122.34

Santi Fretes, o craque sem limites do Racing

Thiago Rosa

Estádio Presidente Perón, Avellaneda, maio de 2016. Mais de 30 mil pessoas acompanham a partida entre Racing Club e Temperley, jogo que marca a despedida do atacante Diego Milito. Ao som do apito do árbitro, o craque argentino começa a dar voltas no gramado para ser ovacionado pelos torcedores. Em um canto, um pequeno torcedor se esforça para superar obstáculos e reverenciar seu ídolo. Ali estava Santiago Fretes, protagonista de uma imagem que mostrou como o futebol é muito mais do que um jogo.

Santiago nasceu com uma má-formação genética e, por conta disso, teve de amputar a perna direita. Isso, porém, não o impediu de acompanhar seu time do coração, jogar futebol com maestria, andar de bicicleta, praticar Taekwondo e comover a todos com sua força de vontade.

Naquele dia, Santiago quis apenas observar o adeus de seu ídolo. E não era para menos. Revelado pelo Racing, Milito ganhou tudo na Inter de Milão e, ao voltar à Argentina, ajudou o clube a se sagrar novamente campeão em 2014. Quis o destino, porém, que o garoto não passasse despercebido. Fotografado vendo o jogo por cima de uma mureta de segurança e emprestando uma de suas muletas a um amigo, viu-se – quase como uma metáfora – o que há de mais belo no esporte: a amizade e a superação.

“Eu estava vendo o Milito dar a volta no campo, mas meu amigo não alcançava, ficava pulando para tentar olhar por cima do muro. Então emprestei uma de minhas muletas para ele subir. Eu sempre subo para poder alcançar”, disse Santiago, em entrevista ao jornal El Argentino Zona Norte. Veio de Sabrina Bonomo, a mãe do menino, a ideia de tirar a foto do filho com Yamil, o amigo. Um sequer sabia o nome do outro, disse ela. Eram apenas duas crianças contemplando um momento único. Não demorou para a imagem ganhar o mundo através das redes sociais.

Muita coisa mudou na vida do garoto de Pilar (cidade a 58 km de Buenos Aires) desde aquele dia. Ele ganhou uma prótese, passou a participar do Racing Integrado – um programa de desenvolvimento coordenado pelo clube – e integrou a equipe argentina de amputados. O próprio Milito, em reportagem recente do jornal Clarín, fez questão de participar de uma reconstituição da imagem. “Agora eles são meus ídolos”, disse o craque.

Imagem original e reconstituição do momento. Foto: Reprodução/Twitter

Santiago se tornou figura marcante e procurada por jornalistas nos jogos do clube de Avellaneda. Em setembro de 2017, na partida contra o Corinthians pela Sul-Americana, foi filmado dando um drible desconcertante em um marcador. O vídeo foi parar nas redes sociais, novamente repercutiu no Twitter e Facebook e foi compartilhado por ídolos do esporte, como Neymar e o astro do basquete Michael Jordan.

No começo deste ano, Santi e outros mais de 1,8 milhão de argentinos tiveram mais uma razão para sorrir. Afinal, o Racing conquistou o título argentino da temporada 2018/2019, o 18º de uma rica e vitoriosa história. O feito foi devidamente registrado pela mãe do garoto nas redes sociais. “Amor puro e de campeões”, escreveu Sabrina no Twitter.

Santi detém com orgulho o título de atual campeão argentino de futebol. A paixão do garoto pelo Racing e seu talento com a bola chamam tanto a atenção quanto a forma como ele supera os obstáculos do dia a dia. Com apenas 13 anos, o garoto é um craque no futebol e na vida.