A militância político-torcedora no campo futebolístico brasileiro

Autores

Vitor Gomes

Orientador

Fernando Segura Millán Trejo

Banca

Makchwell Coimbra Narcizo, Cleito Pereira dos Santos, Flávio Munhoz Sofiati

Faculdade / Instituição

Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Sociologia

Ano

2020

Páginas

138

Cidade

Goiânia

Resumo (pt)

Esta dissertação possui como tema central o fenômeno dos coletivos de torcedores de futebol no Brasil. Em sua maioria com origem entre 2013 e 2014, atentos às transformações causadas pelo recebimento da Copa do Mundo de 2014 no país, os coletivos se formam a partir da identificação clubística e afiliação política comum entre seus integrantes. As pautas de sua atuação tratam de uma série de diferentes processos de opressão identificados no futebol brasileiro, como o machismo, a homofobia, o racismo e a elitização dos estádios. Os coletivos utilizam as redes sociais, em especial o Facebook, como principal forma de divulgação de suas ideias e ações, compartilhando características com os movimentos sociais contemporâneos em rede, abordados por Manuel Castells. A análise desta pesquisa baseia-se centralmente no conceito de campo de Pierre Bourdieu, possuindo como problema de pesquisa a investigação acerca das relações de poder e hierarquia entre os diferentes grupos de agentes localizados no campo futebolístico brasileiro. Os coletivos de torcedores, enquanto grupo outsider, em referência à dinâmica criada por Norbert Elias, recém-chegado ao campo, travam relações de disputa com agentes mais bem estabelecidos, como os grupos de comunicação e mídia, representantes do Estado, instituições esportivas e torcidas organizadas. A produção de dados foi baseada na observação das páginas digitais dos coletivos em pauta e em entrevistas realizadas com dois grupos específicos, sendo “Palmeiras Antifascista” e “Palmeiras Livre”. O saldo final aponta para a posição de marginalidade dos coletivos, ocupando posição de pouco poder e hierarquia entre os agentes analisados. Enquanto buscam disputar os discursos produzidos sobre futebol e militância política nos meios de comunicação, os coletivos encaram o clubismo como força reacionária e obstáculo à possibilidade de articulação nacional entre grupos de torcedores de diferentes clubes brasileiros, bem como as relações de tensão envolvendo o contato com torcidas organizadas.

Palavras-chave: futebol; torcedores; Brasil; política; movimentos sociais; redes sociais.

Abstract

This dissertation has as its central theme the phenomenon of soccer fan political groups in Brazil. Most of them originated between 2013 and 2014, due to the changes brought to Brazil by the reception of the 2014 World Cup, the groups were formed from the club identification and common political affiliation among its members. The guidelines to their performances deal with a series of different oppression processes identified in Brazilian soccer, such as sexism, homophobia, racism and the elitization of stadiums. These groups use social media, especially Facebook, as the main way of spreading their ideas and actions, sharing characteristics with contemporary social movements network, as described by Manuel Castells. The analysis of this research is based centrally on Pierre Bourdieu’s concept of field, which had the investigation about the power and hierarchy relations between different groups of agents located in the brazilian soccer field as a research problem. The soccer team fan groups, are new social constructions and considered outsiders, in reference to the dynamic created by Norbert Elias, engaging to dispute influence with better-established agents, such as the media and communication groups, state representatives, sports institutions and the torcidas organizadas, which hold similarities with ultras in Europe and the barras in Latin America. The production of data was based on the observation of the digital pages of all the collectives and on interviews with two specific groups, “Palmeiras Antifascista” and “Palmeiras Livre”. The results show these groups occupying a position of little influence and hierarchy among the analyzed agents. While trying to influence the discourses produced about soccer and politics in the media, the collectives will face a certain type of regionalism as a reactionary force and obstacle to the possibility of national articulation between them, the groups of fans from different brazilian clubs, as well as the tense relations involving contact with torcidas organizadas of football.

Keywords: soccer; fans; Brazil; politics; social movements; social networks.

Sumário

INTRODUÇÃO, 11

1. A LUTA TORCEDORA EM ESCALA GLOBAL: UM PANORAMA DE DISPUTAS POLÍTICAS INTERNACIONAIS NO CAMPO FUTEBOLÍSTICO, 15
1.1 O futebol inglês pós-Hillsborough: estádios para quem?, 15
1.2 Entre os fanprojekt e o caso St. Pauli na Alemanha, 20
1.3 A luta contra o “futebol moderno” na Itália, 25
1.4 O futebol europeu como ideal imposto à América Latina, 32

2. O CAMPO FUTEBOLÍSITICO BRASILEIRO: UMA ANÁLISE DE SUA HIERARQUIA INTERNA, 40
2.1 Fundamentos do conceito de campo em Bourdieu, 40
2.2 Grupos de comunicação e o capital econômico como meio de dominação, 43
2.3 Representantes do Estado: transição entre campos e autoridade, 47
2.4 CBF: entre o domínio institucional e econômico, 51
2.5 Clubes de futebol: dominantes e dominados, 54
2.6 Jogadores de futebol e mobilizações de classe, 59
2.7 Torcidas organizadas de futebol e o potencial desestabilizador da ordem, 63

3. A MILITÂNCIA POLÍTICO-TORCEDORA NO BRASIL, 71
3.1 Pioneirismo em meio à ditadura brasileira, 71
3.2 Movimentos sociais e novas configurações a partir da internet, 74
3.3 Movimentos contemporâneos de torcedores no Brasil, 77
3.4 Uma proposta de mapeamento dos coletivos de torcedores, 79
3.4.1 São Paulo, 80
3.4.2 Rio de Janeiro, 83
3.4.3 Minas Gerais, 87
3.4.4 Rio Grande do Sul, 88
3.4.5 Região Nordeste: Alagoas, Bahia, Ceará e Pernambuco, 90
3.4.6 Regiões Centro-Oeste e Sul, 94
3.5 Os coletivos contemporâneos e a tentativa de mobilização nacional, 96

4. A LUTA NA PRÁTICA: OS COLETIVOS PALMEIRAS ANTIFASCISTA E PALMEIRAS LIVRE, 100
4.1 Contexto de origem, organização interna e principais ações, 101
4.2 O antifascismo, estratégias de ação e a associação entre Jair Bolsonaro e o Palmeiras, 106
4.3 A relação com as torcidas organizadas e outros agentes do campo, 112
4.4 Possibilidades e limites de uma mobilização nacional e internacional de  torcedores, 118

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 125

REFERÊNCIAS, 130

Referência

GOMES, Vitor. A militância político-torcedora no campo futebolístico brasileiro. 2020. 138 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2020.