Copa pra quem?

Autores

Juliana Gomes Machado Brito

Subtítulo

estado de exceção e resistências em torno da Copa do Mundo FIFA 2014

Orientador

Vera da Silva Telles

Banca

Paulo Eduardo Arantes, Daniel Veloso Hirata

Faculdade / Instituição

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Sociologia

Ano

2015

Páginas

166

Cidade

São Paulo

Resumo (pt)

O presente trabalho é um estudo dos efeitos da Copa do Mundo FIFA 2014, a partir das relações de poder e resistência que se estabeleceram ao seu redor. Ao investigar a produção normativa – leis, decretos, portarias e demais normas que se produziram sob a justificativa do megaevento, esse estudo busca descrever de que maneira foi possível introduzir no ordenamento jurídico uma “legislação de exceção”, entendida aqui como dispositivo de governo. Também, ao descrever a delimitação de zonas de exclusividade comercial no espaço público, busca-se enxergar a maneira como essas normas puderam se territorializar, de modo a garantir a criação de mercado para um grupo de empresas ligadas à FIFA. Por fim, descrevemos as resistências que se articularam em torno da Copa 2014, entendida como campo de gravitação que permitiu colocar o futebol no centro do conflito pelo direito à cidade.

PALAVRAS-CHAVE: Copa do Mundo – estado de exceção – dispositivo – cidade – resistência

Abstract

This dissertation consists of a study about the FIFA World Cup 2014 effects, from the power and resistance relations that were established around it. By examining the normative production – laws, decrees, edicts and other rules produced under the justification of the megaevent -, this study describes by what means was possible to introduce in the law system a group of “excepcion laws”, meaning here as a government dispositif. Also, by describing the demarcation of exclusive comercial zones in the public space, the study pursues to look the manner how that rules could be territorialized, aiming to garantee the creation of market for a group of companies linked to FIFA. Finally, we describe the resistance that articulated around the 2014 World Cup, meaning the gravitation field that permitted to put the soccer in the centre of the right to the city’s conflict.

KEY-WORDS – World Cup, Exception State, dispositif, city, resistance

Referência

BRITO, Juliana Gomes Machado. Copa pra quem?: estado de exceção e resistências em torno da Copa do Mundo FIFA 2014. 2015. 166 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.