Da Coligay às torcidas Queer

Autores

Rivelle Nunes Carlos

Subtítulo

um estudo sobre a (não) presença do público LGBT no futebol

Orientador

Cristina Fonseca Silva Rennó

Faculdade / Instituição

Programa de Pós-graduação lato sensu, Universidade Estácio de Sá

Tipo

TCC

Área de concentração

MBA em Jornalismo Esportivo

Ano

2017

Páginas

26

Cidade

Belo Horizonte

Resumo (pt)

O ambiente do futebol brasileiro é, tradicionalmente, machista. Esse comportamento, presente principalmente nas torcidas, contradiz a fama de esporte mais popular do país, uma vez que desde a chegada no Brasil, o futebol sempre foi uma atividade segmentada, seja para a aristocracia no início da sua prática, ou que discrimina o público LGBT nos tempos atuais. Por meio de artigos acadêmicos, esse estudo aborda os motivos pelos quais a homofobia ainda se faz presente nas arquibancadas dos estádios no país. O ensaio “Da Coligay às Torcidas Queer – Um estudo sobre a (não) presença do público lgbt no futebol” discute os movimentos LGBTs organizados que tentaram no passado alterar o padrão heteronormativo dos estádios brasileiros, o motivo pelo qual a homofobia no futebol se tornou assunto presente na mídia e a crescente força dos movimentos em redes sociais, que abrem espaço por meio de torcidas “Queer”, para uma ampla discussão sobre a discriminação ao público LGBT no chamado esporte do povo. Da mesma forma, apresento exemplos do maior engajamento dos meios de comunicação de massa e de entidades ligadas ao futebol que discutem a discriminação nos estádios. Para a produção desse estudo, utilizo pesquisas científicas, artigos e exemplos veiculados na mídia para discutir o porquê do futebol brasileiro ainda ser homofóbico, enquanto na Europa o esporte é, de forma mais ampla, para todos.

PLAVARAS CHAVES: Futebol, Homofobia, discriminação

Resumo (outro idioma)

El ambiente del fútbol en Brasil es tradicionalmente machista. Este comportamiento, presente en las torcidas, contradice la fama de deporte más popular del país, una vez que desde la llegada en Brasil, el fútbol siempre ha sido una actividad segmentada, sea para la aristocracia al inicio de su práctica, o aquél que discrimina al público LGBT en los tiempos actuales. Este estudio aborda los motivos por los cuales la homofobia aún se hace presente en las gradas de los estadios en el país. El ensayo “De la Coligay a las Torcidas Queer – Un estudio sobre la (no) presencia del público lgbt en el fútbol” discute los movimientos LGBT organizados que intentaron en el pasado alterar el patrón heteronormativo de los estadios brasileños, por lo que la homofobia en el fútbol se volvió tema presente en los medios y la creciente fuerza de los movimientos en redes sociales, que abren espacio por medio de torcidas “Queer”, para una amplia discusión sobre la discriminación al público LGBT en el llamado deporte del pueblo. De la misma forma, presento ejemplos del mayor compromiso de los medios de comunicación de masas y de entidades vinculadas al fútbol que discuten la discriminación en los estadios. Para la producción de este estudio, utilizo investigaciones científicas, artículos y ejemplos publicados en los medios para discutir el por qué el fútbol brasileño sigue siendo homofóbico, mientras que en Europa el deporte es, de forma más amplia, para todos.

PLABARAS CLAVES: Fútbol, Homofobia, discriminación

Sumário

INTRODUÇÃO, 5

CAPÍTULO 1: O FUTEBOL NO BRASIL: DA ARISTOCRACIA À POPULARIZAÇÃO, 6

CAPÍTULO 2: A COLIGAY E O PIONEIRISMO GAÚCHO, 8

CAPÍTULO 3 – O CASO RICHARLYSSON E AS TORCIDAS QUEER, 11

CAPÍTULO 4 – O POSICIONAMENTO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, 16

CAPÍTULO 5 – CLUBES, ENTIDADES ESPORTIVAS E A MUDANÇA NO DIA DO ORGULHO LGBT, 18

CAPÍTULO 6 – OS EXEMPLOS NO FUTEBOL DO EXTERIOR, 21

CONCLUSÃO, 23

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 24

Referência

CARLOS, Rivelle Nunes. Da Coligay às torcidas Queer: um estudo sobre a (não) presença do público LGBT no futebol. 2017. 26 f. TCC (MBA em Jornalismo Esportivo) - Programa de Pós-graduação lato sensu, Universidade Estácio de Sá, Belo Horizonte, 2017.