A palavra-chave racismo e suas relações lexicais

Autores

Paulo Henrique Caetano

Subtítulo

uma análise crítica dos discursos sobre relações raciais brasileiras em corpus de jornal impresso

Orientador

Celia Maria Magalhães

Banca

Cláudio Márcio do Carmo, Nilma Lino Gomes, Adriana Silvina Pagano, Paulo Henrique Aguiar Mendes

Faculdade / Instituição

Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Letras

Ano

2007

Cidade

Belo Horizonte

Resumo (pt)

A partir de uma tradição de estudos da linguagem no escopo da Análise Crítica do Discurso, através da análise da coesão lexical em textos da mídia impressa, dentro do projeto CORDIALL da Faculdade de Letras da UFMG, este trabalho abordou o campo discursivo das relações raciais brasileiras como representadas em corpus de jornal impresso. Foi destacada a opção de conceito de discurso como adotada em Fairclough (1992), onde esse é definido como práticas e relações sociais, como construção social da realidade e como forma de conhecimento. Isso possibilitou que se verificassem, nas escolhas no domínio da coesão lexical do discurso mediado, a natureza idelógica da construção de significados. Foi realizada uma análise das relações lexicais da palavra-chave racismo e de itens lexicais e colocações semanticamente relacionadas, organizadas em campos semânticos. Os conceitos centrais nesse campo discursivo foram analisados quanto a sua ocorrência no corpus, em contraste com seus usos e definições em dicionários e em publicações acadêmicas especializadas. Tais campos foram nomeados campo semântico das relações raciais naturalizadas, campo semântico das identidades sociais, com ênfase em identidades sócio-raciais, e campo semântico das relações raciais em reconstrução. O enfoque principal da pesquisa recaiu sobre as tendências no léxico, seccionado nesses campos semânticos, em termos de orientações para a diferença (cf. FAIRCLOUGH, 2003), ou seja, as tendências discursivas de um jornal impresso quanto à abertura, acentuação, tentativa de resolução, suspensão ou consenso acerca das diferenças, aspectos privilegiados na observação de padrões de interdiscursividade. Foram tomadas as bases metodológicas de Fairclough (2003), visando à identificação de tensões discursivas, assimetrias de poder, e tendências a mudanças discursivas para conceitos centrais das relações raciais no Brasil, como racismo, raça, cor da pele, étnico, preconceito, discriminação, ação afirmativa, sistema de cotas e democracia racial. Outro foco da pesquisa foram os movimentos de comodificação, de tecnologização, e de democratização do discurso. A escolha do corpus de mídia impressa levou em consideração três momentos de grande impacto nos debates sobre as relações raciais brasileiras: a comemoração do tricentenário da morte (imortalidade) de Zumbi dos Palmares, em 1995; a Conferência de Durban, em 2001; e os episódios de racismo no futebol no Brasil, a partir do caso Grafite, em 2005. Esses três anos foram destacados pela grande quantidade de textos contendo a palavra-chave racismo publicados no jornal eleito para o corpus, a Folha de São Paulo, significativamente maior do que dos outros anos da década entre 1995 e 2005. No primeiro momento, 1995, o destaque foi uma tendência à comodificação do discurso, tendo o principal marco daquele ano, o tricentenário de Zumbi, uma importância secundária em relação à publicação da Folha, o Racismo Cordial. Ficou evidenciado um elevado índice de auto-referenciação que permeou as práticas discursivas da Folha e seu grupo de empresas, possibilitando a constituição de discursos que se fizeram auto-sustentáveis, dando ao léxico daquele ano características marcantes. No segundo momento, teve destaque um grande teor de tecnologização do discurso, envolvendo a preparação brasileira para, e a participação na Conferência de Durban. Essa tecnologização foi resultado de esforços por uma intervenção organizada dos movimentos sociais e dos órgãos oficiais brasileiros, buscando também uma sintonia com discussões em outros contextos culturais, visando convergência política. No terceiro momento o destaque voltou-se para episódios de racismo no futebol, no Brasil e alhures, tendo sua culminância com o episódio de racismo do jogador argentino Desábato contra o jogador brasileiro Grafite, fato catalisado pela nacionalidade do agressor. Foi percebida uma aproximação significativa do item lexical crime em relação à palavra-chave racismo, provável resultado de uma maior divulgação e criminalização de fatos corriqueiros de racismo, no futebol e em outras esferas da vida civil, em muito influenciados por jurisprudências (ainda que não de fato, mas morais) desencadeadas pelo caso Grafite. Algumas determinações contextuais foram evidenciadas no léxico das relações raciais e tendências a mudanças mais permanentes foram apontadas, bem como a sobrevivência de noções anacrônicas e conceitos já refutados na literatura especializada, mas que exercem grande pressão sobre os discursos que a mídia impressa veicula.

Abstract

Departing form a tradition in linguistic studies in the scope of Critical Discourse Analysis, through the analysis of lexical cohesion in mediated discourse, within the CORDIALL Project, from Faculdade de Letras, UFMG, this research has approached the discourse field of racial relations in Brazil as represented in a corpus of a broadsheet newspaper. The concept of discourse adopted was that of Fairclough (1992), where it has been defined as social practices and social relations, as social construction of reality, and as form of knowledge. This allowed for the verification, within the choices of the mediated discourse, in the realm of lexical cohesion, of the ideological nature of the construction of meaning. The analysis was focused on the lexical relations of keyword racismo, as well as semantically related lexical items and collocations, organized in semantic fields. The central concepts of this discourse field have been analyzed in terms of their occurrence in the corpus, in contrast with their uses and definitions from dictionaries and specialized literature. The semantic fields were named semantic field of naturalized racial relations, semantic field of social identities, with emphasis on socio-racial identities, and semantic field of racial relations under reconstruction. The main focus of the research has been upon the tendencies in the lexicon, sectioned into these semantic fields, in terms of its orientation to difference (FAIRCLOUGH, 2003), that is, the discursive tendencies of a newspaper towards an openness, an accentuation, an attempt to resolve, a bracketing of, or a consensus in relation to difference, aspects which privilege the observation of patters of interdiscursivity. Some methodological tenets were replicated from Fairclough (2003), aiming at identifying discursive tensions, power asymmetries and tendencies towards discursive change for central concepts in the racial relations in Brazil, such as racismo (racism), raça (race), cor da pele (skin color), étnico (ethnic), preconceito (prejudice), discriminação (discrimination), ação afirmativa (affirmative action), sistema de cotas (system of quotas), and democracia racial (racial democracy). Attention was also given to the tendencies of commodification, tecnologization, and democratization of the discourse. The choice for a corpus of a broadsheet newspapers took into consideration three moments of great impact on the debates over racial relations in Brazil: the commemoration of 300th anniversary of death (immortality) of Zumbi dos Palmares, in 1995; the UN Conference in Durban, in 2001; and the episodes of racism in soccer games in Brazil, triggered by the Grafite affair, in 2005. These three years were evidenced by the large quantity of texts published in the newspaper elected for the corpus, Folha de São Paulo, containing the keyword racismo, significantly higher than the other years in the decade between 1995 and 2005. In the first moment, 1995, the emphasis was laid upon a tendency towards commodification of discourse, once the main event of that year, the 300th anniversary of Zumbi, gained secondary attention in relation to Folha de São Paulo’s publication, Racismo Cordial. A high level of self reference permeated the discursive practices of Folha and its allied enterprises, which made possible an internal coinage of discourses that were self sustained, resulting in remarkable traits in the lexicon of that year. In the second moment, the emphasis was on the great level of tecnologization of discourse, involving Brazilian preparation for, and participation in the International Conference of Durban. This tecnologization was the result of efforts towards an organized intervention of the social movements and the agencies of Brazilian government, in a tentative of a dialogue with other cultural contexts, aiming at political convergence. In the third moment the focus was turned upon episodes of racism in soccer games, in Brazil and elsewhere, culminating in the episode of racism by Argentinean player Desábato, towards Brazilian player Grafite, fact which was catalyzed by the nationality of the aggressor. A significant approximation of the lexical item crime to the keyword racismo was noticed, probable result of an increase in terms of publication and criminalization of daily episodes of racism, be it in soccer games or in other realms of social life, much influenced by jurisprudences (although not in fact, but morally so) triggered by the Grafite episode. A series of contextual determinations were evidenced in the lexicon of the racial relations and some tendencies towards more permanent changes have been pointed out, as well as the permanence of anachronisms and concepts already undermined in specialized literature, which still exercise considerable pressure over the discourses of the printed media.

Sumário

INTRODUÇÃO
Considerações iniciais, 2
Objetivos e perguntas de pesquisa, 6
Organização geral da tese, 12

CAPÍTULO 1: Referencial Teórico
Introdução, 16
1.1: O Corpus Discursivo para Análises Lingüísticas e Literárias – CORDIALL, 17
1.2: A Análise Crítica do Discurso de Norman Fairclough, 22
1.3: Os recursos da LC em benefício da ACD, 31
1.4: A coesão lexical, 34
1.5: Mídia e discurso, 43
1.6: A mídia e a questão racial brasileira, 49
1.7: Alguns marcos nas relações raciais brasileiras a partir das Ciências Sociais, 53
1.8: Anti-racismos e movimentos sociais negros, 62

CAPÍTULO 2: Corpus e Metodologia
Introdução, 69
2.1: O corpus de pesquisa, 70
2.2: O trabalho com o corpus, 78

CAPÍTULO 3: Análise de dados – o léxico em campos semânticos associados à palavra-chave racismo
Introdução, 87
3.1: O campo semântico das relações raciais naturalizadas, 90
3.1.1: Item lexical racismo, 90
3.1.2: Item lexical discriminação, 96
3.1.3: Item lexical preconceito, 99
3.1.4: Racismo, discriminação e preconceito como conceitos nas CS, 101
3.1.5: A configuração de racismo, discriminação e preconceito no corpus, 104
3.1.6: A palavra-chave racismo e seus colocados ‘ocasionais’, 110
3.1.7: Predisposições colocacionais do item lexical racial, 115
3.1.8: A colocação democracia racial, 121
3.1.9: A colocação discriminação racial, 131
3.1.10: A colocação preconceito racial 135
3.1.11: A colocação racismo cordial, 139
3.2: O campo semântico das identidades sociais, 147
3.2.1: O campo semântico das identidades sócio-raciais, 148
3.2.1.1: Item lexical raça, 149
3.2.1.2: Item lexical racial, 154
3.2.1.3: Itens lexicais etnia e étnico, 156
3.2.1.4: Os itens lexicais raça, racial e etnia no corpus, 159
3.2.2: Campos semânticos em disputa: pertença racial, herança cultural e cor da pele, 162
3.2.2.1: Lemas negr*, branc* e afr*, 164
3.2.2.2: Lemas pret*, pard*, mestiç*, moren* e mulat*, 166
3.3: O campo semântico das relações raciais em reconstrução, 169
3.3.1: O item lexical afirmativa(s) e a colocação ação(ões) afirmativa(s), 170
3.3.2: O item lexical cota(s) e as colocações política de cotas e sistema de cotas, 174
3.3.3: Os itens lexicais afirmativa(s) e cota(s) no corpus, 177
3.4: Os dados interpretados no cruzamento dos campos semânticos, 190
3.4.1: Os campos semânticos no CF-1995, 193
3.4.2: Os campos semânticos no CF-2001, 197
3.4.3: Os campos semânticos no CF-2005, 201

Considerações Finais
Introdução, 205
Os caminhos percorridos, 207
Balanço crítico da pesquisa e das práticas sociais, 212
Linguagem, 212
Democracia racial, 216
Comunicação de massa, 219

Epílogo, 224

REFERÊNCIAS, 227

Referência

CAETANO, Paulo Henrique. A palavra-chave racismo e suas relações lexicais: uma análise crítica dos discursos sobre relações raciais brasileiras em corpus de jornal impresso. 2007. f. Tese (Doutorado em Letras) - Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.