A mercantilização do futebol brasileiro

Autores

Julio Cesar de Santana Gonçalves

Subtítulo

instrumentos, avanços e resistências

Orientador

Cristina Amélia Carvalho

Banca

Rosimeri de Fatima Carvalho da Silva, Sérgio Alves de Sousa

Faculdade / Instituição

Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Pernambuco

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Administração

Ano

2005

Páginas

163

Cidade

Recife

Resumo (pt)

Este trabalho tem o objetivo de identificar o papel da expansão da lógica de mercado e da adoção de um modelo empresarial na condução de um processo de desinstitucionalização do campo do futebol no Brasil. Para tanto, foi utilizada como marco teórico a teoria institucional, os conceitos de racionalidade intrumental e substantiva, e a transformação do esporte em negócio. O procedimento metodológico está fundamentado numa abordagem qualitativa dos dados primários e secundários coletados. O trabalho conclui que em razão da alteração da lógica de ação, de substantiva para “de mercado”, o conjunto das ações e das características das entidades futebolísticas brasileiras incorporaram elementos comuns ao universo empresarial. As relações centram-se na impessoalidade; criam-se e são desenvolvidas estratégias de controle que assegurem o alcance dos objetivos, assim como ações mercantis modernizantes; e a gestão considerada “legitimada” é aquela que se dá sob os moldes empresariais, e não mais no amadorismo. A alteração de normas e valores institucionais, e as mudanças nas interações entre os parceiros nesse campo contribuem para a erosão e a dissipação de normas e práticas institucionalizadas, implicando numa nova legitimidade, a dos “negócios”. Tal cenário, porém, enfrenta a resistência de agentes tradicionais como os “dirigentes cartolas”, torcedores e elementos de tradição dos clubes que, somados, acredita-se, constituem-se motivos ou razões para uma possível reinstitucionalização ainda não ocorrer.

Palavras-chave: Futebol Brasileiro. Mercado. Mudança Institucional.

Abstract

This work has the objective to identify the paper of the expansion of the logic of market and the adoption of an enterprise model in the conduction of a process of deinstitutionalization of the field of the soccer in Brazil. For in such a way, it was used as theoretical landmark the institucional theory, the concepts of intrumental and substantive rationality, and the transformation of the sport in business. The metodologic procedure is based on a qualitative boarding of collected the primary and secondary data. The work concludes that in reason of the alteration of the action logic, of substantive it stops “of market”, the set of the actions and of the characteristics of the Brazilian football entities they had incorporated common elements to the enterprise universe. The relations are centered in the impersonal actions; they are created and they are developed strategies of control that assure the reach of the objectives, as well as moderns mercantile actions; and the considered management “legitimated” is that one that if gives under the enterprise molds, and not more in the practical and amateur actions. The institucional alteration of norms and values, and the changes in the interactions between the partners in this field contribute for the erosion and the waste of institutionalized practical norms and, implying in a new legitimacy, of the “businesses”. Such scene, however, faces the resistance of traditional agents as the “controllers amateus”, twisted and elements of tradition of the clubs that, added, are given credit, consist reasons or reasons for a possible reinstitutionalization still not to occur.

Word-key: Brazilian football. Market. Institucional change.

Sumário

1. Introdução, 14
1.1 Objetivos, 21
1.1.1 Objetivo geral, 21
1.1.2 Objetivos específicos, 21
1.2 Justificativas, 22

2. Fundamentação Teórico-Empírica, 24
2.1 A abordagem institucional: pressupostos centrais, 24
2.1.1 Contextos técnico e institucional, 30
2.1.2 O conceito de instituição e o processo de institucionalização, 33
2.1.3 Campo organizacional e contexto de referência, 42
2.1.4 Mudança institucional: processos de desinstitucionalização e reinstitucionalização, 46
2.2 Os construtos racionalidade e burocracia, 52
2.3 A instituição futebol: a transformação do esporte em negócio, 68

3. Metodologia, 78
3.1 Perguntas de pesquisa, 78
3.2 Definições constitutivas e operacionais das categorias analíticas do estudo, 79
3.3 Delineamento da pesquisa, 82
3.4 Instrumentos e técnicas de coleta de dados, 84
3.5 Instrumentos e técnicas de análise dos dados, 86

4. Descrição e Análise dos Dados, 88
4.1 A desinstitucionalização do futebol brasileiro, 89
4.1.1 As relações organização-ambiente, 90
4.1.2 Fatores intraorganizacionais, 96
4.1.3 As pressões para a desinstitucionalização do futebol brasileiro, 104
4.2 As mudanças nas regulações governamentais e nos valores sociais: o Estado como agente de mudança, 111
4.3 As estratégias modernizantes no atual contexto do futebol brasileiro, 127

5. Conclusões e Considerações Finais, 139
5.1 A mercantilização do futebol brasileiro, 139
5.2 Limitações e sugestões de pesquisa, 144

Referências, 147

Apêndices
Apêndice A – Correspondência aos Respondentes, 156
Apêndice B – Questionário, 157
Apêndice C – Lista de Respondentes, 160
Apêndice D – Lista de Respondentes dos quais não se obteve o retorno do instrumento de pesquisa, 162

Referência

GONçALVES, Julio Cesar de Santana. A mercantilização do futebol brasileiro: instrumentos, avanços e resistências. 2005. 163 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.