12.6

O torcer no interior de Minas Gerais: da relação do torcedor com o clube em um time do interior…

Tiago Felipe da Silva

Os esportes de uma maneira geral e no caso em questão o futebol, constitui uma arena social privilegiada para estudar problemáticas de grande importância para nossas sociedades ligadas a diversas formas de sociabilidade. Como aborda Gil (2007), sua presença na vida cotidiana constitui uma excelente via de acesso à constituição de noções básicas de temporalidade e espacialidade. Além de esquemas e práticas normativas e valorativas estruturantes da vida social.

Este texto é um breve fragmento de um estudo que tem como objetivo compreender como se configuram as relações e os significados do torcer pelo Esporte Clube Democrata, time da cidade de Governador Valadares no interior do estado de Minas Gerais.

Fiz algumas entrevistas com diversos torcedores e também um diário acompanhando o time nos jogos do Campeonato Mineiro de Futebol. Além de um levantamento sobre estudos que tratavam do futebol e do torcer em times do interior.

O futebol de certa maneira esteve sempre envolvido na minha história de vida, o que auxiliou para que eu estivesse hoje pesquisando sobre esse tema. Desde criança estive envolvido com o esporte. Brincando na rua com os amigos, primos e vizinhos, participando de torneios escolares e freqüentando os jogos do Esporte Clube Democrata time da cidade de Governador Valadares, interior de Minas Gerais, onde nasci e fui criado. Time também no qual fui atleta durante aproximadamente oito anos.

A motivação para estudar o futebol no âmbito das Ciências Humanas e Sociais ganhou mais força quando conheci em 2008, o Grupo de Estudos Sobre Futebol e Torcidas- GEFuT, grupo em que sou membro hoje e estudo o futebol no interior de Minas Gerais, especificamente, os significados do torcer pelo Esporte Clube Democrata, um tema que está em acordo com os estudos desenvolvidos pelo grupo: o futebol e o torcer.

Pude observar diversos trabalhos já desenvolvidos sobre o futebol na perspectiva das Ciências Humanas e Sociais e constatei que os estudos se concentravam principalmente no eixo Rio-São Paulo e nos grandes clubes de futebol, em que elementos como rivalidade a partir da negação do outro grande clube rival na cidade era fundamental, e o sentido do “pertencimento clubístico” estava justamente na negação do outro. Nesse sentido, instigou-me a necessidade e desejo de realizar um estudo que se voltasse para um clube “pequeno” do interior de Minas, que essas relações podem se apresentar de maneiras diferentes.

A intenção é trazer ao debate questões que estruturem e tomem como referência discussões acerca do futebol em relação à construção e participação dos indivíduos. Abordar aspectos relacionados ao torcer, compreendendo como se configura esse torcer em um clube do interior visto que, tais percepções se dão em um universo específico apresentando características “regionalizadas” do futebol, deslocando o olhar dos “grandes centros”, e dos “grandes” times, percebendo como isso acontece numa dinâmica, pelo menos espacial, de menor porte.

Diante disso, até então foi possível perceber que ofutebol na cidade de Governador Valadares, e principalmente no que diz respeito ao torcer pelo Esporte Clube Democrata, se apresenta como um canal de identificação e reconhecimento dos torcedores com a cidade, dentro de uma composição que auxilia na compreensão de processos de inclusão e exclusão territorial, social e político, mediante a construção de identidades locais e regionais.

A cidade se põe em festa quando o time vai jogar. Nas ruas as pessoas criam expectativa sobre os times que irão enfrentar o Democrata, placares, reforços e novas contratações. É perceptível a movimentação das pessoas nos diversos espaços que compõe a cidade. Nos bares próximos ao clube são distribuídos panfletos com a tabela de jogos. O carro se som bem cedo anuncia que a “Pantera”, mascote do time, vai entrar em campo em breve e convoca todos para apoiar o clube.

Muitos torcedores torcem pelo Cruzeiro Esporte Clube e Clube Atlético Mineiro, que são os dois “grandes” do estado de Minas Gerais. Tanto que é comum em dias de jogos tanto do Cruzeiro Esporte Clube quanto do Clube Atlético Mineiro em Governador Valadares para enfrentar o Democrata, a torcida ser uma só. Vibram e torcem para os dois times além do Democrata. Mas quando perguntados para quem torcem quando os times se enfrentam, dizem que pelo Democrata, pois “é o time da nossa cidade”.

A relação dos torcedores com o clube se estabelece muito pela relação e identificação desse torcedor com a própria cidade. Que ao mesclar sentimentos clubísticos e a relação/tradição com a cidade, o futebol cria elos de interação que permitem a concentração e reprodução dos afetos, os códigos e conflitos que permeiam as falas, os gestos, as histórias, e as experiências das pessoas, além do clube se apresentar como um lugar privilegiado para encontros e aproximações em um espaço de sociabilidade.

Como citar

SILVA, Tiago Felipe da. O torcer no interior de Minas Gerais: da relação do torcedor com o clube em um time do interior…. Ludopédio, São Paulo, v. 12, n. 6, 2010.