126.30

Presidente da República, fundador e goleiro: Café Filho e o Alecrim/RN

Gabriel de Oliveira Costa

A história de Café Filho está interligada em duas direções. A política e a esportiva, ambas de extrema relevância para o brasileiro. Sucedendo Getúlio Vargas após seu suicídio, Café Filho presidiu o Brasil em 1954 e 1955. Antes de ser político, o potiguar nascido em 1899, foi um dos fundadores do Alecrim Futebol Clube, em 1915. Também foi único chefe de estado a ter jogado profissionalmente futebol, e, curiosamente, em seu clube de coração.

Café Filho foi um dos fundadores do Alecrim/RN e posteriormente goleiro de seu clube.

Alecrim

Em meio à crescente tendência do futebol no Rio Grande do Norte na segunda década do século XX, em especial em 1915, depois de o ABC, em junho, e o América/RN, em julho, em agosto nascia o Alecrim. Café Filho junto de mais dez rapazes fundaram o esmeraldino, na casa de Cel. Solon de Andrade, no bairro de Alecrim, que foi a inspiração do nome do clube.

Time que inicialmente era composto por populares, serviu de oposição à elite do futebol local, o ABC e o América/RN. Três anos após sua fundação, Café Filho foi o goleiro do clube em 1918 e 1919. O pioneirismo do jovem Café era ressaltado por sua liderança, ainda que aos 17 anos, em Recife, organizara um amistoso do Santa Cruz x ABC. Este amistoso em 1916 é marcado como o primeiro encontro interestadual de futebol no Rio Grande do Norte.

Sem grandes registros na época de goleiro no Alecrim, apenas um campeonato regional era participado pelo clube. Apesar de atuar como goleiro, também era Vice-Presidente do Centro Esportivo Natalense. Ainda que sua carreira nos campos fosse limitada, Café criou um grupo feminino no Alecrim, onde consequentemente conheceu sua esposa, Jandira de Oliveira.

Com uma comprovada liderança antes de ser político, Café prestou um relato em seu livro: “Do Sindicato ao Catete: memórias políticas e confissões humanas”.

Nunca tive uma sorte absoluta, mas apenas relativa, por assim dizer, compensadora dos meus fracassos. O arqueiro que, certa vez, me substituiu, deixou que os adversários fizessem doze goals contra o nosso time, enquanto eu deixara a bola passar nas traves apenas dez vezes.

Presidência

Aos 22 anos, Café Filho ingressou na política brasileira. Vice-Presidente na “Era Vargas” (1951/54), sucedeu Getúlio após seu suicídio em 1954. Por dois anos, presidiu o Brasil, em um período de forte instabilidade durante a evolução dos meios de comunicação no país. Sempre ressaltando estar no cargo temporariamente, antes de deixar a presidência, Café passou por um problema cardíaco em 55. Um ano e 76 dias frente ao cargo, Café Filho passou o bastão para Carlos Luz.

Legado

Portanto, ainda que João Goulart tenha jogado na base do Internacional e Fernando Collor tenha presidido o CSA/AL, Café Filho foi o primeiro, certamente o único Presidente a jogar profissionalmente. Em fevereiro de 1970, Café Filho faleceu no Rio de Janeiro aos 71 anos.