A formação do jogador de futebol no Sport Club Internacional (1997-2002)

Autores

Francisco Xavier Freire Rodrigues

Orientador

Enno Dagoberto Liedke Filho

Banca

José Carlos dos Anjos, Benedito Tadeu Cesar, Élio Salvador Carravetta

Faculdade / Instituição

Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Sociologia

Ano

2003

Páginas

200

Cidade

Porto Alegre

Resumo (pt)

O trabalho investiga o processo de formação do jogador de futebol no SC Internacional (1997-2002) sob o modelo globalista, desnaturalizando a profissão como resultado apenas de “vocação” e “dom”. Verifica o nível sócio-econômico-educacional dos jogadores. Identifica os critérios técnicos e sociais na seleção de jogadores que ingressam no clube, bem como as fontes sociais das motivações e expectativas profissionais dos atletas. Analisa a concepção dos jogadores sobre o fim do “Passe”. As motivações profissionais são: possibilidade de ganhar altos salários, jogar na seleção brasileira, incentivo da família e dom. As expectativas são jogar no (a/s): profissionais do Internacional, seleção brasileira, futebol do eixo Rio-São Paulo e exterior. Habilidade, força física, estatura elevada, capacidade técnica e disposição de treinamentos são critérios para se tornar jogador de futebol. A pesquisa revela que a formação do jogador consiste num processo de ensino-aprendizagem teórico-prático, disciplinado por meio de treino físicos, técnicos e táticos e aprimoramento do talento. Não se trata apenas do despertar e lapidar aptidões e atributos naturais (dom, vocação). Constitui um processo civilizatório de incorporação de um habitus futebolístico típico deste clube. As duas concepções dominantes entre os atletas sobre o fim do “Passe” são antagônicas: (1) liberdade de trabalho e (2) desemprego.
Palavras-chave: Futebol, formação profissional, Jogador de futebol, SC Internacional.

Abstract

The work investigates the process of the soccer player”s formation in International SC (1997-2002) under the model global, denaturalizing the profession as just resulted of “vocation” and “talent”. It verifies the partner-economical-education level of the players. It identifies the technical and social criteria in the players” selection that enter in the club, as well as the social sources of the motivations and the athletes” professional expectations. It analyzes the players” conception on the end of the “Pass”. The professional motivations are: possibility to win high wages, to play in the Brazilian selection, incentive of the family and talent. The expectations are to play in the: professionals of the International, Brazilian selection, soccer of the Rio-São Paulo area and external. Ability, forces physics, high stature, technical capacity and disposition of trainings are criteria to turn soccer player. The research reveals that the player”s formation consists of a theoretical-practical teaching-learning process, disciplined through training physicists, technicians and tactical and improvement of the talent. It is not just treated of the awakening and to cut the natural aptitudes and attributes (talent, vocation). It constitutes a process civilizing of incorporation of a habitus typical futebolístico of this club. The two dominant conceptions among the athletes on the end of the “Pass” are antagonistic: (1) work freedom and (2) unemployment.
Keywords: Soccer, professional formation, soccer player, International SC.

Sumário

INTRODUÇÃO, 14
1 POR UMA SOCIOLOGIA DO FUTEBOL BRASILEIRO, 21
1.1 Um breve relato histórico sobre o futebol no Brasil, 21
1.1.1 Os primeiros chutes: os clubes urbanos e ingleses, 21
1.1.2 Amadorismo e elitismo: futebol como distinção social, 23
1.1.3 Democratização e profissionalismo, 24
1.1.4 Consagração do “estilo brasileiro” de jogar futebol, 25
1.1.5 Modernização e comercialização do futebol, 27
1.2 O que as ciências sociais brasileiras têm a dizer sobre futebol, 28
1.2.1 Os primeiros estudos: os clássicos, 29
1.2.2 A produção recente: autores e temas, 34
1.2.3 Correntes teóricas e desafios teórico-metodológicos, 40
1.2.4 Lacuna na literatura, 44
2 SOCIOLOGIA DO ESPORTE, SOCIOLOGIA DO TRABALHO E TEORIA SOCIAL, 46
2.1 A sociologia do esporte, 46
2.1.1 A construção social do esporte moderno, 48
2.1.2 Do homos ludens ao homos economicus: esporte-lazer e esporte profissional, 50
2.1.3 Jogo é jogo, treino é treino, 52
2.2 Teoria social e a análise do esporte, 55
2.2.1 A construção social da corporalidade, 55
2.2.2 Disciplina, poder e corpo: notas sobre a teoria de Michel Foucault, 59
2.2.2.1 Poder e corpo, 59
2.2.2.2 Disciplina e a produção do corpo na modernidade, 60
2.2.2.3 A produção social do soldado e do jogador de futebol, 62
2.2.3 Campo e habitus: aplicando a teoria de Bourdieu à análise do futebol, 63
2.2.3.1 Conceito de campo, 63

2.2.3.2 Habitus – conceituação, 65

2.2.3.3 Autonomização do campos artístico e futebolístico: profissionalização do artista e do jogador de futebol, 66
2.2.4 Desporto e civilização: a perspectiva de Norbert Elias e Eric Dunning, 68
2.2.5 Dom e vocação: o cientista e o jogador de futebol, 70
2.3 A sociologia do trabalho aplicada ao futebol, 73
2.3.1 Formação profissional na perspectiva da sociologia do trabalho, 73
2.4 Futebol: um caso específico de profissionalização?, 75
2.4.1 A teoria mecanicista, 76
2.4.2 A teoria globalista, 76
3 PROFISSIONALIZAÇÃO E MODERNIZAÇÃO NO FUTEBOL BRASILEIRO, 80
3.1 Profissionalização no futebol brasileiro, 80
3.2 Modernização no futebol brasileiro, 84
3.2.1 O Estado brasileiro e o futebol, 85
3.2.2 O Clube dos Treze, 89
3.2.3 A Lei Zico, 90
3.2.4 A Lei Pelé, 92
3.3 O futebol científico no Brasil, 93
3.3.1 A Copa do Mundo de 1966: o futebol-força e a crise do futebol-arte, 96
3.4 Os centros de treinamentos e o jogador de laboratório, 98
3.5 Manuais de conduta: o jogador disciplinar, 101
3.6 Futebol se aprende na escola, 103
4 MODERNIZAÇÃO E FUTEBOL CIENTÍFICO NO SPORT CLUB INTERNACIONAL, 110
4.1 O Sport Club Internacional: um breve histórico, 110
4.1.1 A fundação do Sport Club Internacional, 110
4.1.2 O princípio democrático: aceitação de jogadores negros, 111
4.1.3 Democracia e profissionalização: o caso Tesourinha, 113
4.2 O processo de modernização no Sport Club Internacional, 116

4.2.1 O futebol científico chega ao Beira-Rio, 116

4.2.2 A intervenção da psicologia na formação de jogadores, 117
4.2.3 Os projeto do “Super Coordenador Técnico” João Paulo Medina, 118
4.2.4 Novos modelos de treinamento, 118
4.3 A escolinha de futebol do Sport Club Internacional, 121
4.4 O sistema holístico de recrutamento e formação de jogadores: Comparando o SC Internacional e o Ajax F.C., 124
5 A FORMAÇÃO DO JOGADOR DE FUTEBOL NO SC INTERNACIONAL, 129
5.1 Elementos do processo de formação do jogador de futebol, 129
5.1.1 Idade dos jogadores, 129
5.1.2 Categorias, 130
5.1.3 Escolaridade dos jogadores e dos pais, 131
5.1.3.1 Escolaridade dos jogadores, 131
5.1.3.2 Escolaridade dos pais dos jogadores, 133
5.1.4 Renda familiar e do jogador, 134
5.1.5 Concepção dos jogadores sobre aprendizagem de futebol, 136
5.1.6 Motivação profissional, 141
5.1.7 Expectativa profissional, 143
5.2 Mecanismos de seleção e agenciamento de jogadores, 145
5.2.1 Seleção de talentos para categorias de base: as peneiras, 147
5.2.2 Seleção para reforço da equipe profissional: as contratações, 147
5.2.3 Concepção dos jogadores sobre os critérios para se tornar jogador de futebol, 148
5.3 Poder e controle no processo de formação do jogador de futebol, 150
5.3.1 Sacrifícios na formação do jogador de futebol, 150
5.3.2 Mecanismos de disciplinamento do jogador de futebol, 152
5.3.3 Punições, 154
5.3.4 O passe como mecanismo de controle: a visão dos jogadores sobre o fim do passe, 155
5.4 O sistema holístico e o novo jogador de futebol no SC Internacional, 159
5.4.1 Os novos modelos de treinamento, o cine-vídeo, a psicologia e o serviço social, 159
5.4.2 Relação técnico-jogador, 160
5.4.3 Esquemas táticos, 161
5.4.4 Dom e aprendizagem, 163
5.4.5 A construção do habitus futebolístico do Sport Club Internacional, 165
 
CONCLUSÃO, 169
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 180
ANEXOS, 190

Referência

RODRIGUES, Francisco Xavier Freire. A formação do jogador de futebol no Sport Club Internacional (1997-2002). 2003. 200 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.