Emoções masculinas nos estádios de futebol

Autores

Gustavo Andrada Bandeira

Tipo de evento

Congresso

Nome do evento

Ciências Sociais

Nome do congresso

Fazendo Gênero 9: Diásporas, Diversidades, Deslocamentos

Cidade

Santa Catarina

Ano

2010

Entidade Organizadora

Universidade Federal de Santa Catarina

Resumo (pt)

O objetivo deste estudo é visualizar como as narrativas dos torcedores de futebol se associam a construções históricas de amor e como essas atravessam suas construções de masculinidades. Para a produção do material empírico, frequentei os estádios Beira-Rio, do Internacional, e Olímpico, do Grêmio. Dentre as escolhas metodológicas permiti-me fazer alguns usos de uma etnografia pós-moderna com observações participantes e construção de diários de campo, além da análise de quatro jornais da cidade de Porto Alegre. A ideia foi partir desses olhares distintos para produzir outro olhar sobre representações de masculinidades, emoções e amores. As masculinidades que gozam de maior legitimidade nos estádios associam-se a figuras de machões e guerreiros, sempre dispostos a algum tipo de confronto. Curiosamente, é nesse contexto de homofobia e violência potencial que aparecem grandes manifestações públicas de sentimentos ou de afetos masculinos. Ao mesmo tempo em que diferentes manifestações não estão diretamente associadas a algumas das representações de masculinidades heteronormativas dos estádios de futebol, o amor também pode ser utilizado dentro de uma competição masculina em que a maior ou menor capacidade de amar produz hierarquias entre as masculinidades.

Referência

BANDEIRA, Gustavo Andrada. Emoções masculinas nos estádios de futebol. In: Universidade Federal de Santa Catarina, , 2010, Santa Catarina. Fazendo Gênero 9: Diásporas, Diversidades, Deslocamentos, Universidade Federal de Santa Catarina. Congresso, Universidade Federal de Santa Catarina, 2010.