Brasil em jogo

Autores

João Sette Whitaker Ferreira, Ermínia Maricato, Nelma Gusmão de Oliveira, Jorge Luiz Souto Maior, José Sérgio Leite Lopes, Luis Fernandes, Raquel Rolnik, Carlos Vainer, Antonio Lassance

Subtítulo

o que fica da Copa e das Olimpíadas?

Editora

Boitempo

Cidade

São Paulo

Tema

Megaeventos

Área de concentração

Aspectos Sociais, Planejamento Urbano

Páginas

94

Ano

2014

ISBN

8575593846

Sumário

Nota da editora, 6

Apresentação: Um teatro milionário, 7
João Sette Whitaker Ferreira

A Copa do Mundo no Brasil: tsunami de capitais aprofunda a desigualdade urbana, 17
Ermínia Maricato

Jogo espetáculo, jogo negócio, 25
Nelma Gusmão de Oliveira

Lei Geral da Copa: explicitação do estado de exceção permanente, 33
Jorge Luiz Souto Maior

Transformações na identidade nacional construída através do futebol: lições de duas derrotas históricas, 41
José Sergio Leite Lopes

A máfia dos esportes e o capitalismo global, 51
Andrew Jennings

Para além dos Jogos: os grandes eventos esportivos e a agenda do desenvolvimento nacional, 57
Luis Fernandes

Megaeventos: direito à moradia em cidades à venda, 65
Raquel Rolnik

Como serão nossas cidades após a Copa e as Olimpíadas?, 71
Carlos Vainer

A Copa, a imagem do Brasil e a batalha da comunicação, 79
Antonio Lassance

O que quer o MTST? – Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, 85

Cronologia dos megaeventos esportivos, 89

Sobre os autores, 93

Sinopse

Ao conquistar o direito de sediar a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016, o Brasil aceitou o desafio de realizar dois megaeventos esportivos globais, que ao mesmo tempo despertam paixões e desconfianças. Há argumentos que defendem os eventos como uma janela singular e histórica de oportunidades, mas, longe do consenso, também surgem críticas que consideram tais projetos excludentes, potencializadores da desigualdade social nas cidades-sede e do endividamento público.

A polêmica abre espaço para um amplo debate sobre o que significa para o Brasil sediar os megaeventos esportivos mais simbólicos do mundo na atual conjuntura política, econômica e social. É nesse sentido que a Boitempo Editorial publica a coletânea Brasil em jogo: o que fica da Copa e das Olimpíadas?, editada no calor da hora, com contribuições de Andrew Jennings, Luis Fernandes, Raquel Rolnik, Ermínia Maricato, Carlos Vainer, Jorge Luiz Souto Maior, José Sergio Leite Lopes, Nelma Gusmão de Oliveira, entre outros. O livro de intervenção será lançado na primeira semana de junho e traz perspectivas variadas sobre o papel contraditório do esporte na sociedade brasileira entre a construção da identidade nacional, os impactos urbanísticos e as transformações dos megaeventos esportivos ao longo da história.

Brasil em jogo é o terceiro título lançado na já consolidada coleção Tinta Vermelha, em parceria com o portal Carta Maior. A obra segue a linha do livro Cidades rebeldes: passe livre a as manifestações que tomaram as ruas do Brasil (2013), com o mesmo formato e preço (R$10,00 o impresso, R$5,00 o e-book). Para tornar o livro acessível ao maior número de pessoas, autores cederam gratuitamente seus textos, tradutores não cobraram pela versão dos originais para o português, e fotógrafos abriram mão de pagamento por suas imagens, o que possibilitou deixar o volume a preço de custo. A proposta tem dado certo, como mostra a venda dos mais de 20 mil exemplares de Cidades rebeldes, em menos de um ano desde a publicação da primeira tiragem.

Referência

FERREIRA, João Sette Whitaker; MARICATO, Ermínia; OLIVEIRA, Nelma Gusmão de; MAIOR, Jorge Luiz Souto; LOPES, José Sérgio Leite; FERNANDES, Luis; ROLNIK, Raquel; VAINER, Carlos; LASSANCE, Antonio. Brasil em jogo: o que fica da Copa e das Olimpíadas?. São Paulo: Boitempo, 2014.