Entre o ethos aristocrático e o associativismo: futebol amador e competência esportiva na cidade de São Paulo (1920-1930)

Autores

Diana Mendes Machado da Silva

Periódico / Revista

História Unisinos

Cidade

São Leopoldo

Volume

v.19

Número

n.3

Páginas

p. 293-302

Ano

2015

Tema

Dossiê: Futebol, Raça e Nação no Brasil

Área de concentração

História

ISSN

2236-1782

Resumo (pt)

Inúmeras transformações urbanas e socioculturais caracterizaram a cidade de São Paulo no período 1920-1930, modificando lugares sociais, costumes e padrões de conduta. O futebol não ficou imune a tais mudanças. Duas experiências, a princípio antagônicas, revelam como essa instabilidade marcou a formação do campo esportivo na cidade. A partir da documentação interna da Associação Atlética Anhanguera e do Clube Atlético Paulistano, representantes, respectivamente, dos clubes populares varzeanos e dos clubes de elite, o presente artigo compara momentos das trajetórias das duas associações: apresenta as diferenças na forma como se apropriaram do futebol e as semelhanças em sua recusa a modernos critérios de organização como a competência esportiva. Embora tal rejeição tivesse por base tradições muito diferentes: o associativismo familiar e de socorro mútuo, por um lado, e o ethos aristocrático, por outro, ela acabou por contribuir para a formação da ideia de amadorismo, substancial para as práticas e representações do futebol paulistano.

Palavras-chave: futebol amador, associativismo, ethos aristocrático, Associação Atlética Anhanguera, Clube Athletico Paulistano.

Abstract

Several urban and sociocultural shifts took place and marked the period 1920- 1930, changing social places, customs and standards of conduct. Football would not be immune to such changes. Two experiences at first glance antagonistic reveal how this instability marked the establishment of sports in the city. Based on documents from An- hanguera Athletic Association and Paulistano Athletic Club – representatives, respectively, of the popular clubs situated on the floodplains of the city and the elite clubs – this article compares moments of the trajectories of the two associations. It outlines the differences in the way each one of them assimilated football and the similarities regarding the criteria they used to refuse modern organization processes such as sports competence.The criteria for this rejection were, however, based on quite different traditions: family associations and mutual help in the case of popular clubs and the aristocratic ethos in the elite clubs. Nevertheless, both forms contributed to the establishment of the idea of amateurism, which has been substantial for the practices and the image of football in São Paulo.

Keywords: amateurism, associations, aristocratic ethos, Associação Atlética Anhanguera, Clube Athletico Paulistano.

Referência

SILVA, Diana Mendes Machado da. Entre o ethos aristocrático e o associativismo: futebol amador e competência esportiva na cidade de São Paulo (1920-1930). História Unisinos. São Leopoldo, v.19, n.3, p. 293-302, 2015.

Acesse a História Unisinos