Erros do VAR no Brasileirão põem tecnologia em xeque

No mundo do futebol sempre foi questionado o uso de uma tecnologia que pudesse corrigir algumas injustiças dentro de campo, o que já levou a desclassificação de times e seleções em jogos importantes, prejudicando times, jogadores e até sites de apostas 2021. O surgimento do VAR (do inglês Video Assistant Referee) foi uma esperança para que os clubes passassem a acreditar que todos os problemas estariam resolvidos. Mas, será mesmo?

Criado pela FIFA e aplicado pela primeira vez na Copa do Mundo de 2018, o VAR chegou para revolucionar o futebol, onde por meio de um sistema de apoio ao vivo para os árbitros, seria possível mudar decisões que poderiam influenciar a pontuação ou os incidentes da partida.

O sistema é formado por uma equipe de juízes e ex-juízes de futebol. Eles ficam em uma central de vídeo fora do estádio acompanhando por vários monitores de TV toda partida. A equipe conta também com o auxílio de técnicos em vídeos que escolhem os melhores ângulos do lance duvidoso para o replay da jogada. Em uma das margens do gramado, o juiz principal poderá rever o lance em um monitor de TV e tomar a sua decisão.

Assim, todos os lances de gol ou jogadas que podem mudar o placar, passam pela verificação do VAR, que analisa as jogadas e, no caso de haver qualquer controvérsia, o juiz da partida é comunicado que deverá ser feita uma análise mais profunda, para validar o gol ou não.

Além disso, o uso do VAR serve para:

– Validar ou não um pênalti;

– Saber se a falta aplicada foi real ou não;

– Aplicar ou não um cartão vermelho em uma jogada mais forte etc.

VAR no futebol

A sala do VAR. Foto: CBF.

Uso do VAR no Brasil gera controvérsias

Entretanto, aqui no Brasil o VAR acabou ganhando um destaque maior do que deveria quando foi criado. Isso porque, a força do juiz e dos assistentes começou a ser questionada e a tecnologia passou a ser a fonte principal de certeza nas jogadas.

Assim, os jogadores e a comissão técnica passaram a solicitar em todas as jogadas o VAR (algo que é proibido pela FIFA), e pressionado, o juiz e os árbitros de vídeo acabaram usando a tecnologia em qualquer lance, tornando o jogo pesado, cansativo e demorado.

Também, como em cada jogada o VAR entra em ação, o jogo de futebol que antes era corrido e dinâmico, passou a ficar truncado, parando a todo momento, o que começou a gerar estresse nos jogadores e na torcida em campo, que em muitos casos, tinham que espera de 5 a 10 minutos para a resposta de uma jogada mais polemica.

Ou seja, o que deveria vir para facilitar a vida dos árbitros ou evitar erros, acabou criando mais estresse.

Jogos do Brasileirão foram prejudicados pelo VAR

Para piorar, o VAR, que foi criado para corrigir erros dentro de campo, evitando injustiças e punições por lances mal aplicados, passou a ser motivo de erros dentro de campo, resultando no efeito contrário do que era seu objetivo.

O uso da tecnologia de forma errada, passou a prejudicar times em diversas ocasiões. Importante foi o que vimos durante o jogo entre Internacional e Corinthians, na quinta-feira (25), pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

Tudo porque o VAR foi solicitado para resolver um pênalti não marcado a favor do time do Inter, e que mal analisado, acabou não favorecendo o time. Lembrando que nesse caso, o Internacional lutava pelo título do Brasileirão e sem a aplicação dessa jogada, acabou empatando sem gols com o Corinthians, dando ao Flamengo a taça de campeão.

VAR prejudica sites de apostas

Muitos questionam se foi uma boa ideia aplicar uma tecnologia no mundo do futebol quando o VAR acaba sendo usado de uma forma exagerada ou de maneira errada.

E quem está perdendo com os erros do VAR são os torcedores, clubes e também os sites de apostas, pois erros de avaliação, podem mudar resultados de jogos, impactando negativamente as odds (probabilidades) e os prêmios.

Temos que saber que, quando esse mecanismo é bem aplicado em jogos, como acontece na Europa e campeonatos internacionais, evita injustiças e lances que pudessem acabar com títulos importantes, favorecendo torcedores que usam os sites de apostas para ganhar dinheiro com o futebol.

Fica agora a responsabilidade dos organizadores criarem mecanismos para que a tecnologia possa ser aplicada da forma mais correta, evitando erros e deixando os jogos de futebol engessado.

Como citar

, . Erros do VAR no Brasileirão põem tecnologia em xeque. Ludopédio, São Paulo, v. , n. , 2021.