Futebol e memória nos anos de chumbo

Autores

Matheus Marinho

Subtítulo

literatura, imprensa e relatos de vida de jogadores da Seleção Brasileira de 1969-1970

Orientador

Elcio Loureiro Cornelsen

Banca

Marcelino Rodrigues da Silva, Chico Brinati

Faculdade / Instituição

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais

Tipo

TCC

Área de concentração

Bacharel em Ciências Sociais

Ano

2020

Páginas

78

Cidade

Belo Horizonte

Resumo (pt)

A relação entre a Seleção Brasileira e o regime militar brasileiro, especialmente em seus “Anos de Chumbo” (1968-1974), é lembrada com um viés crítico, por meio do qual a tese de que o governo autoritário do general Emílio Garrastazu Médici capitalizou a imagem positiva da seleção, tendo em vista a conquista da Copa do Mundo de 1970, para fins político-ideológicos. O objetivo deste trabalho é contribuir para o debate sobre as relações entre futebol e política, em especial, nos anos de maior repressão do regime ditatorial brasileiro. Para tal, busquei revisar a literatura acadêmica sobre o tema e inserir na discussão a contribuição dos relatos de vida de alguns protagonistas dos fatos, além de acrescentar uma análise sobre a cobertura da imprensa esportiva à época. Conclui-se que, entre os estudos acadêmicos, os relatos de vida e a análise sobre a cobertura da imprensa, existem mais versões conflitantes sobre a relação entre o regime e a seleção do que confirmações documentais sobre os fatos.

Palavras-chave: futebol e política. memória e imprensa. Copa do Mundo de 1970. regime militar. Anos de Chumbo.

Abstract

The relationship between the Brazilian “Seleção” (the men’s national football team) and the military regime, especially their “Years of Lead” (1968-1974), are remembered with a critical bias. General Emilio Garrastazu Médici’s authoritarian regime would have capitalized on the Seleção’s positive image after the conquest of the 1970 FIFA World Cup for political and ideological purposes. The goal of this work is to contribute to the on going debate around the relationships between football and politics, with focus on the most repressive years of the Brazilian Dictatorial Regime. For such, I’ve revised the academic works on the subject, inserted on the discussion the contribution of life histories of some key characters of the events, and added an analysis on the sports press coverage of the time. It shows that among the academic studies, the life histories, and the analysis of the press coverage, there are more conflicting versions about any relationship between the regime and the Seleção than there are documental confirmations to these facts.

Keywords: football and politics. memory and press. 1970 FIFA World Cup. military regime. Years of Lead.

Sumário

1 INTRODUÇÃO, 9

2 SELEÇÃO E POLÍTICA NO CONTEXTO DA COPA DE 1970: HISTÓRIA DE UMA RELAÇÃO, 12
2.1 Apropriação do esporte para fins político-ideológicos: nenhuma novidade, 12
2.2 A Copa do Mundo de 1966 e a necessidade de modernização do futebol brasileiro, 16
2.3 Costa e Silva e o esporte como política de Estado, 18
2.4 Anos de Chumbo, Médici e o futebol, 21
2.5 O “pitaco” de Médici, 26
2.6 Comissão técnica militarizada e o planejamento científico, 29

3 RELATOS MEMORIALÍSTICOS SOBRE A SELEÇÃO NO CONTEXTO DA COPA DE 1970: IMPRENSA E RELATOS DE VIDA, 32
3.1 A discussão acerca da memória, 32
3.2 A memória em disputa, 33
3.3 Desafios e potencialidades ao se “escrever uma vida”, 35
3.4 Lejeune e a autobiografia, 36
3.5 A memória da Copa de 1970, 38
3.6 A imprensa e a Copa de 1970: uma análise da revista Placar, 39
3.6.1 Placar, nº 1, 20 de março de 1970 e Placar, nº 2, 27 de março de 1970, segundo João Malaia, 41
3.6.2 Placar, nº 3, 03 de abril de 1970, 43
3.6.3 Placar, nº 4, 10 de abril de 1970, 44
3.6.4 Placar, nº 5, 17 de abril de 1970, 45
3.6.5 Placar, nº 6, 24 de abril de 1970, 45
3.6.7 Placar, nº 7, 01 de maio de 1970 e Placar, nº 8, 08 de maio de 1970, 46
3.6.8 Placar, nº 9, 15 de maio de 1970, 46
3.6.9 Placar, nº 10, 22 de maio de 1970, 48
3.6.10 Placar, nº 11, 29 de maio de 1970, 48
3.6.11 Placar, nº 12, 05 de junho de 1970, 49
3.6.12 Placar, nº 13, 12 de junho de 1970, 50
3.6.13 Placar, nº 14, 19 de junho de 1970, 51
3.6.14 Placar, nº 14A, 19 de junho de 1970, 52
3.6.15 Placar, nº 15, 26 de junho de 1970, 52
3.6.16 Placar, nº 16, 03 de julho de 1970, 53
3.7 O relato rememorado dos protagonistas, 55
3.7.1 Tostão, 55
3.7.1.1 1966, 56
3.7.1.2 Política, 57
3.7.1.3 Médici, 59
3.7.1.4 Saldanha, 60
3.7.1.5 Planejamento científico, 60
3.7.2) Pelé, 62
3.7.2.1 1966, 62
3.7.2.2 Política, 63
3.7.2.3 Médici, 63
3.7.2.4 Saldanha, 64
3.7.2.5 Planejamento científico, 65
3.7.3 Rivellino, 65
3.7.3.1 1966, 66
3.7.3.2 Política, 66
3.7.3.3 Médici, 66
3.7.3.4 Saldanha, 67
3.7.3.5 Planejamento científico, 67
3.7.4 João Havelange, 67
3.7.4.1 1966, 68
3.7.4.2 Política, 69
3.7.4.3 Médici, 70
3.7.4.4 Saldanha, 71
3.7.4.5 Planejamento científico, 71

4 CONSIDERAÇÕES FINAIS, 73

5 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 76

Referência

MARINHO, Matheus. Futebol e memória nos anos de chumbo: literatura, imprensa e relatos de vida de jogadores da Seleção Brasileira de 1969-1970. 2020. 78 f. TCC (Bacharel em Ciências Sociais) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.