Discursos sobre violência envolvendo torcedores de futebol

Autores

Felipe Tavares Paes Lopes

Subtítulo

ideologia e crítica na construção de um problema social

Orientador

Esdras Guerreiro Vasconcelos

Banca

Afonso Antonio Machado, Paulo de Salles Oliveira, Heloisa Helena Baldy dos Reis, Dante De Rose Junior

Faculdade / Instituição

Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo

Tipo

Tese

Área de concentração

Doutorado em Psicologia

Ano

2012

Páginas

589

Cidade

São Paulo

Resumo (pt)

A violência envolvendo torcedores de futebol, tanto nas arquibancadas como fora delas, não e recente. Sabemos que esse fenômeno ocorre ha décadas em diversas partes do mundo, estendendo-se aos anos anteriores a Primeira Grande Guerra. Entretanto, no Brasil, foi somente a partir do final da década de 1980 que ele passou a se notabilizar como conteúdo noticioso e, com isso, a mobilizar mais fortemente a opinião publica. Nesse período, foi alçado a condição de problema social e tornou-se objeto de preocupação publica constante. Desde então, diversos claims-makers jornalistas, dirigentes desportivos, dirigentes de torcidas organizadas, acadêmicos, autoridades publicas etc. vem debatendo o assunto. Diante da relevância e premência desse debate, objetivamos, nesta tese, discutir como ele vem sendo construído e como os sentidos mobilizados por essa construção se entrecruzam com relações de dominação. Mais especificamente, buscamos responder a seguinte indagação: se, em que medida e como os discursos desses diversos claims-makers acerca da violência envolvendo torcedores de futebol podem ser considerados uma produção ideológica, produzindo e reproduzindo relações de dominação? A fim de termos acesso a esses discursos, realizamos entrevistas semi-estruturados e coletamos artigos opinativos em jornais de grande circulação. Para analisar esses materiais, apoiamo-nos na teoria de violência de Johan Galtung, na teoria construcionista de problemas sociais e na teoria de ideologia de John B. Thompson, alem de adotarmos o referencial metodológico desenvolvido por este ultimo, a hermenêutica de profundidade. Seguindo a estrutura tradicional desse referencial, organizamos a analise dos materiais em três fases: num primeiro momento, descrevemos e analisamos o seu contexto socio-historico de produção, circulação e recepção; num segundo momento, analisamos a sua estrutura interna; e, num terceiro momento, reinterpretamos os resultados obtidos na segunda fase a luz dos obtidos na primeira. A partir dessa reinterpretação, argumentamos, entre outras coisas, que o debate em questão tem mobilizado a ideologia ao ajudar a manter os torcedores organizados, em particular, e os pobres, em geral, numa situação de dominação. Alem disso, defendemos que, ao difundir a ideia de que a irracionalidade e uma característica natural do comportamento de grupo ou de massa, alguns discursos enunciados nesse debate também tem mobilizado a ideologia na medida em que sustentam relações de dominação das autoridades publicas sobre os torcedores. Todavia, o caráter ideológico do debate e, nesse caso, confrontado pelo caráter critico de outros discursos, que contestam a ampliação do controle do Estado sobre o cidadão. Alem dessa contestação, observamos criticas ao tratamento dado ao torcedor no espetáculo futebolístico e ao comportamento das autoridades, jornalistas e dirigentes. Também percebemos uma profunda insatisfação em determinados discursos com as diferenças socioeconômicas e com as condições educacionais existentes no pais. Diante disto, não pudemos deixar de reconhecer que, ainda que em diversos momentos esteja a serviço da dominação, o debate atual em torna da violência no futebol brasileiro também tem mobilizado criticas e intervenções desafiadoras e transformadoras do status quo.

Abstract

The violence involving football supporters, both inside and outside the stadiums, is not recent. We know that this phenomenon has been occurring for decades in different parts of the world, since the World War I. In Brazil, however, it was only after the 1980s that it began to excel as news content and, therefore, mobilize public opinion more strongly. In this period, it became a social problem and the object of constant public apprehension. Since then, many claimsmakers journalists, club directors and torcidas organizadas (organized fan groups), scholars, public authorities etc. have debated the issue. Due to the relevance and prominence of this debate, in this dissertation, we aimed to discuss how this debate has been constructed and how the meanings mobilized by this construction relate with domination relations. More specifically, we aimed to answer the following question: if and how the discourses produced by those different claims-makers about the violence involving football supporters may be considered an ideological production? To access these discourses, we conducted semistructured interviews and collected opinion articles published in newspapers with large circulation. The analysis of these materials was based on the violence theory proposed by Johan Galtung, on the constructivist social problems theory and on John B. Thompson´s ideology theory we also used the methodology developed by the latter author, depth hermeneutics. Following the traditional structure proposed by this methodology, we divided the analysis into three phases: first, we described and analyzed the socio-historical context of its production, circulation and reception; second, we analyzed its internal structure and, finally, we reinterpreted the second phase´s outcomes using the data produced in the first stage. After this reinterpretation, we argued, among other things, that the debate discussed here has mobilized the ideology since it helps to keep the torcedores organizados, in particular, and the common supporters, in general, in a domination situation. We also defended that some of these discourses propagate the idea that group or mass behavior is naturally irrational and that, in doing so, they sustain the domination relation between public authorities and supporters. However, the ideological aspect of the debate is, in this case, confronted by the critical aspect of the discourses that contest the amplification of the State control. We also observed that they criticize the treatment the supporters receive during the football event and the behavior of authorities, journalists and sports directors. We also noticed, in some discourses, a deep dissatisfaction with the socio-economical differences and the educational conditions of the country. Therefore, we can say that, although the current debate about violence in Brazilian football often contributes to domination, it also has mobilized some criticism, challenging interventions and the transformation of the status quo.

Sumário

Apresentação, 13
Do problema de pesquisa, 13
Do plano da pesquisa, 18

Parte I – Referencial teórico-metodológico, 21

Capítulo 1 – Referencial teórico, 22
1.1 A concepção de violêmcia de Johan Galtung, 22
1.2 A concepção construcionista de problemas sociais, 27
1.3 A concepção de ideologia de John B. Thompson, 32

Capítulo 2 – Referencial metodológico, 42
2.1 Primeira fase da Hermenêutica de Profundidade: análise sócio-histórica, 45
2.2 Segunda fase da Hermenêutica de Profundidade: análise formal ou discursiva, 46
2.3 Terceira fase da Hermenêutica de Profundidade: interpretação/reinterpretação, 47

Parte II – Análise sócio-histórica, 48

Capítulo 3 – Contexto internacional de construção, transmissão e recepção do problema social, 52
3.1 Claims-makers e audiências, 53
3.2 Interpretações, 72
3.2.1 Interpretações “Internalistas”, 81
3.2.2 Interpretações “Externalistas”, 85
3.3 Políticas de contenção, 92

Capítulo 4 – Contexto nacional de construção, transmissão e recepção do problema social, 103
4.1 Claims-makers e audiências, 109
4.2 Interpretações, 126
4.2.1 Interpretações “Internalistas”, 138
4.2.2 Interpretações “Externalistas”, 140
4.3 Políticas de contenção, 153

Parte III – Análise formal ou discursiva, 164

Capítulo 5 – Construindo as condições, 181
5.1 Condições “internas”, 182
5.1.1 Comportamento de grupo ou de massa, 183
5.1.2 Organização do evento futebolístico, 189
5.2 Condições “externas”, 195
5.2.1 Impunidade, 196
5.2.2 Falta de interesse em resolver o problema, 200
5.2.3 Falta de cidadania, desigualdade e insatisfação social, 205

Capítulo 6 – Construindo os envolvidos, 211
6.1 “Vítimas”, 213
6.1.1 Treinadores e atletas, 213
6.1.2 “Torcedor comum”, 217
6.1.3 Consumidor, 221
6.1.4 Famílias, 224
6.1.5 Sociedade, 228

6.2 “Vilões”, 233
6.2.1 Torcedor violento, 234
6.2.2 Jornalistas, 256
6.2.3 Autoridades públicas e dirigentes desportivos, 259

Capítulo 7 – Construindo soluções, 265
7.1 Soluções previstas no Estatuto de Defesa do Torcedor, 271
7.1.1 Penalização das torcidas organizadas, 272
7.1.2 Criminalização da violência, da fraude desportiva e do cambismo, 276
7.1.3 Elaboração e implementação de planos de ação, emissão de ingressos numerados e agilidade na venda de ingressos, 281

7.2 Soluções não previstas no Estatuto de Defesa do Torcedor, 283
7.2.1 Cadastramento nacional do torcedor, 284
7.2.2 Restrição ou proibição da presença da torcida visitante, 291
7.2.3 Especialização da polícia, 299
7.2.4 Qualificação do jornalista esportivo e elaboração e aplicação de um Termo de Reajuste de Conduta, 301
7.2.5 Investimento em educação, diminuição da desigualdade social e fortalecimento do diálogo, 305

Parte IV – Interpretação/Reinterpretação, 313

Capítulo 8 – Potencial ideológico dos discursos, 315

Capítulo 9 – Potencial crítico dos discursos, 321

Considerações finais, 325

Referências bibliográficas, 329

Anexos, 345

Referência

LOPES, Felipe Tavares Paes. Discursos sobre violência envolvendo torcedores de futebol: ideologia e crítica na construção de um problema social. 2012. 589 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.