El fútbol como instrumento sociopolítico: un arma de doble filo

Autores

Joan Úbeda, Pere Molina, Miguel Villamón

Periódico / Revista

Recorde: Revista de História do Esporte

Volume

v.7

Número

n.1

Área de concentração

História

ISSN

1982-8985

Resumo (pt)

O futebol não é uma prática esportiva isolada do contexto social e político onde se desenvolve. Com frequência, tem sido submetido a um uso político por parte do poder estabelecido, reproduzindo, assim, os valores sociais dominantes. Não obstante, também encontramos a vertente contrária: casos em que o futebol se converteu em ferramenta de luta contra o poder hegemônico. O presente trabalho analisa alguns dos casos mais relevantes de utilização política do futebol por parte de regimes autoritários ao longo do século XX, para posteriormente apresentar outros casos em que o futebol foi uma ferramenta de contrapoder utilizada por grupos desfavorecidos ou oprimidos. O artigo conclui afirmando que o futebol é um fenômeno social de massas muito complexo que pode converter-se em uma arma política de dois gumes.

Abstract

Football is not a sport isolated from the social and political context in which it is developed. It has often been linked to political manipulation by the established power, thus reproducing the dominant social values. However, we also come across with the opposite side, cases in which football has become a tool of struggle against the hegemonic power. This paper analyzes some of the most important cases of political use of football by authoritarian regimes throughout the twentieth century, and then it presents other cases in which football has been a tool of counterforce used by disadvantaged or oppressed groups. The paper concludes that football is a very complex social phenomenon and it can become in a politically double-edged sword.

Resumo (outro idioma)

El fútbol no es una práctica deportiva aislada del contexto social y político donde se desarrolla. Con frecuencia, ha sido sometido a una utilización política por parte del poder establecido, reproduciendo así los valores sociales dominantes. No obstante, también encontramos la vertiente contraria, casos en los que el fútbol se ha convertido en una herramienta de lucha contra el poder hegemónico. El presente trabajo analiza algunos de los casos más relevantes de utilización política del fútbol por parte de regímenes autoritarios a lo largo del siglo XX, para posteriormente presentar otros casos en los que el fútbol ha sido una herramienta de contrapoder utilizada por grupos desfavorecidos u oprimidos. El artículo concluye afirmando que el fútbol es un fenómeno social de masas muy complejo que puede convertirse en un arma política de doble filo.

Referência

ÚBEDA, Joan; MOLINA, Pere; VILLAMóN, Miguel. El fútbol como instrumento sociopolítico: un arma de doble filo. Recorde: Revista de História do Esporte. Rio de Janeiro, v.7, n.1, 2014.

Acesse o site da revista Recorde