É dia de lotar o estádio: como os torcedores são convocados para uma partida de futebol

Autores

Gustavo Andrada Bandeira

Tipo de evento

Corpo, violência e poder

Nome do congresso

Seminário Internacional Fazendo Gênero 8

Cidade

Florianópolis

Ano

2008

Páginas

7

Entidade Organizadora

UFSC

Resumo (pt)

Tendo como referência os Estudos Culturais e de Gênero pós-estruturalistas, este trabalho procura problematizar as formas como os torcedores são convidados a participarem dos jogos de seus clubes. Para tanto selecionei quatro jornais da cidade de Porto Alegre nos dias de quatro jogos do Sport Club Internacional e do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense no Campeonato Gaúcho de 2008, observando dois conjuntos de textos diferentes: os veiculados pelas equipes de marketing dos clubes e os dos comentaristas dos jornais. Entendo que esses materiais produzem uma espécie de currículo com conteúdos de uma masculinidade específica para ser exercida nos estádios Olímpico e Beira-Rio. A análise permite-me pensar aproximações e afastamentos entre os dois conjuntos de textos: ambos falam sobre a importância do torcedor na construção de um ambiente favorável para sua equipe; os textos publicitários destacam a paixão e a união entre time e torcida em busca da vitória e em alguns casos podem convocar os torcedores para uma batalha; os comentaristas fazem maiores alusões ao comportamento da equipe, além de solicitar o apoio incondicional dos torcedores. Procuro investigar que representações de masculinidades são convocadas e de que forma são hierarquizadas. Esses conjuntos de textos interpelam os sujeitos de diferentes modos. Ao mesmo tempo em que colocam o torcedor como protagonista dos jogos, tentam diminuir o envolvimento dos mesmos com os eventos esportivos para evitar algumas manifestações de violência.
 
Palavras-chave: Masculinidade, representação e futebol.

Referência

BANDEIRA, Gustavo Andrada. É dia de lotar o estádio: como os torcedores são convocados para uma partida de futebol. In: UFSC, , 2008, Florianópolis. Seminário Internacional Fazendo Gênero 8, UFSC. Corpo, violência e poder, UFSC, 2008.