Desvendando o jogo

Autores

Rosangela Duarte Pimenta

Subtítulo

futebol amador e pelada na cidade e no sertão

Orientador

José Sérgio Leite Lopes

Banca

Arlei Sander Damo, José Luís Simões, Eliane Veras Soares, Josimar Jorge Ventura de Morais

Faculdade / Instituição

Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Sociologia

Ano

2009

Páginas

224

Cidade

Recife

Resumo (pt)

O futebol amador e as ―peladas‖ são práticas esportivas e sociais que mobilizam milhares de pessoas em todo o país. Apesar da importância que a temática do futebol vem ganhando no campo acadêmico, ainda são poucos os estudos sobre o futebol não profissional, por isso a opção de analisar essa prática ―por dentro, através de uma pesquisa etnográfica em dois espaços sociais distintos: o meio urbano e o meio rural. A pesquisa foi realizada na cidade de Recife (PE) e no assentamento estadual São João (Sobral-CE), durante os anos de 2005 e 2006. O trabalho de campo foi desenvolvido com dois grupos: o primeiro com times amadores de Recife e Sobral, através de observação, gravações áudios-visuais de jogos e entrevistas com diretores, jogadores, torcedores e promotores dos campeonatos. O segundo foi realizado com grupos de ―pelada‖, envolvendo as mesmas técnicas de pesquisa. Do ponto de vista teórico e da problematização do objeto, partimos de uma crítica a uma visão tradicional da sociologia que perceberia as regras como algo que se impõe exteriormente aos indivíduos. Utilizamos como referência teórica Pierre Bourdieu, Norbert Elias e Harold Garfinkel, buscando uma compreensão do futebol amador e da ―pelada‖ a partir da dinâmica figuracional dos jogos e da sua relação com as regras do jogo. Analisamos como as regras são construídas, negociadas e atualizadas pelos próprios jogadores durante os jogos, empiricamente verificamos que as regras do jogo apresentam um caráter elástico e de incompletude, sendo elemento fundamental para a dinâmica do jogo.

Palavras-Chave: futebol amador, pelada, regras, negociação, dinâmica, figuração.

Abstract

The amateur football and the recreational football are sporting and social practices that mobilize thousands of persons in the whole country. Despite the importance the theme of football is gaining in the academic field, studies on recreational football are still few. Therefore the decision of analysing this practice through an ethnographic inquiry both into the rural and the urban social space. The research was carried out in the city of Recife (PE) and in the São Joao state settlement (Sobral, CE), during the years of 2005 and 2006. Field work was developed with two groups: the first was made up of amateur teams from Recife and Sobral, while the second was made up of recreational teams. For both groups the following techniques were used: observation, recording of matches and interviews with directors, players, supporters and promoters of the championships. From the theoretical point of view and of the problematization of the object, we start from a criticism to a traditional vision of sociology that would realize the rules as something that is exteriorly imposed on the individuals. As theoretical reference, we use Pierre Bourdieu, Norbert Elias and Harold Garfinkel, trying to understand amateur football and recreational football from the dynamic design of the matches and from their relation with the rules of play. We analyse how the rules are built, negotiated and updated by the players themselves during the plays. Empirically, it was verified that the rules of the play bear a non-strict and uncomplete character, essential for its dynamics.

Key Words: amateur football, recreational football, rules, negotiation, dynamics, figuration.

Resumo (outro idioma)

Le football amateur et ceux football ―récreatifs‖ (“peladas”) sont des pratiques sportives et sociales que mobilisent des milliers de personne dans tout le pays. Les études sur le football non-professionnel sont encore moindres, malgré que la thématique sur le football soit entrain de gagner le camp académique, d‘oú l‘option d‘analyser cette pratique ―interieurement‖, à travers une enquête ethnographique dans deux espaces sociaux distincts: le milieu urbain et le milieu rural. L‘enquête a été réalisée dans la ville de Recife (PE) et dans le campement (“assentamento”) São João (Sobral – CE), entre l‘na 2005 et 2006. La mise en pratique de l‘enquête s’est deroulée dans deux groupes: la première avec l‘équipe amatrice de Recife et de Sobral, à travers l‘observation , les enregistrements audio-visuelles des jeux et entrevues avec les directeurs, joueurs, supporters et promoteur des championnats. La seconde a été réalisée avec les groupes football ―récreatifs‖, suivant le même processus d‘enquête. Du point de vue théorique et de la problematisation de l‘objet, nous nous sommes basés sur une critique à la vision traditionnelle de la sociologie qui persévérerait les règles comme quelque chose imposé extraordinairement aux individus. Nous avions utilisé comme référence théorique Pierre Bourdieu, Norbert Elias et Harold Garfinkel, cherchant une compréhension du football amateur et football ―recréatif‖ à partir de la dynamique de figuration des jeux et de leur relation avec les règles du jeu. Nous avions analysé comment les règles sont construites, négociées e actualisées para le propre joueur pendant les jeux, empiriquement nous avions vérifier que les règles du jeu présentent un caractère élastique et incomplet, faisant l‘élement fondamental pour la dynamique du jeu.

Mots clés: football amateur, football ―récreatifs‖ (“peladas”), règles, négociation, dynamique, figuration.

Sumário

INTRODUÇÃO, 16

CAPÍTULO I, 22
Entrando em Campo, 22
1.1 Os futebóis e seu tratamento nas Ciências Sociais, 23
1.2 Futebol Amador e Peladas, 28
1.2.1. O Futebol Amador, 31
1.2.2 A Pelada, 34
1.3 As regras, o futebol amador e a pelada: uma problematização, 37
1.4 Teoria e Metodologia: jogando no mesmo time, 42
1.5 Entrando em campo: algumas reflexões etnográficas, 59

CAPÍTULO II, 69
Futebol Amador na Cidade e no Sertão, 69
2.1  Futebol Amador: um jogo em família, 71
2.2  O Ájax: O Futebol Amador na Cidade, 76
2.3  O União São João: O futebol amador nas entranhas do Sertão, 81
2.4  O Projeto Futebol Participativo: primeiras observações, 85
2.5  Os Times Amadores de Recife no Futebol Participativo, 87
2.6  Os times e o poder Executivo: conflitos e participação popular, 89
2.7  Regras, Regulamentos e punições: amadores ou profissionais?, 92
2.8  Os jogos do Ájax e a dinâmica figuracional , 97
2.9  A Copa Integração em Aracatiaçu, 105
2.10  Quebrando as regras do jogo, 110
2.11  A rivalidade: jogando com a alteridade no futebol amador, 112
2.12  Os jogadores: o jogo entre amadores e “semi-profissionais”, 115
2.13  Não basta competir: a “contratação” dos jogadores “de fora”, 118
2.14  Jogadores “daqui”: o novo velho tema do “amor à camisa”, 122

CAPÍTULO III, 127
A Construção das Regras e a Resolução de Conflitos, 127
3.1  A pelada na cidade de Recife, 130
3.2  A hierarquia geracional: a disputa dos “pirráia” e dos “meninos”, 148
3.3  A pelada no Sertão, 151
3.4  As Regras e a Dinâmica Figuracional das Peladas, 157
3.5  O Jogo apostado e o jogo de brincadeira: as diferentes dinâmicas da pelada, 163

CAPÍTULO IV, 168
A Torcida do Futebol Amador e da Pelada: proximidade e envolvimento, 168
4.1  Os torcedores nos “estádios” de Recife, 169
4.2  A torcida organizada Mancha Vermelha: o significado de torcer para o Ájax, 173
4.3  O pau-de-arara e a torcida no sertão: jogo de homem, lazer da família, 179
4.4  Fim da partida, início da festa: o encontro de torcedores e jogadores, 182
4.5  É campeão! A comemoração em “casa” do Ájax, 184
4.6  A torcida de pelada: negação e afirmação, 186
4.7  A assistência na Mangueira: relações de autoridade x amizade, 189

CONCLUSÃO, 192

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 205

BIBLIOGRAFIA, 209

ANEXO I, 211
ANEXO II, 215

Observações

Co-Orientador: Josimar Jorge Ventura de Morais

Referência

PIMENTA, Rosangela Duarte. Desvendando o jogo: futebol amador e pelada na cidade e no sertão. 2009. 224 f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2009.