105.15

Literariabilidade: o caminho do Hexa nas leituras de Tite

Giulia Piazzi

A poucos meses da Copa do Mundo 2018, na Rússia, o nosso querido Adenor está sob os holofotes. A torcida brasileira segue à espera de suas entrevistas e principalmente de suas convocações, é claro. Com muita dedicação, Tite tornou-se um dos técnicos mais badalados da atualidade, e seu perfil metódico tem tudo para fazê-lo alcançar voos mais altos. Que venha o Hexa! #SaudadesCopa

A “titebilidade” tomou conta do Brasil a partir de junho de 2016. Adenor Leonardo Bachi assumiu o cargo de treinador da Seleção Brasileira e mudou o olhar da torcida, ainda abalada com o vexame na Copa do Mundo de 2014. Depois de uma série de vitórias e da classificação antecipada para a edição de 2018 do torneio, instaurou-se novo clima, mais otimista, positivo, e toda a aptidão de Tite para a gestão de uma equipe se sobressaiu.

Mas este texto não é para falar sobre a campanha dele com a Canarinho, muito menos para pressioná-lo a ganhar a Copa. Vamos voltar ao título e ao foco e conversar sobre livros e leitura no futebol; afinal, a ligação de Tite com o mundo literário e editorial é muito interessante.

Acompanhe um pouco dessa história a seguir e veja a lista de livros estudados por ele durante o ano em que se afastou da profissão para essa volta triunfal!

Não “fala muito”, mas lê bastante

Na biografia de Tite, a autora Camila Mattoso relata, em certo trecho da página 152:

“Tite prefere ficar quieto, em casa, com poucas pessoas, lendo um livro (sobre futebol em 99% das vezes), assistindo a um jogo na televisão, revendo imagens do treino, pensando na partida seguinte.”

Capa da biografia de Tite, escrita pela jornalista Camila Mattoso e publicada pela editora Panda Books em 2016

Livro “Tite”, de Camila Mattoso, publicado em 2016. Imagem: Panda Books.

Pelas páginas desse ótimo livro, é possível captar as características de um cara centrado e disciplinado. Dono do bordão “fala muito”, o treinador é o contrário disso: é bastante reservado e não muito sociável.

Imagem: Tumblr.

Mas talvez algo que tenha faltado abordar com mais detalhes nessa biografia é a boa relação que Tite tem com o universo literário e editorial, algo impossível de ignorar. Leitor ávido, seja para manter-se atualizado ou simplesmente para passar o tempo, ele já prefaciou a tradução de um título importante (Os campeões – Por dentro da mente dos grandes líderes de futebol, de Mike Carson), foi homenageado em um livro fotográfico (Obrigado, Tite! – As cinco pontas de uma estrela, de Daniel Augusto Jr.) e, claro, ajudou muito a jornalista Camila Mattoso na produção da biografia. Além disso, tem o costume louvável de presentear seus comandados com livros motivacionais e sobre métodos de treino – o que já até foi mencionado neste outro artigo, aqui no Ludopédio. Legal, não é mesmo?

Mas se engana quem pensa que esse envolvimento dele com a leitura é recente. Para comprovar que Tite sempre foi aplicado – antes mesmo de graduar-se em Educação Física, em 1990 –, Boiadeiro, em entrevista ao SporTV em 2013, relembrou a época em que jogaram juntos no Guarani, entre 1986 e 1988:

“Nós jogamos três anos juntos. (Ele era) volante pegador, perfeccionista, estudioso. Até brincava com ele: ‘Tite, você vai ser um filósofo, para ler tanto livro desse jeito em tão pouco tempo’.”

O vocabulário rico que o técnico tem deve-se em grande parte a essa dedicação à leitura de vários gêneros. Tão rico que o tornou um inventor de palavras: a “treinabilidade”, vocábulo inexistente na Língua Portuguesa, era utilizada por ele para explicar a capacidade de evolução dos jogadores durante suas atividades. E virou alvo de brincadeiras: um perfil falso do Twitter, @adeno_tite, passou a utilizar o sufixo “bilidade” em diversas palavras, daí a “titebilidade” viralizou e ganhou até as páginas da sua biografia:

Sumário da biografia de Tite. Fonte da imagem: Panda Books.

Sumário da biografia de Tite. Imagem: Panda Books.

E quanto às suas expressões “bonitas”, pelas quais já foi criticado, ele acredita em um equilíbrio entre a linguagem própria do vestiário, dos jogadores, e aquela mais técnica, mais jornalística, de estudioso. Até porque, para ele, as pessoas hoje não querem apenas torcer para futebol, mas também querem entender sobre o esporte.[i]

De fato, as pessoas têm buscado cada vez mais por informações enriquecedoras, e isso não é diferente no mundo do futebol. É perceptível o aumento da oferta de conteúdo abrangente e de valor para os torcedores, e os clubes têm investido, ainda, na interação com as torcidas por meio das redes sociais, a fim de gerar proximidade, engajamento e proporcionar boas experiências.

É impossível que os livros de futebol fiquem de fora dessa era do conhecimento. Em 2014, quando Tite se afastou da profissão, uma grande lista de livros foi “devorada” por ele, que resolveu usar o período para estudar ainda mais o futebol e aprimorar seu trabalho.

E nada melhor do que saber o que um técnico de alto nível tem aprendido para posteriormente testar com os seus comandados e aplicar nos treinos. Vamos ver, então, um pouco do que Tite leu no tempo em que se distanciou da área técnica.

15/09/2017- Rio de Janeiro- Tite com novidades na Convocação para a última rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo.  Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A lista de livros de Tite. Foto: Lucas Figueiredo/CBF.

8 livros de futebol explorados por Tite

Naquele 2014 sabático, além das viagens para conversar com outros técnicos pelo mundo e acompanhar jogos internacionais, Tite consumiu livros de futebol em três idiomas: português, espanhol e italiano[ii]. Também dedicou-se a outras leituras, de diferentes gêneros – mas isso é assunto para outro texto, porque as recomendações são vastas! Vamos focar nos livros de futebol.

Acompanhe a lista:

1. Enseñanzas tácticas para el 1-3-4-3 / 1-4-4-2 / 1-4-2-3-1

Capa do livro. Imagem: Libreria Deportiva.

  • Tradução do título: Ensinamentos táticos para os esquemas 1-3-4-3, 1-4-4-2 e 1-4-2-3-1
  • Autor: Manuel Aguado Gil, ex-treinador das categorias inferiores do Atlético de Madrid, atualmente técnico do Manzanares.
  • Editora: McSports.
  • Ano de publicação: 2006.
  • Número de páginas: 135.

2. Mi receta del 4-4-2 – Reflexión, desarrollo y aplicación práctica de una visión de este sistema

Capa do livro. Imagem: Amazon.es.

  • Tradução do título: Minha “receita” do 4-4-2 – Reflexão, desenvolvimento e aplicação prática de uma visão desse sistema
  • Autor: Robert Moreno, auxiliar técnico do Barcelona.
  • Editora: FDL (Fútbol de Libro).
  • Ano de publicação: 2013.
  • Número de páginas: 272.

3. Periodização tática – O futebol arte alicerçado em critérios

Capa do livro. Imagem: Saraiva.

  • Autor: Bruno M. F. Pivetti, ex-treinador do Atlético Paranaense, atual técnico da Associação Ferroviária de Esportes.
  • Editora: Phorte Editora.
  • Ano de publicação: 2012.
  • Número de páginas: 296.

4. Gioco di testa – Allenare la mente per vincere nel calcio

Capa do livro. Imagem: Iiriti Editore.

  • Tradução do título: Jogo de cabeça – Treinar a mente para vencer no futebol
  • Autor: Roberto Civitarese, ex-árbitro e ex-gerente de futebol, atual Mental Coach de jogadores profissionais de futebol na Itália.
  • Editora: Iiriti Editore.
  • Ano de publicação: 2011.
  • Número de páginas: 128.

5. Los bad boys del fútbol – Maradona, Best y otros ídolos descarriados

Capa do livro. Imagem: Amazon.

  • Tradução do título: Os bad boys do futebol – Maradona, Best e outros ídolos “desordeiros”
  • Autor: Jean-Philippe Bouchard, jornalista e editor francês.
  • Editora: T&B Editores.
  • Ano de publicação: 2008.
  • Número de páginas: 182.

6. Los 11 poderes del líder – El fútbol como escuela de vida

Capa do livro. Imagem: Libreria Deportiva.

  • Tradução do título: Os 11 poderes do líder – O futebol como escola de vida
  • Autor: Jorge Valdano, ex-jogador da Seleção Argentina (campeão da Copa de 86, no México) e ex-jogador, ex-técnico e ex-diretor-geral do Real Madrid.
  • Editora: Conecta.
  • Ano de publicação: 2013.
  • Número de páginas: 192.

7. El efecto Simeone – La motivación como estrategia

Capa do livro. Imagem: Quelibroleo.com.

  • Tradução do título: O efeito Simeone – A motivação como estratégia
  • Autor: Diego Pablo Simeone, ex-jogador da Seleção Argentina, atual técnico do Atlético de Madrid.
  • Editora: Plataforma.
  • Ano de publicação: 2013.
  • Número de páginas: 160.

8. Palabra del entrenador – Reflexiones, anécdotas y método de los mejores técnicos del fútbol mundial

Capa do livro. Imagem: Boutique del Libro.

  • Tradução do título: Palavra do treinador – Reflexões, anedotas e método dos melhores técnicos do futebol mundial
  • Autor: Orfeo Suárez, jornalista suíço e redator-chefe do El Mundo, em Madri.
  • Editora: Roca.
  • Ano de publicação: 2011.
  • Número de páginas: 304.

Por mais edições traduzidas

Uma boa dica para as editoras de futebol brasileiras é pensar no lançamento de traduções de alguns desses livros, pois a lista apresenta grandes nomes do esporte mundial. A editora Grande Área, por exemplo, aposta e investe em títulos internacionais, o que tem tido bastante êxito no mercado, com publicações sobre Pep Guardiola, José Mourinho, e de autores importantes como Jonathan Wilson e Axel Torres.

Os livros sobre táticas e estratégias têm ganhado bastante espaço no cenário editorial de futebol, e isso vai ao encontro da necessidade de atualização dos treinadores no que se refere ao futebol moderno. Não é novidade que técnicos estudiosos apresentam melhor desempenho dentro das quatro linhas. Realizar cursos é cada vez mais indispensável para que a carreira dos treinadores não pare no tempo, então é muito válido tornar também as publicações mais acessíveis, como forma de contribuir para o desenvolvimento desses profissionais da bola – em alguns casos o idioma pode ser uma barreira, a princípio.

Alguns livros aqui citados caracterizam-se também por uma abordagem que vai além do jogo e que mostra que ser treinador também é lidar com gente, comunicar-se bem, gerir e motivar pessoas e participar ativamente dos projetos de um clube ou seleção.

Que o conhecimento a que Tite se dedicou nos últimos anos se reflita em campo e mostre a importância da leitura, da disciplina, do planejamento e da modernização para as grandes conquistas. E que isso não somente sirva de exemplo, mas se torne um verdadeiro legado. Por mais literariabilidade no futebol! #RumoAoHexa


[i] Informações extraídas da reportagem: https://gauchazh.clicrbs.com.br/esportes/noticia/2017/07/tite-sou-um-colono-que-gosta-de-ler-9840805.html. Acesso em: 07 mar 2018.

[ii] Lista disponível na reportagem: https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/esporte/2014/10/08/o-estudioso-tite-livros-em-tres-idiomas-viagens-e-fissura-por-tatica.htm. Acesso em: 07 mar 2018.