92.9

Os “modinhas” do Futebol: o caso Barça

Wallace Brito

No futebol, o processo de “torcer” para um time ocorre de duas maneiras principais. A primeira é hereditária, ou seja, o indivíduo torce para o time que sua família torce (e na quase totalidade dos fatos, influenciado pela figura paterna), daí vem a expressão “nascer” flamenguista, vascaíno, corintiano, e por ai vai…. A segunda maneira é a pessoa, por conta própria, escolher o time para qual vai torcer; e é nessa segunda maneira que surgem os chamados “modinhas” (pois é bem difícil torcer nascer torcedor de um time da Europa uma vez que a pessoa é de outro continente). Um torcedor modinha é aquele que torce para uma equipe que está em evidência, ganhando títulos, tendo os melhores jogadores, e etc. Ouço muito de quem se diz ser apaixonado por futebol, que os modinhas são um mal pro futebol, pois eles só torcem pra determinado time porque este time está em destaque. Dentro desse contexto, creio que este fenômeno fica bem explícito quando é relacionado aos times de futebol da Europa, como, por exemplo, o F.C Barcelona.

O time Catalão foi o que mais conquistou títulos nos últimos 10 anos, ao total foram 28 no período de 2006-2016. Considerando o bom destaque que as emissoras brasileiras dão para as competições internacionais que disputam os clubes europeus, como a UEFA Champions League, e também a atual e grande cobertura dos campeonatos nacionais também da Europa, as equipes europeias veem ganhando cada vez mais adeptos no mundo inteiro. No Brasil, o Barça é o time estrangeiro com mais torcida, segundo uma pesquisa feita pelo Instituto Paraná Pesquisas. Ouvidas 4.024 pessoas de cidades de todas as regiões do país com faixa etária a partir dos 16 anos, 17,6% disseram que torcem para a equipe de Messi, Suárez e Neymar. Ainda segundo a pesquisa, os jovens estão entre aqueles que mais ajudaram a favorecer o percentual de torcida para o clube catalão, fato esse que pode ser decisivo para esse público ser chamado de “modinha”.

1024px-messi_vs_atlante

Messi é um dos grandes ícones do Barcelona. Foto: Wael Mogherbi.

Muitos “torcedores” de outras equipes da Europa enxergam os torcedores do Barcelona como modinhas porque estes, sendo a maioria jovens, estão vendo a melhor fase de seu time na história, ganhando títulos, prestígio, etc. Por exemplo, se o Real Madrid C.F estivesse em evidência nos últimos 10 anos, seria a torcida merengue a estrangeira maior do Brasil. O que as pessoas que pensam assim não entendem é que o processo de “torcer” para um time europeu em países de outro continentes, como o Brasil, na quase totalidade das vezes, se dá de forma independente, e um fator importante para a escolha é o momento pelo qual a equipe está passando. Como o Barça é o clube que conquistou maior destaque nos últimos anos, é proporcional o público jovem torcer para esta equipe.

Apesar de certos exageros de torcedores que não admitem que o futebol seja algo de todos e que, por isso, se acham “donos” do esporte, o mais importante é não discriminar quem está a procura de um time pra torcer. Se alguém vai torcer pro Barça, Real, PSG, Bayern, não por sua história, mas pelo seu momento, que o deixem torcer, pois o futebol deve ser de todos. Porque se não fosse assim, todos nós seriamos “modinhas” do clube da Europa para qual torcemos, pois, uma vez desconsiderado o fator hereditário, o momento do time é o fator mais importante na escolha de um clube da Europa, e um dia foi assim que aconteceu conosco.