Futebol e turismo

Autores

Erick Alan Moreira Ferreira

Subtítulo

possibilidades de aproximação entre o novo Mineirão e a Pampulha

Orientador

Luciano Pereira da Silva

Banca

Héber Estáquio de Paula, Silvio Ricardo da Silva

Faculdade / Instituição

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Lazer

Ano

2015

Páginas

239

Cidade

Belo Horizonte

Resumo (pt)

Esta dissertação teve como objetivo geral pesquisar a prática do turismo futebolístico em Belo Horizonte-MG, a partir das possibilidades de aproximação entre o novo Mineirão e a Pampulha, diante da lógica oriunda do novo ordenamento do futebol brasileiro. Investigou-se, especificamente, o tratamento que a Pampulha recebe pelo poder público municipal em relação ao aspecto do lazer e do turismo, o perfil socioeconômico dos torcedores visitantes que frequentam o estádio em jogos da temporada regular do futebol brasileiro (competições de clube ao nível regional, nacional e continental), as razões que os motivam a viajarem para assistir a uma partida de futebol, a atratividade turística exercida pelo novo Mineirão e o consumo turístico realizado na região. Esta pesquisa classifica-se como qualitativa e quantitativa, do tipo exploratória e descritiva. Como parte da etapa qualitativa/exploratória, realizou-se pesquisa bibliográfica e documental, já a parte quantitativa/descritiva foi desenvolvida por meio de uma pesquisa de campo. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi o formulário. Os formulários foram aplicados aos torcedores em dias de jogos realizados no Mineirão, nas áreas internas e externas do estádio. Para poder participar da pesquisa, o torcedor deveria ter mais de dezoito anos de idade e não possuir moradia fixa na cidade de Belo Horizonte. Ao todo, 335 torcedores participaram da pesquisa. Com a realização da pesquisa exploratória, identificou-se que, na Pampulha, mesmo tendo sido criada na década de 1940 com o objetivo de se tornar o espaço de referência da capital mineira em termos de vivências sociais, especialmente em relação ao turismo, esta atividade começou a se desenvolver, de fato, somente na década de 2000, quando se permitiu o uso não residencial da região, o que possibilitou a instalação de atividades econômicas, como, por exemplo, os serviços turísticos. Com as intervenções realizadas para a Copa Mundo de 2014, a Pampulha consolidou-se como espaço turístico, uma vez que houve ampliação e melhoria dos seus atrativos, equipamentos, infraestrutura e serviços voltados para a atividade turística. Sobre os dados coletados na pesquisa de campo, identificou-se que o perfil socioeconômico do torcedor visitante apresenta características particulares condizentes com este tipo de público, que se define, predominantemente, como casado, adulto e com nível elevado em relação à formação escolar e renda, e, ainda, em consonância com o cenário de mercantilização do futebol brasileiro, grande parte já se tornou sócio-torcedor e a minoria faz parte de torcida organizada. A maioria dos torcedores visitantes viaja com o objetivo principal de assistir a uma partida de futebol no estádio e os valores intrínsecos ao novo Mineirão são fatores que os motivam a querer frequentá-lo. Os torcedores visitantes são, em sua maioria, turistas e hospedam-se prioritariamente em hotel/pousada e, quando o motivo principal da viagem é o futebol, a Pampulha é a região mais demandada. No que se refere ao consumo turístico na Pampulha, a minoria dos torcedores visitantes realizou outros tipos de atividades além da vivência futebolística, no entanto, percebe-se que o passeio na orla da Lagoa da Pampulha, o consumo em bares e restaurantes e a visita à Igreja de São Francisco de Assis e ao zoológico são as atividades mais recorrentes entre os torcedores que agregam a vivência no futebol com a atividade turística. Portanto, tanto pelas intervenções ocorridas na paisagem urbana da Pampulha, que a constituíram como espaço turístico, quanto pelo fluxo turístico proveniente da demanda futebolística, acredita-se que o futebol possa ser pensado, para além da dimensão esportiva, como uma atração turística capaz de fomentar o turismo na localidade.

Palavras-chave: Futebol. Turismo. Estádio. “Novo” Mineirão. Pampulha.

Abstract

This dissertation aimed to investigate the practice of football tourism in Belo Horizonte-MG, from the possibilities of approximation between the new Mineirão and Pampulha, before the coming of the new spatial logic of Brazilian football. Investigated specifically the treatment that the Pampulha receives by the municipal government regarding the appearance of leisure and tourism, the socio-economic profile of the visiting fans who attend the stadium in regular season games of Brazilian football (club competitions to the level regional, national and continental), the reasons that motivate them to travel to watch a football match, the tourist attraction exerted by the new Mineirão and tourism consumption performed in the region. This research is classified as qualitative and quantitative, exploratory and descriptive. As part of the qualitative/exploratory stage, took place bibliographical and documentary research, as quantitative/descriptive part, was done by conducting a field survey. The instrument used for data collection was the form. The forms were applied to fans on game days held in the Mineirão, in internal and external areas of the stadium. In order to participate in the survey, the fan should be over eighteen years of age and has no fixed dwelling in the city of Belo Horizonte. At the end of the study, participated 335 fans. With the completion of exploratory research, it was identified that the Pampulha, even though it was created in the 1940s with the aim of becoming the reference area of the state capital in terms of social experiences, especially in relation to tourism, this activity began develop, in fact, only in the 2000s, when it became allowed non-residential use of the area, allowing the installation of economic activities, for example, tourist services. With interventions carried out for the World Cup 2014, the Pampulha established itself as a tourist space, since there was expansion and improvement of its attractions, equipment, infrastructure and services for the tourism industry. On the data collected in the field research, we identified that the visitor supporter socioeconomic profile presents particular characteristics consistent with this kind of audience, which is defined as predominantly married, adult and high level with regard to schooling and income, and Moreover, in line with the commodification scenario of Brazilian football, much longer it became socio-fans and the minority part of cheerleading. Most visiting fans traveling with the main objective to watch a football match at the stadium and the intrinsic values to the new Mineirão, are factors that motivate them to want to attend it. Visitors fans are mostly tourists and staying primarily in hotel/hostel, and when the main purpose of trip is football, Pampulha is the most demanded area. With regard to tourism consumption in Pampulha, the minority of visiting fans held other activities besides football experience, however, one realizes that the ride on the edge of Lagoa da Pampulha, consumption in bars and restaurants and the visit the Church of St. Francis of Assis and the zoo, are the most frequent activity among fans that add the experience in football with tourism. Therefore, both the interventions occurred in the urban landscape of Pampulha that formed as a tourist space as the tourist flow from the footballing demand, it is believed that football might be thinking beyond the sporting dimension, as a tourist attraction capable of promoting tourism in the locality.

Keywords: Football. Tourism. Stadium. “New” Mineirão. Pampulha.

Sumário

INTRODUÇÃO, 16

1 A CONSTITUIÇÃO DO ESPAÇO URBANO DA PAMPULHA: LÓCUS PRIVILEGIADO PARA VIVÊNCIAS SOCIAIS, 38
1.1 Símbolo da modernidade belo-horizontina, 39
1.2 Lazer, esporte e turismo: vivências sociais intrínsecas na dinâmica do espaço projetado (1943-1954), 43
1.3 Da decadência ao ressurgimento, 48
1.3.1 A reconstrução da barragem e a construção de novos equipamentos de lazer, 49
1.3.1.1 Fatores que engendraram a construção do Estádio Governador Magalhães Pinto – “Mineirão”, 51
1.4 Proteção ao patrimônio histórico e cultural, 57
1.5 A “oficialização” da Pampulha como espaço de lazer e turismo da capital mineira, 61
1.6 Planos e programas municipais que versam sobre desenvolvimento turístico da Pampulha, 77

2. FUTEBOL, MERCADO E TURISMO, 90
2.1 Futebol – de símbolo de uma paixão nacional a um negócio mercadológico apropriado pela indústria do lazer e do entretenimento, 91
2.2 Copa do Mundo e a efervescência da lógica mercadológica – proliferação das arenas multiuso e reflexos na vivência do torcer, 95
2.3 A Copa do Mundo em Belo Horizonte – o “novo” Mineirão e as transformações no espaço urbano da capital mineira com foco na atividade turística na Pampulha, 104
2.4 Turismo esportivo, 117
2.4.1 Turismo de eventos esportivos, 123
2.4.2 Turismo futebolístico, 127

3. A PRÁTICA DO TURISMO FUTEBOLÍSTICO EM BELO HORIZONTE: APROXIMAÇÕES ENTRE O “NOVO” MINEIRÃO E A PAMPULHA, 130
3.1 Informações gerais sobre a pesquisa e os participantes, 130
3.1.1 Competições, 130
3.1.2 Dias e horários de realização da pesquisa, 131
3.1.3 Classificação do torcedor, 131
3.1.4 Clubes e seus respectivos Estados, 132
3.1.5 Localidade de moradia habitual, 133
3.2 Perfil socioeconômico do torcedor visitante, 135
3.2.1 Gênero, 135
3.2.2 Estado civil, 136
3.2.3 Faixa etária, 137
3.2.4 Escolaridade, 138
3.2.5 Renda média familiar, 138
3.2.6 Ocupação profissional, 140
3.2.7 Sócio-Torcedor, 141
3.2.8 Torcida organizada, 142
3.3 Composição do grupo de viagem, 142
3.4 Viagens e fatores motivacionais, 144
3.4.1 Assiduidade do torcedor visitante no “novo” Mineirão, 144
3.4.2 Fatores motivacionais, 151
3.4.2.1 Principal motivo da viagem até Belo Horizonte, 151
3.4.2.1.1 Outros tipos de motivação da viagem até Belo Horizonte, 153
3.4.2.2 Reforma do Mineirão como fator motivador da ida do torcedor visitante ao estádio, 154
3.5 Utilização de serviços turísticos, 156
3.5.1 Meio de transporte, 156
3.5.2 Turistas / Excursionistas, 159
3.5.2.1 Pernoites, 161
3.5.3 Meio de hospedagem, 163
3.5.3.1 Localização da hospedagem, 165
3.5.3.1.1 Localização dos meios de hospedagem comercial (hotel/pousada), 169
3.5.3.1.1.1 Avaliação dos meios de hospedagem comercial da Pampulha (hotel/pousada), 170
3.5.3.1.2 Motivo de não ter utilizado hospedagem comercial (hotel/pousada) na Pampulha, 172
3.6 Gastos com a viagem e consumo turismo na Pampulha, 173
3.6.1 Gastos totais com a viagem, 173
3.6.2 Consumo turístico na Pampulha, 179
3.6.2.1 Visita aos atrativos turísticos da Pampulha, 182
3.6.2.2 Motivo de não ter ocorrido consumo turístico na Pampulha, 187
3.6.2.3 Consumo de serviços de ambulantes e barraqueiros, 187
3.6.2.3 Principais dificuldades encontradas pelo torcedor visitante na Pampulha e a avaliação do aspecto turístico da região, 189
3.6.2.4 Visita aos demais atrativos turísticos da cidade, 192
3.7 Principais barreiras que impedem o torcedor visitante frequentar mais o “novo” Mineirão, 193

CONSIDERAÇÕES FINAIS, 196

DOCUMENTOS, 203

RELATÓRIOS DE EXERCÍCIOS DOS PREFEITOS, 205

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 206

APÊNDICE A – TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO, 219
APÊNDICE B – FORMULÁRIO, 220

ANEXO A – DOCUMENTO DE APROVAÇÃO DO COEP, 223
ANEXO B – PAMPULHA – ATRATIVOS, EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS), 224

Referência

FERREIRA, Erick Alan Moreira. Futebol e turismo: possibilidades de aproximação entre o novo Mineirão e a Pampulha. 2015. 239 f. Dissertação (Mestrado em Lazer) - Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.