilidade carrega consigo o interesse de apoiadores, investidores, patrocinadores e torcedores. Fica o desejo de que esses investimentos da Diretoria de Competições da CBF permaneçam.