A bola corre mais do que os homens

Autores

Roberto DaMatta

Editora

Rocco

Cidade

Rio de Janeiro

Páginas

216

Ano

2006

ISBN

853252060X

Sumário

Prefácio, 7

Introdução, 9

Copa do Mundo de 1994
A bola corre mais do que os homen
s, 19
26 crônicas publicadas no Jornal da Tarde entre 13 de junho e 15 de julho

Copa do Mundo de 1998, 75
Crônicas publicadas no Jornal da Tarde entre 8 e 13 de julho.

Treze crônicas, 89

Três ensaios, 133
Antropologia do óbvio: um ensaio em torno do significado social do futebol brasileiro, 135

Em torno da dialética entre igualdade e hierarquia: notas sobre as imagens e representações dos Jogos Olímpicos e do futebol no Brasil, 172

O técnico e o futebol, 205

Sinopse

Roberto DaMatta é um caso único no meio acadêmico brasileiro, pois conseguiu conciliar o respeito de seus pares com a estima do grande público. É o pensador mais citado em teses e ensaios no campo das ciências sociais, colunista do jornal O Globo e personalidade muito requisitada pelos meios de comunicação para fazer o que ele sabe fazer como ninguém: explicar o Brasil para os próprios brasileiros.
Dono de um estilo fluente e bem-humorado, ele tem a habilidade de ensinar como “quem não quer nada”, como quem bate papo e divide com os amigos descobertas e assombros. “Sempre brilhante e original”, como reconhece a professora Lívia Barbosa, na orelha deste seu livro sobre futebol que pode ser lido com prazer e proveito mesmo por quem não gosta do esporte, DaMatta faz inferências que surpreendem favoravelmente até mesmo os especialistas do gênero, como Armando Nogueira — um dos maiores cronistas esportivos de todos os tempos — responsável pelo prefácio desse A bola corre mais que os homens. Título que, por sinal, faz referência ao inimitável Didi, inventor da “folha seca”.
A presente coletânea conjuga uma série de textos produzidos para a imprensa, em especial para os jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde, por ocasião da cobertura das Copas de 94 e 98, com ensaios produzidos para publicações acadêmicas. Essa inesperada fusão do popular com o erudito é efetuada com maestria por Roberto DaMatta, produzindo um livro capaz de agradar tanto os fanáticos por futebol, quanto os interessados em antropologia e outras ciências sociais. É um livro que pode ser lido por divertimento, ou em busca de subsídios para pesquisas acadêmicas ou jornalísticas. É também o depoimento de um torcedor, igual a todo e qualquer brasileiro que, neste momento de Copa do Mundo, veste uma camisa amarela e saí por aí, reaprendendo a amar esse Brasil contraditório e difícil, porém sempre fascinante.

Referência

DAMATTA, Roberto. A bola corre mais do que os homens. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.