Competições esportivas mundiais LGBT: guetos sexualizados em escala global?

Autores

Wagner Xavier de Camargo, Carmen Rial

Periódico / Revista

Estudos Feministas

Volume

v.19

Número

n.3

Páginas

p.977-1003

Área de concentração

Estudos feministas e de gênero

ISSN

0104-026X

Resumo (pt)

Os guetos são espaços circunscritos e marginais nos quais, ao longo da história, minorias religiosas, sociais, étnicas e sexuais foram encapsuladas e segregadas. Atravessados por fluxos e tensões em movimento do global landscape, tais territórios devem ser revisitados sob a ótica da globalização. Com o propósito de analisar territorialidades marginais de gênero atreladas a eventos esportivos LGBT, este artigo buscou ressemantizar o conceito de gueto da “Escola de Chicago” e repensá-lo segundo novas perspectivas analíticas, aplicadas a duas competições esportivas mundiais (Gay Games e World OutGames) voltadas para o público LGBT. Percebeu-se que a ocorrência dessas competições e as expectativas em torno de “capitais ejaculantes” de corpos, sexos, desejos e sexualidades vinculados ao esporte abrem a perspectiva de que tais torneios performatizem “guetos sexualizados”, isto é, espaços territorializados de práticas itinerantes de desejos, na lógica de uma circulação em escala global, de corpos e de capital.

Abstract

Ghettos are marginal territories, in which ethnic, religious, social and sexual minorities were encapsulated and segregated throughout History. Crossed by flows and tensions on movement in the global landscape, such spaces should be reanalyzed under a global perspective. Aiming to reflect on marginal territories of gender linked to LGBT sports events, this article has tried to re-think the concept of the ghetto from the “Chicago School”, and analyze it according to new lenses, applied to two global and specific LGBT world championships (Gay Games and World OutGames). It was noticed that the occurrence of them and the expectations around “possibilities of ejaculation” of bodies, genders, sexualities, and desires, connected to the sports’ world itself, open up the perspective that such events will perform a kind of “sexualized ghettos”, i.e., territorialized spaces from sexual desires’ practices, in the logic of a global circulation of desires, bodies and capitals.

Observações

Link para a revista Estudos Feministas.

Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons.

Referência

CAMARGO, Wagner Xavier de; RIAL, Carmen. Competições esportivas mundiais LGBT: guetos sexualizados em escala global?. Estudos Feministas. Florianópolis, v.19, n.3, p.977-1003, 2011.