Futebol de várzea

Autores

Daniel Veloso Hirata

Subtítulo

práticas urbanas e disputa pelo espaço na cidade de São Paulo

Orientador

Vera da Silva Telles

Faculdade / Instituição

Universidade de São Paulo

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Sociologia

Ano

2005

Páginas

155

Cidade

São Paulo

Resumo (pt)

Esta pesquisa propõe um estudo sobre o futebol de várzea na cidade de São Paulo. O estudo foi realizado sob uma dupla perspectiva. De um lado, a história social e urbana de São Paulo, vista pelo ângulo do desenvolvimento do futebol de várzea na cidade. Neste caso, o objetivo foi identificar as relações entre as diversas etapas do processo de periferização e suas relações com o esporte bretão, ou seja, o modo como foi possível utilizar o espaço da cidade para a prática deste esporte. A história do futebol de várzea, confunde-se com a própria história da cidade e acompanha as mudanças da indústria e a expansão das periferias urbanas, seguindo o traçado da rede de transportes na cidade.Por outro, futebol foi tratado como prática urbana inserida em um contexto social determinado. Realiza-se um mapeamento sócio-espacial do futebol e suas relações com as mediações sociais inscritas nos territórios escolhidos de pesquisa. Nesse caso, a hipótese é que o futebol de várzea constitui-se como um campo de práticas e um campo de forças que filtra fluxos de diferentes circuitos e conexões dos territórios urbanos com a cidade e a política. No futebol de várzea inscreve-se uma trama de relações que atravessam os campos do formal/informal, do legal/ilegal, do estatal/privado. Por isso, o futebol de várzea constitui-se um prisma privilegiado para captar de forma transversal um universo que, em geral, é de difícil apreensão para o pesquisador

Observações

Esta obra não encontra-se disponível para download.

Referência

HIRATA, Daniel Veloso. Futebol de várzea: práticas urbanas e disputa pelo espaço na cidade de São Paulo. 2005. 155 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.