Freud explicaria isso?

Autores

Natasha Santos Lise

Subtítulo

Os sentimentos e ressentimentos do futebol em Nelson Rodrigues (1951-70)

Orientador

André Mendes Capraro

Banca

Fátima Martin Rodrigues Ferreira Antunes, Miguel Archanjo de Freitas Júnior

Faculdade / Instituição

Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em História

Ano

2012

Páginas

136

Cidade

Curitiba

Resumo (pt)

O objetivo da presente pesquisa é analisar as abordagens futebolísticas nos roteiros, contos e crônicas de Nelson Rodrigues, entre 1951 e 1970, a partir de uma perspectiva teórica psicanalítica – haja vista os traumas, recalques e obsessões observáveis em suas obras. Se Nelson Rodrigues, independentemente do gênero que escrevia, mantinha-se na intersecção entre o factual e o fictício, pode-se constatar que, assim como a dramaticidade típica do teatro rodrigueano adentra a crônica esportiva, o futebol – enquanto tema do cotidiano – também ocupou um espaço na ficção, representada pelos contos e roteiros. Nesse sentido, quais as conjunções utilizadas por Nelson Rodrigues, ao retratar o futebol nos roteiros, contos e crônicas do período entre 1951 e 1970? O esporte nos roteiros e contos é o mesmo dramatizado nas crônicas ou assume papel preponderante na psicologização de seus personagens? E, em contrapartida, esse ponto de vista psicológico acerca dos personagens adentra a crônica esportiva? A fim de solucionar as questões levantadas previamente, fez-se necessário o uso da análise literária, proposta de Antonio Candido (1992, 2000), que considera tanto as questões do texto por si só, quanto os aspectos do contexto que, inevitavelmente, permeiam a obra. Junto a isso, contou-se ainda com alguns conceitos psicanalíticos propostos por Sigmund Freud. Com base na análise das fontes, constatou-se que, se na crônica esportiva, Nelson Rodrigues se utilizava da psicologia para falar do complexo de vira-latas e do bem-estar do atleta, que se sentia inferior diante de estrangeiro, nos contos e roteiros o autor estabelece o futebol como elemento de sublimação das repressões cotidianas. A trama teatral, que também se reflete no conto, atua como um meio de mostrar, de maneira prática, sob a forma de exemplo, os sentimentos em torno do esporte, expostos na crônica.

Abstract

The goal of this research is to analyze football in the screenplays, short stories and sport chronicles produced by Nelson Rodrigues, between 1951 and 1970, through a perspective based on the psychoanalytic theory – considering the traumas, repressions and obsessions observable in his texts. If Nelson Rodrigues, independently of the literary genre, used to stay at the intersection between the factual and the fictional, it can be seen that as well as the drama of his theater enters the sport chronicles, football – as a topic of everyday life – also held a space in fiction, represented through screenplays and short stories. Thereby, what were the conjunctions used by Nelson Rodrigues, when represented football in the screenplays, short stories and chronicles of the period between 1951 and 1970? Is the sport presented in the screenplays and short stories the same dramatized in the chronicles or does it assume a role in the psychologizing of the characters? And, on the other side, does this psychological point of view appear on the sport chronicles? In order to answer the questions raised, it was necessary the use of literary analysis, proposed by Antonio Candido (1992, 2000), which considers both issues of the text and the aspects of context that permeate the production. Also, it was necessary to use some psychoanalytic concepts grounded by Sigmund Freud. Based on the analysis of the sources, it was found that if in the sport chronicles Nelson Rodrigues used psychology to talk about the Brazilians complex of inferiority; in the short stories and screenplays the author establishes football as an element of sublimation of daily repression. The theatrical plot, which is also reflected in the short stories, acts as a way of showing, in a practical mean, like an example, the emotions around the sport exposed in the chronicle.

Sumário

1 INTRODUÇÃO, 8

1.1 O FUTEBOL NA LITERATURA, 8
1.2 HISTÓRIA, LITERATURA E PSICANÁLISE, 14

2 OS DRAMAS, AS TRAGÉDIAS, AS FARSAS E COMÉDIAS DA CRÔNICA ESPORTIVA, 25

2.1 O GÊNERO LITERÁRIO, O ESPORTE E UM IDEAL IDENTITÁRIO, 25

2.2 A PAIXÃO PELO ESCRETE ENTRE PERSONAGENS DA SEMANA, 35
2.2.1 O fracasso brasileiro: do racial ao psicológico, 35
2.2.2 Construção e desconstrução de um enredo: seleção brasileira nas vitórias e derrotas, 49

3 O FUTEBOL EM TRÊS ATOS, 58

3.1 “FLOR DE OBSESSÃO” E SUA INSERÇÃO NO MEIO INTELECTUAL, 58

3.2 A FARSA TRÁGICA E O FUTEBOL, 76

4 A VIDA COMO ELA É… ENTRE CALÇÕES E CHUTEIRAS, 96

4.1 LITERATURA NA PÁGINA POLICIAL: DO POETA DRAMÁTICO AO SOFRIMENTO, 96

4.2 CADA CONTO É UM CASO – O CASO DO FUTEBOL, 102
4.2.1 O futebol por um país moderno, 102
4.2.2 O futebol e o adultério, 104
4.2.3 Futebol, homens e mulheres, 117

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS, 125

6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 129

7 FONTES, 134

Referência

LISE, Natasha Santos. Freud explicaria isso?: Os sentimentos e ressentimentos do futebol em Nelson Rodrigues (1951-70). 2012. 136 f. Dissertação (Mestrado em História) - Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.