“Entra aí pra completá”

Autores

Cláudia Samuel Kessler

Subtítulo

narrativas de jogadoras do futsal feminino em Santa Maria - RS

Orientador

Maria Catarina Chitolina Zanini

Banca

Luiz Henrique de Toledo, Silvana Vilodre Goellner

Faculdade / Instituição

Centro de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Federal de Santa Maria

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Ciências Sociais

Ano

2010

Páginas

128

Cidade

Santa Maria

Resumo (pt)

Partindo de uma etnografia das práticas desportivas, o presente trabalho procurou mapear a constituição do futsal feminino em Santa Maria – RS, bem como entender a importância que este esporte possui na trajetória de vida das 18 jogadoras entrevistadas para esta pesquisa. Inicialmente impedidas de jogar, devido a proibições familiares e até mesmo governamentais, as mulheres passaram de torcedoras a praticantes, empoderando-se por meio da expressão de sua subjetividade. Com a execução de suas artes de fazer (e pode-se também entender que o jogo era uma arte mostrada por elas), estas mulheres subverteram a hegemonia dominante que afirmava discursos sexistas e essencialistas, referentes à questão reprodutiva e à ligação do feminino ao mundo doméstico. Estas mulheres desafiaram imposições relativas à centralidade de padrões sexuais e comportamentais, adentrando numa arena de predominância masculina. No decorrer de algumas décadas, desde 1980, ocuparam espaços dentro dos campos de futebol santa-marienses e, posteriormente, as quadras de futsal da cidade.

Palavras-chave: etnografia; mulheres; futsal.

Abstract

Based on an ethnography of sporting activities, this study intended to map the formation of futsal in Santa Maria – RS (Brazil), and understand the importance that this sport has in the lives of 18 players interviewed in this research. Initially barred from playing, due to familiar and governmental prohibitions, women went from fan to players, getting empowered through the expression of their subjectivities. With the implementation of their gear to do (and can also be understood that the game was an art displayed by them), these women subverted the dominant hegemony that pronounced sexist and essentialist discourses, relating to reproductive issues and that linked the feminine to private spaces, like home. These women challenged the centrality of sexual standards and behavior, entering a male-dominated arena. Over a few decades, since 1980, they occupied spaces in the soccer fields of Santa Maria, and after they started to play futsal.

Keywords: ethnography; women; futsal

Sumário

INTRODUÇÃO, 13

1. O CAMPO, A QUADRA E MUITAS DÚVIDAS – A ETNOGRAFIA DAS PRÁTICAS
ESPORTIVAS NO FUTSAL FEMININO SANTA-MARIENSE, 21

2. NO “PAÍS DO FUTEBOL” TAMBÉM SE JOGA FUTSAL, 30
2.1 O início do futsal no Brasil e no Rio Grande do Sul, 37
2.2 Breve histórico do futsal em Santa Maria, 42

3. CENAS DE UM JOGO PROIBIDO, 49
3.1 Notas sobre uma “Taffarel de saias” e as Martinhas de Santa Maria, 60
3.2 “Vamo batê uma bolinha?” – o futebol de salão como uma alternativa, 80
3.3 A organização da modalidade em Santa Maria, 87

4. ARQUIVOS DE SI: MEMÓRIAS EM PLÁSTICOS, CAIXAS DE SAPATO, BALDES OU ESTANTES, 106

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 116
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 118

Referência

KESSLER, Cláudia Samuel. “Entra aí pra completá”: narrativas de jogadoras do futsal feminino em Santa Maria - RS. 2010. 128 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Centro de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.