Futebol de base e produção de subjetividade

Autores

Marina de Mattos Dantas

Subtítulo

o psicólogo do esporte e a construção do atleta contemporâneo

Orientador

Heliana de Barros Conde Rodrigues

Banca

Marisa Lopes da Rocha, Silvio Ricardo da Silva

Faculdade / Instituição

Instituto de Psicologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Psicologia Social

Ano

2011

Páginas

106

Cidade

Rio de Janeiro

Resumo (pt)

A proposta deste estudo foi construir uma cartografia dos modos de fazer psicologia em centros de treinamento (CTs) de categorias de base, bem como das relações da psicologia do esporte com outros saberes/poderes e de seus possíveis efeitos na formação do jogador de futebol, tendo por campo empírico o cotidiano de alguns clubes de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro. Em aliança com os pensamentos de Félix Guattari e Gilles Deleuze, apropriamo-nos dos escritos destes e de outros pesquisadores da Análise Institucional como interlocutores nesta cartografia; igualmente, das contribuições de Michel Foucault sobre sociedade disciplinar e biopoder. Estudos antropológicos e sócio-históricos também nos ajudaram a compreender como se constrói a noção/prática de formação no futebol brasileiro contemporâneo. Colaboraram ainda nessa composição os debates metodológico-epistemológicos sobre História Oral, procedimento que funcionou como um dispositivo ético-político durante todo o processo de investigação. Neste sentido, mediante entrevistas de história oral temática, buscou-se conhecer o trabalho de quatro psicólogos do esporte atuantes em categorias de base na atualidade. Complementarmente, observações em centros de treinamento foram realizadas. Nesse percurso, apreendemos nuances da instrumentalização do corpo-atleta que remetem ao processo histórico de construção dos atuais modos de formação do jogador de futebol no Brasil. Pistas sobre os primeiros trabalhos de Psicologia do Esporte de que se tem notícia integram tal processo, e apontam a uma psicologia que também se instrumentalizava, tendo os testes psicométricos como principal recurso. Em uma trajetória na qual forças mais, e menos flexíveis produzem efeitos políticos, vê-se o aspirante a jogador de futebol transformar-se em um atleta que funciona como jogador-peça, jogador-produto, ou mesmo jogador-empresa, a fim de realizar o almejado e muitas vezes inquestionável sonho de ser mundialmente conhecido e aclamado. No espaço dos CTs, disciplina e biopoder se articulam em dispositivos em prol da manutenção de uma produção em moldes capitalísticos. Das modulações das práticas neoliberais surge ainda a figura do empresário para gerenciar a vida dos jogadores e garantir que sejam produtos valorizados no mercado global de boleiros. Embora ainda hoje os testes e os perfis psicológicos sejam instrumentos hegemônicos na psicologia esportiva, as práticas desta última são tão diversas quanto os modos de subjetivação existentes e implicam efeitos às vezes mais, às vezes menos adaptados à promoção do rendimento esportivo e à constituição do atleta empreendedor-de-si mesmo.

Palavras-chave: Futebol de base. psicologia do esporte. produção de subjetividade. formação. atleta jogador de futebol.

Abstract

The purpose of this study was to construct a cartography about the ways of doing psychology in youth soccer training centers (TCs), and also about relationships between sport psychology and other knowledges/powers and their possible effects on the formation of soccer players, having as an empirical field the daily life of some clubs of Belo Horizonte and Rio de Janeiro. In accordance with the thought of Gilles Deleuze and Felix Guattari, we take the writings of these and other researchers of Institutional Analysis as interlocutors in this cartography; we did the same with the contribution of Michel Foucault about disciplinary society and biopower. Anthropological and social-historic studies also helped us in understanding how the idea / practical of formation is being built in contemporary Brazilian soccer. Oral History methodological and epistemological debates also cooperated in that composition, and this was a procedure that worked as an ethical-political device throughout the research process. In this sense, with thematic oral history interviews, the aim was to get to know the work of four sport psychologists who are active in youth soccer. In addition, observatins were conducted in training centers. Along the way, nuances about the instrumentalization of the body-athlete which refer to the historical process of the construction of current modes of training soccer players in Brazil have been apprehend. Clues about the first works in Sport Psychology which are known to us integrate this process and point to a psychology that had been also instrumentalized, having the psychometric tests as its main resource. In a trajectory in which forces – sometimes more, sometimes less flexible produce political effects, the aspiring soccer player becomes an athlete who works as a piece- player, a product-player, or even an enterprise-player in order to realize the desired, and often unquestioned, dream of being a world-renowned and acclaimed soccer player. At TCs spaces, discipline and biopower are articulated as devices for the maintenance of production in the capitalistic framework. From the modulations of neoliberal practices the entrepreneur also appears, to manage players? lives and ensure that they become high-valued products in the global marketplace of footballers. Although the tests and psychological profiling tools are still hegemonic in the practice of sport psychology, those practices are as diverse as the existing modes of subjectivation and imply effects – sometimes more, sometimes less adapted to the promotion of sport performance and to the establishment of the athlete entrepreneur-of-itself.

Keywords: Youth soccer. sport psychology. subjectivity production. formation. soccer player.

Sumário

INTRODUÇÃO, 8

1  CARTOGRAFIA, HISTÓRIA ORAL E SUBJETIVAÇÃO: OS CAMINHOS DA PESQUISA, 14

2  O (NEM TANTO) ADMIRÁVEL FUTEBOL NOVO: FRAGMENTOS DE UMA TENSÃO IMANENTE, 20

3  PSICOLOGIA, PSICOTÉCNICA E INDÍCIOS DE UMA ESPECIALIDADE EMERGENTE, 32

4  CATEGORIAS DE BASE E A FORMAÇÃO DO JOGADOR DE FUTEBOL: SEGUINDO PISTAS DO PROJETO SOMA, 39

5  OS PSICÓLOGOS EM CAMPO: OS CTS E AS DIVERSAS PSICOLOGIAS DO ESPORTE, 51
5.1  Na Toca da Raposa…, 52
5.2  Há coisas que só acontecem com o Botafogo, 59
5.3  Vamos cantando o hino do América, tão famoso e tradicional, 69
5.4  Cidade do Galo, 78

6  QUANTO VALE OU É POR QUILO? O EMPRESÁRIO, O JOGADOR-EMPRESA E O JOGADOR-PRODUTO, 89

7  OS IDIOTAS DA OBJETIVIDADE E SEU ADMIRÁVEL JOGO NOVO, 99

REFERÊNCIAS, 103

Referência

DANTAS, Marina de Mattos. Futebol de base e produção de subjetividade: o psicólogo do esporte e a construção do atleta contemporâneo. 2011. 106 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Instituto de Psicologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.