128.28

Poesia de uma perna só

Cláudia Samuel Kessler

Veio ao mundo peralta
Alegre, faceira, claudicante
Meio sem jeito, aprendeu a engatinhar
Foi ganhando seu espaço
Pequena, marota, a saltitar

Pulou daqui, pulou de lá
E veio parar no Ludopédio
Buscou na rima seu remédio
Sem saber como parar

Queria muito melhorar
E fez da rima uma obstinação
Cada verso, cada forma, cada jeito
Cada pedaço, cada linha
Dava voz à exceção

Contra qualquer evidência
Neste mundo de eficiência
Com ginga e malemolência
Iniciou uma revolução!

 

Composição a partir de figura de livre acesso de FreePics

 

Como citar

KESSLER, Cláudia Samuel. Poesia de uma perna só. Ludopédio, São Paulo, v. 128, n. 28, 2020.