Futebol sem fronteiras

Autores

Caio Vilela

Subtítulo

retratos da bola ao redor do mundo

Editora

Panda Books

Cidade

São Paulo

Área de concentração

Fotografia

Páginas

120

Ano

2009

ISBN

8578880293

Sumário

África do Sul, 8

Antártida, 14

Argentina, 20

Brasil, 24

Camboja, 30

Chile, 34

China, 36

Egito, 42

Equador, 46

Espanha, 52

Estados Unidos, 58

Etiópia, 62

Fiji, 64

Iêmen, 68

Irã, 74

Mianmar, 78

Moçambique, 84

Nepal, 88

Nova Zelândia, 92

Peru, 96

Suazilândia, 100

Tailândia, 102

Tunísia, 106

Uruguai, 112

Venezuela, 114

Vietnã, 116

Sinopse

O futebol é o que é porque pode ser jogado em qualquer lugar – e com qualquer objeto servindo de bola. É assim no mundo inteiro. Durante cinco anos, o fotógrafo brasileiro Caio Vilela viajou pelos quatro cantos do planeta e registrou descompromissadas partidas em diferentes culturas. O resultado é este fantástico álbum, recheado de imagens inusitadas. Você verá cambojanos batendo bola ao lado de “elefantes-táxis”, meninos do Tibete jogando uma pelada literalmente sem roupa,  um grupo de pescadores brincando nas areias de Fiji, crianças budistas disputando a redonda em Mianmar, e até vietnamitas exibindo com orgulho a camisa da Seleção Brasileira. Inacreditáveis partidas na Muralha da China, aos pés das Pirâmides do Egito e até nos campos cobertos de gelo da Antártida. Fotos que mostram que a paixão pelo futebol é capaz de unir todos os povos.

“Que viagem! Caio Vilela foi passando. Passou por um, por dois, por três, por quatro, por cinco, por 26!, e marcou um golaço. Ao vivo e em cores. Vinte e seis partes diferentes do mundo! Tão diferentes como os Estados Unidos e a China, mas tão iguais quando em torno de uma bola de futebol. Pelas esquinas do mundo, o fotógrafo foi registrando cenas improváveis, por mais prováveis que sejam as cenas que só o futebol proporciona. Brasil e Argentina. Vietnã e Camboja. Nepal e Nova Zelândia. África do Sul, é claro, o país da próxima Copa, e Uruguai, o da primeira. Se é um perna de pau confesso com a bola nos pés, o artista vira craque com uma câmera nas mãos. E compartilha generosamente com você aquilo que registrou com raro talento e sensibilidade, cada página uma surpresa, cada cenário um gol de placa. Ora, por que perder tempo com palavras? As imagens, as imagens que vêm aí valem mais, muito mais que…”

Juca Kfouri

Referência

VILELA, Caio. Futebol sem fronteiras: retratos da bola ao redor do mundo. São Paulo: Panda Books, 2009.