107.14

Copa do Mundo: evento igual não há, por isso é preciso palpitar

Marco Antunes de Lima

O evento mais esperado dos últimos quatro anos está chegando. Tenho certeza que o caro leitor, assim como este que vos escreve não vê a hora de acompanhar a Copa do Mundo de futebol que se inicia no próximo dia 14 de junho. Uma partida entre Rússia e Arábia Saudita nunca foi tão esperada. Copa do Mundo é algo diferente para os adoradores do velho jogo de bola inglês. Não sei você leitor, mas eu sou daqueles que não assiste a Copa do Mundo para torcer ou acompanhar o desempenho da seleção brasileira, sou daqueles que torce para a Copa do Mundo, torço pelo campeonato, tento assistir todas as partidas; nunca consigo em razão dos compromissos da vida adulta – isso é muito ruim. Não sou daqueles que coleciona todo tipo de coisa ou sabe todos os detalhes sobre o evento, mas venero e respeito aqueles que assim fazem.

Não sou nacionalista, não acredito que as seleções ali representadas estão lá para defender o nome e honra de seus países – tem gente que acredita – mas acredito que não há coisa mais interessante do que a Copa do Mundo de futebol. Não sou daqueles que acha que a Copa do Mundo seja algo imaculado; acredito que a Copa é um fato social de alto relevância e que está integrado com as coisas que acontecem no mundo. Sou a favor sim, ao contrário do pensamento da FIFA e dos comitês organizadores, de que haja manifestações de cunho social e político na Copa do Mundo. Sou contra manifestações violentas com cunho político na Copa, como, por exemplo, ameaça de atos ou atos terroristas, mas isso não acredito que seja nem passível de discussão.

Usarei a oportunidade que o Ludopédio me dá em escrever para fazer, nesse texto, uma brincadeira de adivinhação para a próxima Copa do Mundo. Os parágrafos a seguir têm a intenção de analisar, realmente bem superficialmente, o que penso das chances de cada seleção participante da próxima Copa do Mundo. Não sou jornalista esportivo especialista, não sou técnico de futebol, nem ex-jogador que vivenciou a experiência em campo para poder fazer uma análise aprofundada sobre as chances, qualidades e defeitos de cada seleção participante. Mas, sejamos sinceros, mesmo com todas essas especialidades para se fazer uma boa análise, que consegue realmente prever exatamente o que vai acontecer em uma Copa do Mundo? Talvez seja esse o grande barato da Copa: ninguém tem a mínima ideia do que pode acontecer. Há seleções favoritas? Sim, 5 ou 6 de sempre, mas sempre 2 ou três delas decepcionam e nunca sabemos quais. Há surpresas? Sim, mas nunca dizemos ou acertamos quem serão as surpresas. Quem ia prever uma goleada de proporções épicas da Alemanha sobre o Brasil na última Copa? Quem ia prever a Itália campeã mundial em 1982 ou 2006? Só os torcedores mais fanáticos que acertam quando as suas seleções são campeãs. O problema é que em toda Copa apostam nela.

Antes de começar a análise das possibilidades de cada seleção gostaria de pedir ao leitor que me cobre sobre os resultados. Cobre mesmo, pois provavelmente eu não acertarei nada. As chances são pequenas. Não por não saber nada sobre futebol, mas sim pois acho impossível prever corretamente o que pode acontecer em uma Copa do Mundo. E isso é uma das coisas que transformam esse evento na coisa mais sensacional que existe.

A divisão que farei será a mais óbvia possível: por grupos. Que as adivinhações comecem!

272168-P6096N-886

Grupo A

Rússia:

A Rússia é o país anfitrião dessa Copa, classificou-se por esta vaga especial. Não possui um time tão consistente e não me parece ter feito um trabalho a longo prazo para montar um time competitivo. O seu grupo não é tão forte, por isso pode ser que passe para as oitavas de final do torneio, graças ao apoio de sua torcida. Mas não seria uma surpresa se ficasse de fora na primeira fase ainda. Por sinal, desde quando herdou a história da União Soviética, os russos já estiveram em três Copas do Mundo. Nas três caíram ainda na primeira fase.

Arábia Saudita:

A Arábia chega a Copa como uma das equipes mais fracas do torneio. Chega à Copa com um time que praticamente todos os jogadores jogam no torneio local: rico, porém extremamente fraco tecnicamente. Dificilmente surpreenderá nas partidas da primeira fase. Provavelmente perderá as três primeiras partidas, inclusive para o seu rival árabe, o Egito.

Sorteio dos Grupos para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia. Konstantin Rybin © Organização pública russa "Russian Football Union", 2017

Sorteio dos Grupos para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia.
Konstantin Rybin © Organização pública russa “Russian Football Union”, 2017

Egito:

A seleção egípcia retorna ao principal torneio de seleções após 28 anos. A última vez, em 1990 caíram na fase de grupos. Pode ser que desta vez conquistem uma classificação inédita para a segunda fase do torneio. Não há dúvidas em falar que apostam todas as cartas em Mohamed Salah, o artilheiro do Liverpool FC, que é cotada para ser eleito o melhor do mundo. Se os egípcios surpreenderem e fizerem uma boa campanha pode ser que Salah receba o troféu de melhor do mundo. Difícil, mas não impossível.

Uruguai:

O futebol uruguaio ressurgiu nas últimas dua edições do Mundial. São sem dúvida alguma os favoritos do grupo, mesmo jogando contra os anfitriões. Entretanto a seleção que surpreendeu o mundo em 2010 já não é mais tão jovem e não tão técnica. Todas as apostas estão no ataque: Edinson Cavani e Luiz Suarez são dois dos melhores atacantes em atividade no futebol europeu. Podem levar o time à segunda fase, mas se chegarem até as quartas de final já seria um ótimo resultado para a nação azul celeste.

Grupo B

Portugal:

Os portugueses surpreenderam a Europa em 2016, ao vencer o Campeonato Europeu de Nações, batendo a favorita França em pleno Stade de France. A seleção se classificou bem nas eliminatórias e chega bem ao mundial. Entretanto, tudo dependerá da atuação do super craque Cristiano Ronaldo. Uma boa atuação do gajo provavelmente o dará o título de melhor do mundo no final do ano. Se o gajo desaparecer só não serão eliminados na primeira fase pois o grupo é muito fraco.

Espanha:

Os campeões da Copa de 2010 já não são mais os mesmos. Ainda são fortes mas Iniesta, o maestro da equipe, já está envelhecido e o futebol estilo tik-taka já não consegue mais ser tão envolvente. Irá passar da primeira fase tranquilamente, devido ao grupo ser fácil. Deve chegar pelo menos até as quartas de final. De lá pra frente precisará de excelentes atuações de seu meio campo para seguir adiante.

Marrocos:

Depois de 20 anos os marroquinos retornam à Copa do Mundo. Se classificaram eliminando a poderosa seleção da Costa do Marfim, por isso chegam ao Mundial confiantes e com jogadores com experiência no futebol europeu. Dificilmente surpreenderão Espanha e Portugal, mas dificultarão as coisas para essas duas seleções europeias. Voltam para casa após a fase de grupos, mas podem até mostrar um futebol competitivo.

Irã:

Pela primeira vez os iranianos conseguem se classificar para duas Copas do Mundo consecutivas. E desta vez, se classificaram bem, à frente da tradicional Coreia do Sul. Mas dificilmente passarão da primeira fase. É a equipe mais fraca do grupo. Os iranianos amam o futebol, mas sabem que sua seleção voltará mais cedo para casa.

Grupo C

França:

Allez les Bleus! Os franceses estão empolgados com a sua seleção, apesar da decepcionante derrota na final da Eurocopa de 2016. Mas não é por menos, já que os franceses são, sem sombra de dúvida uma das melhores equipes deste próximo mundial. Na primeira fase devem passar em primeiro do grupo tranquilamente. Não acredito que serão surpreendidos. Paul Pogbá, Mbappé e Griezmann podem levar a glória de volta à França 20 anos depois. São um dos favoritos ao título.

Austrália:

Os cangurus se classificaram pela quarta vez consecutiva para a Copa do Mundo. E pela terceira vez jogando as eliminatórias da Ásia. Já não é mais surpresa vê-los no mundial. E agora. Mas dificilmente passarão da primeira fase. São a seleção mais fraca de seu grupo. O eterno atacante Tim Cahill, e praticamente o único que marcava para os australianos já está velho. Vale pela festa da torcida.

Peru:

O eterno país que é usado em piadas de duplo sentido pelos brasileiros está de voltá à Copa do Mundo após 32 anos. Jeferson Farfán, um dos atletas mais experientes da atual seleção tem 33 de idade. É uma nova geração de jogadores que conseguiu classificar os peruanos ao mundial eliminando os chilenos, atuais campeões da Copa América. Paolo Guerrero estará de volta após cumprir suspensão por doping. Pode ser que conquistem a segunda vaga do grupos para as oitavas de final.

Dinamarca:

A seleção da Dinamarca não é mais a Dinamáquina. Faz tempo. Os dinamarqueses conquistaram a classificação após eliminarem a Irlanda na repescagem europeia, mas não apresentam um futebol convincente faz muitos anos. Em um grupo relativamente equilibrado não acredito que os daneses se classifiquem para as oitavas. Pode ser que surpreendam França e Peru, mas se passarem, não devem ir longe.

Sorteio dos Grupos para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia. Konstantin Rybin © Organização pública russa "Russian Football Union", 2017

Sorteio dos Grupos para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia.
Konstantin Rybin © Organização pública russa “Russian Football Union”, 2017

GRUPO D

Argentina:

Ah, os nossos hermanos argentinos. Estão desesperados para conquistar um mundial, o que não acontece desde 1986. Lionel Messi, talvez o maior jogador da história do futebol tem uma carreira brilhante. No clube, porque na seleção não consegue garantir um título sequer à albiceleste. São os atuais vice campeões mundiais e se classificaram sofrendo, bem ao estilo argentino. E pode ser esse estilo sofrido, bem argentino, como se fosse um tango que possa levá-los à vitória tão esperada, ou a mais um vexame. Da primeira fase passa em primeiro do grupo.

Islândia:

Pela primeira vez essa pequena ilha será representada em uma Copa do Mundo. Os islandeses surpreenderam, e bastante, na Eurocopa de 2016. Voltaram para casa como heróis. Será que surpreenderão de novo? Não acredito. A equipe é muito esforçada e disciplinada, mas Copa do Mundo é algo a mais que isso. Seus adversários do grupo são seleções experientes em Copas. Acho que serão eliminados na primeira fase, mas me parece que a torcida islandesa não está nem ai para o resultado. O que importa é que chegaram à Copa.

Croácia:

É a quarta Copa que os croatas participam nos últimos 20 anos. Só ficou de fora em 2010. Já se tornou uma seleção tradicional em Copas, principalmente devido aos poucos anos de existência do país. Rakitic, Modric, Lovren e Mandzukic são jogadores chaves para a equipe e também muito experientes no futebol europeu. A Croácia é favorita a passar de fase, junto com a Argentina. Provavelmente para nas oitavas de final contra a França, mas devem dificultar bastante, como sempre fazem.

Nigéria:

A primeira Copa que os nigerianos participaram foi em 1994. De lá para cá só não estiveram em 2006. É uma seleção muito experiente em Copas do Mundo nos últimos anos. Para chegar à Rússia eliminaram as tradicionais seleções africanas de Camarões e Argélia, mostrando força e tradição. Mas acredito, que, em razão do grupo que caiu, não deva passar da primeira fase. Os nigerianos não colocam mais medos em outras seleções como faziam antigamente.

Grupo E

Brasil:

Depois do trágico e traumático 7 a 1 da Copa passada o que será que vai acontecer com a Seleção nesta próxima Copa? Passa da primeira fase de olho fechado, acredito. Se não fizer nove pontos, fará pelo menos 7. Neymar estará recuperado e focado para disputar aquele que pode ser o seu mundial. Dani Alves está fora, mas, apesar de ser bom jogador, já estava velho, e não o vejo como tão fundamental no esuqema de Tite. Tite, aliás, que se levar o selecionado brasileiro ao título com seus métodos será considerado herói nacional. O Brasil, como em todas as Copas, é favorito ao título. Pode ser que não ganhe, mas provavelmente chega pelo menos nas semifinais.

Suíça:

Os suíços chegam à sua terceira Copa consecutiva. E provavelmente com o mesmo estilo de jogo, aquele conhecido mundialmente como ferrolho. Se classificaram na repescagem europeia graças a uma vitória por 1 a 0 fora de casa contra a Irlanda do Norte. Porque o futebol é fechado e feio não quer dizer que a Suíça não vá se classificar na fase de grupos da Copa. Acredito que luta contra os também europeus servos pela segunda vaga do grupo. Porém, se passarem devem ficar nas oitavas.

Costa Rica:

Maior surpresa da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, a Costa Rica chegou até as quartas de final e na fase de grupos deixou para trás 3 seleções campeãs mundiais. Mas não acredito que um raio caia duas vezes no mesmo lugar. Os costa riquenhos não serão novamente uma zebra positiva e ficarão pelo caminho rapidamente na Rússia. Se conseguirem um ponto na fase de grupos será muito. O único jogador com potencial de brilhar é o goleiro Keylor Navas, do poderoso Real Madrid.

Sérvia:

Os sérvios retornam à Copa do Mundo após 8 anos, mas suas últimas duas participações foram fracas e pouco convincentes (2006 e 2010). Mas, dizem esta ser uma geração nova que se classificou em primeiro do seu grupo nas eliminatórias. Irão disputar a segunda vaga do grupo com a Suíça e podem passar apesar dos suíços serem favoritos. Se passarem caem nas oitavas de final.

Sorteio dos Grupos para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia. Konstantin Rybin © Organização pública russa "Russian Football Union", 2017

Sorteio dos Grupos para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia.
Konstantin Rybin © Organização pública russa “Russian Football Union”, 2017

GRUPO F

Alemanha:

A atual campeã mundial de futebol e responsável, talvez, pelo maior vexame da história do futebol brasileira volta à Copa do Mundo como uma das favoritas ao título novamente. Entretanto a equipe não é mais a mesma que se preparou por cerca de 10 anos para vencer o Mundial. São caras novas e jovens no time que não tem a mesma força e experiência da geração de 2014. A equipe continua forte, e deve passar a primeira fase em primeira do grupo. E vamos ser sinceros, quando os alemães não são candidatos a chegarem pelo menos em uma semifinal de Copa?

México:

Jogará o México como nunca e perderá como sempre? A máxima mexicana provavelmente será realidade nessa Copa da Rússia. Nas últimas seis Copas do Mundo os mexicanos passaram da primeira fase e foram eliminados nas oitavas de final, e acredito que dessa vez não será diferente. Até devem destronar Suécia e Coreia do Sul pela segunda vaga do grupo, mas perdem do Brasil nas oitavas de final em uma partida memorável.

Suécia:

Os suecos voltam a Copa do Mundo após não conseguirem se classificar para 2010 e 2014. Provavelmente vão lutar contra os mexicanos pela segunda vaga do grupo e se conseguirem passar vão pegar o Brasil, adversário que já foi derrotado em final de Mundial. Mas o grande feito dos suecos nesta Copa foi eliminarem a tradicionalíssima seleção italiana do torneio, ainda na repescagem europeia. Sinceramente, se não levarem a estrela Ibrahimovic dificilmente lutam para passar de fase.

Coreia do Sul:

Foi se o tempo em que a correria do futebol sul-coreano dava algum trabalho. Aliás, a única vez que isso aconteceu foi quando disputaram a Copa do Mundo em casa, em 2002. Não farão frente a nenhum outro componente do grupo. Provavelmente ficarão em último lugar do grupo, se não forem a vítima de uma goleada alemã.

GRUPO G

Bélgica:

Os belgas chegam à Copa do Mundo com a sua melhor geração desde 1986. Dizem até que a geração atual, liderada por Kompany, De Bruyne e Eden Hazard, é talvez a melhor geração da história do futebol belga. Muitos dizem que a Bélgica é “fogo de palha” e que não tem todo esse potencial. Eu acredito o contrário. Passa em primeiro do grupo, inclusive batendo a Inglaterra e pode chegar até às semifinais do torneio. Título? Talvez não, devido a falta de experiência. Mas os belgas devem ser a boa surpresa da Copa.

Panamá:

O pequeno país da América Central conseguiu um milagre: se classificar para a Copa do Mundo pela primeira vez e eliminar a forte, regionalmente, seleção dos Estados Unidos. Os panamenhos conseguiram tirar a maior potência econômica mundial da Copa do Mundo. O mercado publicitário e a FIFA talvez não tenham gostado tanto. Mas no torneio em si acredito que os panamenhos serão apenas figurativos. Ficam em último do seu grupo. O que vale é participar.

Tunísia:

As Águias de Cartago retornam à Copa do Mundo após ficarem por duas edições fora. Se classificaram nas eliminatórias em um grupo não tão forte e talvez sejam o país africano mais fraco a disputar o Mundial da Rússia. Não devem passar de fase e disputará com o Panamá o último lugar do grupo. Vale por mais uma participação.

Inglaterra:

Os ingleses, inventores do jogo, mas campeões mundiais em apenas uma oportunidade chegam à Copa do Mundo da Rússia com uma boa seleção, mas também sofrendo pressões políticas devidos a problemas diplomáticos entre Reino Unido e Rússia. A seleção dos três leões chegam com uma equipe jovem competitiva e com títulos relevantes nas categorias de base. Se os resultados se repetirão na equipe adulta é outra história. Passarão de fase tranquilamente, apesar de serem segundo no grupo. Com o potencial que tem podem surpreender e chegar até uma semifinal.

GRUPO G

Polônia:

Ninguém conseguiu entender, mas o Ranking da FIFA colocou a seleção polonesa como cabeça-de-chave na Copa do Mundo. Os poloneses não são tão forte e muito menos tradicionais como os outros cabeças-de-chaves, mas tem um bom potencial futebolístico para acabarem em primeiro do grupo. Vão depender é claro do bom desempenho do atacante e artilheiro Robert Lewandowski. Entretanto devem cair nas oitavas de final contra Inglaterra ou Bélgica. A conquista maior dos poloneses foi a cabeça-de-chave e não reviverão aquela forte seleção dos anos 70.

Senegal:

A seleção senegalesa volta à Copa do Mundo após 16 anos. Em 2002, supreendeu o mundo ao derrotar a campeã de 1998 França logo na partida de estreia da Copa. Não acredito que a mesma coisa aconteça desta vez. Talvez tirem pontos de Polônia e Colômbia e até possam chegar as oitavas de final, mas será algo muito improvável. As esperanças de seus torcedores ficam em cima do atacante Sadió Mané.

Colômbia:

Os colombianos vêm confiantes para o Mundial. Conseguiram a classificação na disputada eliminatórias da América do Sul, tem uma equipe com jogadores técnicos e relativamente experientes e caíram em um grupo mais equilibrado, onde será mais fácil explorar seu potencial. Acredito que passem para a segunda fase, talvez até em primeiro do grupo. O problema é que, se passarem, podem enfrentar os ingleses ou belgas, o que dificultaria um avanço a uma fase de quartas de final, como conseguiram em 2014.

Japão:

Os japoneses se classificaram para o Mundial na primeira colocação no seu grupo das eliminatórias da Ásia, mas não com uma campanha tão consistente contra adversários não tão fortes. Não será dessa vez que os japoneses farão uma boa campanha na Copa. Apesar do grupo equilibrado, dificilmente os nipônicos se classificarão para as oitavas de final. Seria uma surpresa muito grande se isso acontecesse.

Hoje, 14 de maio, data da publicação desse texto sai a convocação da seleção brasileira de futebol com o nome dos 23 jogadores convocados para o Mundial da Rússia. As outras seleções farão também o mesmo nos próximos dias. O que irá acontecer no Mundial, a partir do dia 14 de junho, ninguém sabe. O que quis fazer foi apenas uma brincadeira com a vontade intrínseca do apaixonado por futebol de tentar adivinhar os resultados dos campeonatos. Mas o que mais importa, não interessando quem ganha e quem perde a Copa do Mundo é o prazer de acompanhar o mais apaixonante torneio esportivo mundial