A economia cultural do futebol brasileiro no século XXI: comodificação, hibridez e contradições

Autores

Ana Carolina Vimieiro, Alice Queiróz, Giovana Maldini, Maria Carolina Martins

Periódico / Revista

Recorde: Revista de História do Esporte

Cidade

Rio de Janeiro

Volume

v. 12

Número

n. 1

Páginas

p. 1-34

Ano

2019

ISSN

1982-8985

Resumo (pt)

Esse trabalho analisa historicamente o que estamos chamando de ondas de mercantilização do futebol brasileiro, com foco na última onda que se iniciou nos anos 2000, e explorando em detalhes o papel que o sistema de mídia teve na constituição de uma nova economia cultural do setor. Para tal análise, partimos das críticas feitas por Dubal (2010) e Moor (2007) à forma como os processos de neoliberalização e o conceito de comodificação são adotados nos estudos da sociologia do esporte para dialogarmos com a obra do culturalista latino-americano Néstor García Canclini e sua noção de hibridação, o que nos permite, então, abordar essa trajetória de inserção de valores de mercado no futebol como um processo cheio de contradições, conflitos e contestação. Empiricamente, analisamos quatro aspectos tradicionalmente trabalhados nos estudos de economia política do futebol: a) mudanças nas regras dos campeonatos; b) na legislação; c) na arquitetura, atmosfera e administração de estádios; e d) na distribuição das receitas, com os direitos de TV tendo papel central no processo de hipercomodificação do esporte. Finalizamos o artigo analisando as contradições e conflitos que emergiram durante a última onda de mercantilização do futebol brasileiro.

Palavras-chave: sociologia do esporte; economia política do futebol; comodificação; neoliberalização; direitos de TV

Abstract

This article historically analyses what we are calling waves commodification of Brazilian football, focusing on the last wave that began in the early 2000s, and exploring in detail the role that the media system played in the constitution of a new cultural economy of the sector. For this analysis, we start from the criticisms offered by Dubal (2010) and Moor (2007) to the way the processes of neoliberalization and the concept of commodification are adopted in the sociology of sport to dialogue with the work of the Latin American culturalist Néstor García Canclini and his notion of hybridization, which allows us to approach this trajectory of insertion of market values in football as a process full of contradictions, conflicts and contestation. Empirically, we analyse the four traditional aspects studied in the political economy of football: a) changes in the rules of the championships; b) in legislation; c) architecture, atmosphere and stadium administration; and d) the distribution of revenues, with the broadcast rights playing a central role in the hypercommodification of the sport. Closing the paper, we analyse the contradictions and conflicts that have emerged in the last wave of commodification of Brazilian football.

Keywords: sociology of sport; political economy of football; commodification; neoliberalization; broadcasting rights

Referência

VIMIEIRO, Ana Carolina; QUEIRóZ, Alice; MALDINI, Giovana; MARTINS, Maria Carolina. A economia cultural do futebol brasileiro no século XXI: comodificação, hibridez e contradições. Recorde: Revista de História do Esporte. Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 1-34, 2019.