Cartografias de um campo invisível

Autores

Marina de Mattos Dantas

Subtítulo

os anônimos jogadores do futebol brasileiro

Orientador

Edson Passetti

Banca

Lúcio Flávio Rodrigues de Almeida, Heliana de Barros Conde Rodrigues, Arlei Sander Damo, Sérgio Settani Giglio

Faculdade / Instituição

Faculdade de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Ciências Sociais

Ano

2017

Páginas

252

Cidade

São Paulo

Resumo (pt)

O futebol profissional e seus efeitos na produção de subjetividades na profissão de jogador. É esta a temática que norteia a presente pesquisa que, partindo de pesquisas prévias acerca do sonho de ser jogador e da atuação da psicologia do esporte em categorias de base, objetiva compor uma cartografia da realidade do jogador que se profissionaliza, mas não ocupa as posições de maior destaque nas grandes “vitrines” do futebol nacional e internacional. São esses jogadores geralmente considerados pelos clubes, empresários e também pelo público como produtos de menor valor no mercado, porém necessários para manter o funcionamento das competições da máquina do futebol profissional que atrai torcedores e investidores enquanto circulam anonimamente pelo mercado futebolístico como coadjuvantes do futebol de espetáculo. Nesse sentido, pretende-se cartografar práticas do futebol contemporâneo, compondo com os estudos de Michel Foucault sobre o governo dos vivos, juntamente com os estudos de pesquisadores na área das ciências humanas e sociais sobre o futebol profissional. Busca-se assim compreender a governamentalidade do futebol de espetáculo; os efeitos disciplinares e de controles regulamentadores na produção de modos de vida dos jogadores de futebol profissionais anônimos; por onde estes circulam após a saída das categorias de base; as capturas, potencialidades e resistências que os mantêm na profissão e os efeitos político- sociais produzidos a partir dessa realidade.

Palavras-chave: futebol, racionalidade neoliberal, jogador-empresa.

Abstract

The professional soccer and its effects in the production of subjectivities in the profession of player. This is the theme that guides this research which, on the basis of previous research about the dream of being a player and the performance of sport psychology in basic categories, aims to compose a cartography of the reality of the player who professionalizes, but does not occupy the positions of greater emphasis on large “shopping” of soccer nationally and internationally. Are these players generally considered by clubs, entrepreneurs and also by the public as products of less value in the market, but needed to maintain the operation of the competitions of the machine of professional soccer that attracts fans and investors while circulating anonymously by Australian soccer to as coadjuvants of soccer venues. In this sense, it is mapping practices of contemporary soccer, along with the studies of Michel Foucault on the government of the living, along with the studies of researchers in the area of humanities and social sciences about professional soccer. It seeks so to understand the governmentality of soccer venues; the effects of discipline and controls regulators in the production of modes of life of soccer players anonymous professionals; for where these circulating after the departure of the basic categories; catches, potential and resistance that keeps them in the profession and the effect socio-political produced from this reality.

Keywords: soccer, neoliberal rationality, player-company.

Sumário

Introdução, 12

CAPÍTULO 1 – Famosos, anônimos e as tensões entre amadorismos e profissionalismos no futebol brasileiro, 28
1.1 A Football Association: soccers e ruggers e os primeiros passos do futebol, 30
1.2 Capitains, estudantes, padres, marinheiros e infames: primeiros momentos do Association no Brasil, 35
1.3 Industriais e operários: quem sustenta o futebol e quem faz do futebol o seu sustento, 46
1.4 O jogador profissional: a emergência dos “vira-latas”, 54
1.5 Uma nação se constrói transformando “vira-latas” em campeões, 73
1.6. O jogador peça e a necessidade de se produzir atletas, 85

CAPÍTULO 2 – Futebol e racionalidade neoliberal: a liberdade para empreender- se e o jogador-empresa, 105
2.1 Os Investimentos econômicos no futebol nos anos 1970, 106
2.2 A produção da CBF como elemento moralizador do futebol no Brasil, 112
2.3 Seleção do passe Livre, 115
2.4 A publicidade entra em campo, 116
2.5 O Clube dos Treze e a intensificação do investimento privado no futebol, 117
2.6 Jean-Marc, 121
2.7 Campeonatos, 124
2.8 Lei Zico, Lei Pelé e a liberdade de mercado no Brasil, 126
Direito de Transmissão, 131
Direito de Arena, 132
Direito Federativo, 132
Cláusula Indenizatória, 132
Contrato por produtividade, 133
Direitos Econômicos, 133
Direito de Imagem, 133
2.9 Os anônimos e a circulação de jogadores, 135

CAPÍTULO 3 – A produção de responsabilidade social e do descarte no futebol profissional, 138
3.1. Pão de Açúcar Esporte Clube: metamorfoses de um projeto social, 140
3.1.1. SuperCopaCompreBem:apeneiracorporativa, 142
3.1.2. Paulinho e Juninho: o investimento em capital humano e o clube-empresa efeito da racionalidade neoliberal, 153
3.1.3. De PAEC a Audax, 157
3.2. Gremio Osasco Audax: o “DNA” do projeto e o estilo de jogo, 164
3.3. Grêmio Osasco Audax e Guaratinguetá Ltda: gerenciando participações em campeonatos, 169
3.4. Quem desloca tem preferência, 177

CAPÍTULO 4 – Gestão do “descarte” de jogadores no Brasil e na Argentina, 179
4.1. Sobre peneiras, oportunidades e “panelinhas”, 182
4.2. A família e os primeiros (ou segundos) empresários, 185
4.3. A produção de descarte no futebol profissional, 190
4.4. Circulação e instabilidade, 193
4.5. Visibilidades e invisibilidades, 199
4.6. Desempregados, livres, sem contrato, fora de contrato, 201
4.6.1. Emuladores de clubes: equipes de jogadores sem contrato, 204
4.6.2. Expressão Paulista e Jugadores Libres, 209
4.6.3. Competições, 211
4.7. Jogar e torcer, 220
4.8. Aposentadoria, 223
4.9. Desempregados, sim. Desocupados, nunca!, 225

Considerações Finais, 227

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 233

ANEXO A – The 1863 Football Association Rules, 249
ANEXO B – Roteiro de entrevistas, 251

Referência

DANTAS, Marina de Mattos. Cartografias de um campo invisível: os anônimos jogadores do futebol brasileiro. 2017. 252 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Faculdade de Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.