40.5

Cartola FC e o futebol-espetáculo

Cláudia Samuel Kessler

Torcidas, profissionais (jogadores, comissão técnica e juízes), dirigentes e especialistas da mídia. Muitas das diferentes agências e agentes do futebol têm sido analisados pelas pesquisas realizadas no campo acadêmico. Recentemente, pode-se perceber a amplitude de outros ramos futebolísticos que parecem merecer maior atenção acadêmica, como os fantasy games de futebol.

Criado em 2005, o Cartola FC é um fantasy game de futebol em que os gamers escalam atletas que participam das equipes da série A do Campeonato Brasileiro, organizado pela CBF (competição realizada anualmente, com duração de 7 meses – de maio a dezembro). Neste game, o usuário tem os poderes de um manager/dirigente de futebol, ou também conhecido popularmente como “cartola”. O game foi criado pelo programa Globo Esporte, em parceria com o canal Sportv (canal esportivo por assinatura, integrante da rede Globosat). Conforme informações não-oficiais, estima-se que haja cerca de 1 milhão e meio de usuários cadastrados (BARBONI, 2011).

Nesse sentido, se faz necessário realizar uma breve distinção entre gamers e jogadores, com o intuito de diferenciar o real e o virtual. Os jogadores são os profissionais que atuam no Campeonato Brasileiro e são escalados pelos gamers/managers/cartolas. Os gamers são os usuários de PC que participam dos fantasy games, os quais não tem custos financeiros para essa prática, mas investem tempo para se posicionarem nas melhores colocações das Ligas de que fazem parte.

1348860165

Cartaz do Cartola FC (reprodução).

As Ligas do Cartola FC são compostas por outros managers que competem entre si. A facilidade de adesão proporciona o rápido ingresso de pessoas que até mesmo não gostam de futebol ou não se consideram “torcedoras fanáticas”, mas que são convidadas por amigos, parentes ou colegas de trabalho a sociabilizar por meio de uma competição virtual. Geralmente, os vínculos estabelecidos fora do jogo servem como base para o ingresso no fantasy game e o interesse em continuar realizando as escalações. Da mesma forma em que os vínculos de sociabilidade influenciam no ingresso, os resultados exitosos obtidos nas rodadas do game servem como reforço à socialidade entre os managers e revigoram a competição.

O Cartola FC fornece aos torcedores e torcedoras um poder a que dificilmente teriam acesso nas suas rotinas diárias: o de gerenciar uma equipe de futebol profissional. Ainda mais, esta experiência possibilita uma gerência sem diversos fatores que a tornariam mais complicada ou até mesmo impossível: no fantasy game não há vínculos trabalhistas ou a obrigatoriedade de pagamento de salários, não há a necessidade de manutenção de estruturas físicas e sequer as pressões da torcida em relação a resultados.

Incentivar os torcedores a participarem de fantasy games parece ser uma boa tática para aumentar o interesse em competições esportivas de longa duração. Os gamers mais bem sucedidos geralmente são os que possuem as melhores estratégias (o que não está ligado apenas a uma boa percepção sobre os jogos, mas também envolve outras questões, tais como sorte e personalidade pessoal na escalação dos jogadores).

Na busca pelo melhor desempenho, os managers são instigados por blogs e por amigos a acompanharem os jogos, estudarem os jogadores e fazerem as melhores escolhas a cada rodada (considerando fatores que indiquem a boa atuação de um jogador ou que evitem aqueles impedidos de atuar e pontuar nas rodadas). Esse acompanhamento estimula o torcedor a assistir aos jogos, tanto no estádio (in loco) como pela televisão e/ou até mesmo a acompanhar os demais resultados pela internet e outros veículos de comunicação. Saber quem são os melhores jogadores do Campeonato Brasileiro é um esforço recompensado pelo êxito no meio virtual, melhorando a colocação nas Ligas de que se participa.

Dentre os fatores que podem dificultar a boa atuação de um atleta escalado, estão: jogos contra equipes adversárias mais fortes; e/ou lesões e cartões recebidos. Tais fatores não podem ser regulados pelos managers, mas as suas escalações em grande parte são apostas relacionadas ao histórico de ações, ou também conhecido como “fama”/reputação de cada jogador dentro de suas equipes. Empreender em melhores escolhas pode resultar maior sucesso dos managers nas rodadas.

O fantasy game Cartola FC é como um mercado de ações em que os jogadores possuem preços e o manager é classificado em uma tabela de vencedores. Para não ficar sem patrimônio (dinheiro nos cofres) e nem com equipe desfalcada (com jogadores que não pontuem), os managers precisam fazer escolhas que poderão conferir maior prestígio dentro do seu grupo, de suas Ligas.

Neste mercado de jogadores há o envolvimento não apenas de questões analíticas ou racionais, mas também a interferência de variáveis externas e sentimentais, como no mercado financeiro (MÜLLER, 1997). Dentre as questões sentimentais, poder-se-ia também refletir sobre um possível reforço ao pertencimento clubístico (DAMO, 2007) ou em relação à preferência do futebol como entretenimento. O Cartola FC, além de ser um game adaptado à realidade brasileira, é uma ferramenta interativa que auxilia a manter a audiência focada nos jogos, movimentando esta rentável “máquina de fazer dinheiro” que se tornou o futebol-espetáculo da atualidade.

Referências bibliográficas:
BARBONI, Flavio. Conheça o mundo dos managers de futebol. Techtudo. Disponível em:
<http://www.techtudo.com.br/jogos/noticia/2011/07/conheca-o-mundo-dos-managers-de-futebol.html>. Acesso: 3 ago 2011.

DAMO, Arlei Sander. Do dom à profissão: a formação de futebolistas no Brasil e na França. São Paulo: Hucitec: Anpocs, 2007.

MÜLLER. Lúcia Helena Alves. Mercado exemplar: um estudo antropológico sobre a Bolsa de Valores. Tese (Doutorado em Antropologia) – Departamento de Antropologia – Universidade de Brasília, 1997.

Como citar

KESSLER, Cláudia Samuel. Cartola FC e o futebol-espetáculo. Ludopédio, São Paulo, v. 40, n. 5, 2012.