A dimensão bélica e um possível diálogo com o totalitarismo nazista de alguns hinos oficiais do futebol carioca

Autores

Bruno Castro, Rafael Valladão

Periódico / Revista

FuLiA / UFMG

Cidade

Belo Horizonte

Volume

v. 2

Número

n. 3

Páginas

p. 126-146

Ano

2017

Tema

Dossiê Crônica esportiva no Brasil: história e narrativa

ISSN

2526-4494

Resumo (pt)

Ao analisarmos a letra dos hinos oficiais compostos no período da Primeira República Brasileira, verificamos duas características básicas e predominantes: a primeira característica é a forte influência do pensamento higienista; a segunda é a presença do futebol brasileiro como substituto da atividade bélica. O tom marcial que tinham os hinos oficiais não confere a descontração e a originalidade das marchinhas carnavalescas utilizadas por Lamartine Babo nos hinos populares. Foi possível identificar em alguns hinos oficiais características que de alguma forma dialogam com o regime nazista totalitário. O tom bélico e racista das letras dos hinos oficiais, em referência ao contexto histórico da época em que foram compostos, expõe a inegável semelhança ideológica com o nazismo, por mais que não tenham tido uma ligação direta.

PALAVRAS-CHAVE: Hinos do futebol; Totalitarismo; Nazismo.

Abstract

After analyzing the letters of the official hymns written in the period of the first Brazilian republic, it is possible to observe two basic and prevailing characteristics: the first characteristic is the strong influence of the hygienist thought; the second is the presence of the Brazilian football as a substitute for war activity. The martial tone that the official hymns had, does not resemble the relaxation and originality of the carnival songs used by Lamartine Babo in the some characteristics in the official hymns that somehow establish a dialogue with the totalitarian nazi regime. When referring to the historical context in which the letters of the official hymns were written, their racist and warlike tone shaws the undeniable ideological resemblance to the Nazism, even thought they haven’t had a direct connection.

KEYWORDS: Football hymns; Totalitarianism; Nazism

Referência

CASTRO, Bruno; VALLADãO, Rafael. A dimensão bélica e um possível diálogo com o totalitarismo nazista de alguns hinos oficiais do futebol carioca. FuLiA / UFMG. Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 126-146, 2017.