A bola, as ruas alinhadas e uma poeira infernal

Autores

Raphael Rajão Ribeiro

Subtítulo

os primeiros anos do futebol em Belo Horizonte (1904-1921)

Editora

Drible de Letra

Cidade

Rio de Janeiro

Páginas

246

Ano

2018

ISBN

9788559968774

Sumário

Agradecimentos, 7

Apresentação, 9

Prefácio, 15

Introdução, 21

Capítulo 1
O futebol em Belo Horizonte e a constituição do campo esportivo, 37
1.1 Primeiras experiências e divulgação dos sentidos do esporte, 38
1.2 A implantação do futebol e a definição de seus aspectos iniciais em Belo Horizonte, 45
1.3 O retorno do futebol à cidade e a afirmação das definições anteriores, 61
1.4 Surgimento da liga, consolidação do futebol e constituição do campo esportivo em Belo Horizonte, 85

Capítulo 2
O futebol belo-horizontino no circuito da informação, 117
2.1 Circulação e expansão mundial do futebol, 118
2.2 A importância das conexões com outras experiências esportivas na dinâmica de implantação do futebol em Belo Horizonte, 123
2.3 A constituição de novas conexões no retorno do futebol a Belo Horizonte, 135
2.4 Desenvolvimento e limites da integração institucional regional e nacional durante a consolidação do campo esportivo em Belo Horizonte, 150

Capítulo 3
As vivências na cidade e o futebol, 167
3.1 Belo Horizonte em seus primeiros anos e a recusa do convívio público, 168
3.2 A introdução de novos hábitos em Belo Horizonte e a construção de sentidos em torno do futebol, 175
3.3 A busca da constituição de um cotidiano moderno em Belo Horizonte e as ações do futebol, 193
3.4 O desenvolvimento inicial de Belo Horizonte e as intervenções do futebol nos espaços da cidade, 204

Considerações finais, 221

Fontes, 227

Bibliografia, 233

Sinopse

É lugar comum dizer que o futebol é hoje a modalidade esportiva que mais mobiliza público no Brasil. Mesmo aqueles que não nutrem interesse pelo futebol sabem que, em dia de jogo, homens e mulheres – adultos e crianças – exalam paixão e excitação.

Em Belo Horizonte, assim como nas cidades do interior do estado de Minas Gerais, a disputa Atlético x Cruzeiro põe nas ruas milhares de torcedores. Nos jogos do América, o estádio Independência faz-se espaço de confraternização entre antigos e novos aficionados. Fora de Minas, bares, calçadas e esquinas territorializam as torcidas, criam laços de solidariedade entre torcedores ausentes do estado. Terá sido sempre assim?

Ao transportar o leitor para o alvorecer do século XX, Raphael Rajão Ribeiro narra com maestria o processo de criação, organização e sedimentação da cultura futebolística na nova capital do estado de Minas Gerais, planejada segundo os padrões urbanísticos da modernidade industrial e inaugurada em 1897.

A que público se destina seu estudo? Ao leitor-torcedor, ele é convite à história do passado de seu time, do de seus opositores e de outros não mais existentes na capital mineira.

Ao leitor-especialista em futebol – seja ele jogador profissional ou amador, ou mesmo jornalista esportivo –, a narrativa aqui contida é preciosa fonte de informação sobre os meandros da trajetória histórica de uma prática esportiva hoje reconhecida como paixão nacional. Ao estudante e/ou profissional dos campos da História e da Sociologia Histórica, o trabalho de Raphael é exemplo de pesquisa fina e afinada com teorias e metodologias que levam à compreensão sócio-histórica” – Maria Eliza Linhares Borges.

Referência

RIBEIRO, Raphael Rajão. A bola, as ruas alinhadas e uma poeira infernal: os primeiros anos do futebol em Belo Horizonte (1904-1921). Rio de Janeiro: Drible de Letra, 2018.