131.26

Dançarinos do caixão: a história dos coveiros ganeses que viraram meme na Internet

Matheus Soares

Você já deve ter visto no Twitter o perfil “E Morreu”, certo? Com aqueles coveiros em cerimônia animada. A página posta diariamente vídeos de situações perigosas, e que segundos depois aparece o grupo em seu ritual. Afinal, quem são eles? De onde são? Vamos explicar.

O vídeo original (veja abaixo) mostra coveiros em Gana fazendo uma animada dança. A princípio, tem se tornado cada vez mais comum no país durante a cerimônia de despedida. O chefe dos coveiros, Benjamin Aidoo, decidiu adicionar coreografias em seus serviços. Ele pergunta aos clientes se querem que seja algo comum ou um pouco mais de espetáculo, uma cerimônia animada para “alegrar” o ambiente.

O famoso vídeo dos coveiros dançarinos apareceu pela primeira vez no YouTube em 2015, quando uma mulher viajou para Gana e assistiu a uma sessão fúnebre da sogra: “Testemunhei uma performance incrível! Eles a homenagearam orgulhosamente com movimentos corporais de tirar o fôlego”, relatou. Ou seja, ela sentiu de perto a energia que os dançarinos tentaram transmitir. Tudo aquilo que foi visto ficou guardado na memória da família e o ente pôde ter seu descanso.

Contudo, os ganeses sempre deram importância aos enterros, que foram se transformando em acontecimentos de luxo. O continente africano possui muitas tradições funerárias, entre elas os enterros festivos que celebram a vida e não a morte.

Grupo de coveiros em cerimônia animada, que viraram meme. Foto: Reprodução/YouTube.

Nesse sentido, na África Ocidental, entre populações cristãs e politeístas de Gana e Nigéria, a despedida vem na forma de grande evento social. Os coveiros passaram a ser peças fundamentais. Um funeral nesses países, envolvendo músicas, danças, banquetes e muitas bebidas, pode ser mais caro que um casamento, com ricos exibindo suas fortunas e pobres gastando suas economias. Por fim, a cerimônia costuma ser sempre marcada para o sábado. Os convidados chegam e tudo vai sendo preparado. Assim, durante a semana, o corpo espera no necrotério.

Por trás do grupo de coveiros de dança animada, existe uma bonita mensagem de nunca esquecer aquele que nos deixa. Acima de tudo, a ligação será a mesma.


Confira também o nosso último texto publicado, que fala sobre a relação de Drogba com a Costa do Marfim e o dia em que o atacante parou uma guerra.