120.16

Faltou Formiga

Guilherme Trucco

Sabe onde foi que perdemos o jogo? Aos 13 minutos do primeiro tempo, quando ainda íamos em  0 x 0, e Formiga tomou um discutível amarelo. A integridade defensiva do nosso onze passa, irrecusável, pela ossatura de Formiga. Com ela em campo, conseguíamos, era palpável, aprumar o sistema defensivo no entorno, evitar ao máximo a chuverada australiana.

Formiga recebe o cartão amarelo. Foto: Rener Pinheiro/Mowa Press.

É decisão difícil manter uma volante amarelada em campo em uma batalha pela meia cancha. Vadão optou por sacar Formiga. Colocou Luana, de feitio mais ofensivo. Foi nítido, cedemos de imediato nossa textura defensiva, até então, mais sólida. Daí, abriu a porteira dos cruzamentos, e deu no que deu.

Não fosse isso, o ataque jogou o fino. Aliás, nossas canhotas são fod@.

O Brasil já tinha construído um 1 x 0 magro, brigado, num pênalti de fibra. A Austrália continuava na pressão, com posse de bola. Andressa, deslocada para o flanco direito com a entrada de Marta, até buscava jogo, mas não exercia a fina aragem do primeiro jogo.

A seleção inclinava as jogadas muito mais para a esquerda, evidente, região de campo de Marta, que fazia boa partida, mas sofria com marcação pesada. Sem a presença de Andressa centralizada, faltava oxigênio ao meio campo. A bola precisa passar por ela, não aceito qualquer outra argumentação.

Ai veio a canhotinha.

Você viu a caneta da Tamires? Vamos e convenhamos: Um drible desse, por si só, desmoraliza. Impõe habilidade. Acanha o adversário. Agora, como se não fosse suficiente, essa nossa esquerdinha, após aplicar o saiote na australiana, me emenda um lançamento de fundura exata, profundidade pontiaguda. Caiu uma lágrima, antes mesmo do cruzamento da Debinha encontrar a cabeça santa de Cristiane. Aí amigo, é caixa.

Tamires aplica uma linda caneta. Foto: Rener Pinheiro/Mowa Press.

No segundo tempo, sem Formiga, ficou mesmo difícil segurar. Contra times altos, é crucial não deixar que o cruzamento aconteça. Se acontece, vira estatística pura, matemática plana, uma hora sai.

Sem Marta em campo, Andressa centralizou, e chamou pra si a armação. Conseguiu boas jogadas. Aposto mesmo que o gol do 3 x 3 sairia, não fosse a lesão de Cristiane.

Agora é o tudo ou nada contra a Itália. Sempre a Itália. Novamente sem Formiga, suspensa com 2 amarelos. Temos bom saldo de gols. Uma vitória da Jamaica contra as Italianas amanhã seria uma boa pedida, e não é tanta zebra assim, é possível. Estaremos secando. Nesse cenário, iríamos pra rodada final jogando pelo empate.

Venhamos e convenhamos, o jogo não era sopa, e mesmo com esse placar, nosso primeiro tempo foi, se nada mais, airoso, como deve sempre ser nosso escrete. Que venha a Itália.

Como citar

TRUCCO, Guilherme. Faltou Formiga. Ludopédio, São Paulo, v. 120, n. 16, 2019.