A construção e desconstrução de narrativas midiáticas de idolatria futebolística

Autores

Lucas Lopes Albuquerque Bastos

Subtítulo

um estudo de caso sobre Adriano, o "Imperador"

Orientador

Ana Paula Bragaglia

Banca

Marco Antônio Roxo da Silva, Ronaldo George Helal

Faculdade / Instituição

Instituto de Arte e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Comunicação

Ano

2016

Páginas

207

Cidade

Niterói

Resumo (pt)

Essa dissertação busca compreender como se dá a influência das narrativas midiáticas da imprensa esportiva nos processos de construção e desconstrução de ídolos futebolísticos na contemporaneidade. Para atingir os objetivos de pesquisa investiga-se os interesses que a mídia poderia atender em suas narrativas acerca desses jogadores, a partir de conceitos como indústria cultural e sociedade do espetáculo. Também explorase o perfil multifacetário do ídolo futebolístico contemporâneo a partir dos conceitos de mito, herói e celebridade, assim como a relação entre o futebol e a identidade nacional brasileira. Para tanto, realiza-se um estudo de caso sobre o jogador Adriano, a partir das análises de conteúdo e de discurso das reportagens veiculadas pelos jornais Extra e O Globo em diferentes momentos da carreira do atleta. Essa análise revela variações no tratamento dado à Adriano pela imprensa mediante principalmente a oscilações no desempenho esportivo do jogador mas também pela adequação ou não da conduta social e comportamental do atleta às diretrizes de produção de conteúdo desses veículos.

Abstract

This dissertation seeks to understand how is the influence of the media narratives of the sports press in the processes of construction and deconstruction of football idols nowadays. To achieve the research objectives investigates the media concerns that could fit in their narratives about these players, from concepts such as culture industry and the society of spectacle. It also explores the multifaceted profile of contemporary football idol from the concepts of myth, hero and celebrity, as well as the relationship between football and the Brazilian national identity. The study presents a case study on Adriano, from the analysis of content and discourse of articles published in the newspapers Extra and O Globo in different athlete career moments. This analysis reveals variations in the treatment given to Adriano by the press mainly to fluctuations in the sporting performance of the player but also the adequacy or not of social and behavioral conduct of the athlete to the content of these vehicles production guidelines.

Sumário

INTRODUÇÃO, 13

1 – INDÚSTRIA CULTURAL E A ESPETACULARIZAÇÃO DE VIDAS HUMANAS, 19
1.1 Sociedade de Massa, Cultura de Massa e os Meios de Comunicação de Massa, 20
1.2 A Indústria Cultural: conceituação e problematizações, 26
1.2.1 O esquema produtores-consumidores dentro da cultura de massa: o diálogo entre o prolixo e o mudo, 28
1.2.2 Adequação à Média: a busca de um denominador comum em meio ao público, 32
1.2.3 Estereotipização e fórmulas prontas: a criação-industrializada, 37
1.3 O espetáculo como ferramenta a serviço da indústria cultural, 44

2 – DO MITO À CELEBRIDADE: O PERFIL DO ÍDOLO FUTEBOLÍSTICO CONTEMPORÂNEO E SUA RELAÇÃO COM OS FÃS, 58
2.1 O Mito, 59
2.2 O Herói, 66
2.3 O star-system e a celebridade, 69
2.4 Identidade, Carisma e Narcisismo, 76

3 – FUTEBOL E BRASIL: UMA ANÁLISE DO ESPORTE E SUAS RELAÇÕES COM A IDENTIDADE NACIONAL BRASILEIRA, 88
3.1 A pátria de chuteiras: um breve panorama histórico e sociológico sobre o desenvolvimento do futebol no Brasil, 89
3.1.1 As origens do futebol no Brasil: a influência estrangeira, 89
3.1.2 Transformações: a elite e as massas disputam o futebol, 92
3.1.3 A profissionalização chega ao futebol, 94
3.1.4 Do Maracanazo ao tri-campeonato: a pátria de chuteiras chora, comemora e se consolida, 97
3.1.5 O futebol moderno: a globalização atinge o esporte e o Brasil, 101
3.2 Futebol e identidade nacional: porque o futebol é tão importante para o Brasil?, 104
3.2.1 Simplicidade e imprevisibilidade: o futebol é fácil de jogar e assistir, 105
3.2.2 A malandragem no futebol: o drible como solução para os problemas de uma nação, 107
3.2.3 Todos são iguais perante o futebol, 109
3.2.4 Sobre o “complexo de vira-latas” e a alegria de sermos os melhores do mundo: os extremos brasileiros, 112
3.3 O Futebol como negócio: o marketing esportivo e os ídolos como ferramenta de marketing, 115
3.3.1 Marketing e marketing esportivo: uma breve conceituação, 115
3.3.2 Entre vitórias e derrotas, o negócio futebol persiste, 118
3.3.3 Os ídolos futebolísticos dentro do marketing esportivo, 119
3.4 A imprensa esportiva e as narrativas futebolísticas, 123
3.4.1 Explicando o jogo: como o jornalismo dá sentido ao futebol, 123
3.4.2 As crônicas e os cronistas: o futebol encontra seu espaço no jornalismo brasileiro, 126
3.4.3 Os jogadores dentro da crônica futebolística, 128

4 -A CONSTRUÇÃO E DESCONSTRUÇÃO MIDIÁTICA DE UM ÍDOLO FUTEBOLÍSTICO: O CASO ADRIANO, 131
4.1 Metodologia do estudo de caso, 131
4.2 Surge um novo herói brasileiro: o “tanque” Adriano, 139
4.3 – O “malandro” Adriano se destaca na imprensa, 149
4.4 – O Imperador x “pessoas ruins”: a celebridade Adriano tem sua imagem abalada, 160
4.5 – O ocaso de Adriano: o último feito do herói, 179
4.6 – De Mito à nota de rodapé: sistematizando os mecanismos de construção e desconstrução midiática da idolatria à Adriano, o Imperador, 183

CONCLUSÃO, 188

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 195

ANEXOS, 204
Anexo I – Estatísticas Julho de 2004 (EXTRA E O GLOBO), 204
Anexo II – Estatísticas Dezembro de 2009 (EXTRA E O GLOBO), 205
Anexo III – Estatísticas Março de 2010 (EXTRA E O GLOBO), 206
Anexo IV – Estatísticas Novembro de 2011 – (EXTRA E O GLOBO), 207

Referência

BASTOS, Lucas Lopes Albuquerque. A construção e desconstrução de narrativas midiáticas de idolatria futebolística: um estudo de caso sobre Adriano, o "Imperador". 2016. 207 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Instituto de Arte e Comunicação Social, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016.