Futebol

Autores

Sérgio Settani Giglio

Subtítulo

mitos, ídolos e heróis

Título original / alternativo

Football: myths, idols and heroes

Orientador

Sérgio Stucchi

Banca

Jocimar Daolio, Katia Rubio

Faculdade / Instituição

Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestrado em Educação Física

Ano

2007

Páginas

162

Cidade

Campinas

Resumo (pt)

Este trabalho procura traçar uma visão abrangente da complexidade e importância do ídolo e do herói no futebol, procurando compreender sua influência nas decisões de transformar sonhos de infância em profissão. Como auxílio para esta compreensão e análise, utilizou-se de instrumentos da Antropologia, com base em referenciais da etnografia, entre eles a entrevista intensiva e a análise de documentos. Foram entrevistadas onze (11) pessoas que compõem o cenário futebolístico, sendo nove jogadores profissionais e dois ex-jogadores profissionais. O referencial teórico foi traçado de modo a compreender a importância do futebol na vida do brasileiro, da sua chegada como uma atividade de lazer e como rapidamente transformou-se em um “habitus” local. Entendendo o futebol como um jogo absorvente, procurou-se definir mito e imaginário para entender algumas questões recorrentes ao futebol brasileiro. As questões discutidas foram: a figura de Charles Miller como o introdutor do futebol no Brasil, o ópio do povo, futebol como identidade nacional, o dom no futebol, o debate sobre o estilo de jogo, conhecido como futebol-arte e futebol-força, e as questões relativas ao sonho de ser jogador profissional (início, tentativa e concretização do sonho). Todos os tópicos são apresentados como um suporte para a discussão central da dissertação, sendo que mito e imaginário servem de base para a investigação sobre os ídolos e heróis no futebol, a importância deles no processo, as diferenças conceituais e a influência dessas figuras na construção do sonho de ser jogador profissional.
Palavras-Chaves: Futebol; Mito; Ídolos; Heróis.

Abstract

This study tries to delineate a broad view of the idol and hero importance and complexity in football, in order to comprehend its influence of transforming childhood dreams in profession. For its understanding and analysis, we used anthropology instruments based on ethnography referential, which were the intensive interview and the document analysis. Eleven (11) people who compose the football view were interviewed, nine professional players and two ex professional players. The theoretical referential sought to understand the football importance in Brazilian lives, from its arrival as a leisure activity, until it became a local ?habitus?. Considering football as an absorbent game, we tried to define myth and imaginary to comprehend the several questions about Brazilian football. The discussed issues were: the Charles Miller character as the football introducer in Brazil, the people?s opium, football as a national identity, the gift in football, the debate about game style, known as art football and strength football, and the matters related to the dream of being a professional player (beginning, attempt, and dream coming true). All the topics are presented as a support for the central discussion of the study, considering myth and imaginary as the basis for this investigation about idols and heroes in Brazilian football, their importance in the process, the conceptual differences and the influences of these characters on the creation of the dream of being a professional player.
Keywords: Football; Myth; Idols; Heroes.

 

Sumário

PRELEÇÃO, 15

AQUECIMENTO, 19

INTRODUÇÃO , 21

CAPÍTULO 1 – CAMPO DE JOGO
1.1 Método, 26
1.2 Do roteiro aos sujeitos, 28
1.3 Quem joga, 30

CAPÍTULO 2 – CHEGADA DO  FUTEBOL
2.1 “Um jogo absorvente”, 34
2.1.1 Vai começar o jogo, 36
2.1.2 O início de uma prática de lazer, 36
2.1.3 O futebol foi incorporado ao “habitus”, 39
2.1.4 O futebol conquista seu espaço, 42

CAPÍTULO 3 – MITO
3.1 O que é mito?, 46
3.2 O mito em Joseph Campbell, 47
3.3 O mito em Mircea Eliade, 48
3.4 Mito e cultura, 50
3.5 Mito, rito e futebol, 52
3.6 Futebol: uma tradição inventada, 55

CAPÍTULO 4 – MITO OU IMAGINÁRIO NO FUTEBOL?
4.1 Charles Miller, o introdutor?, 60

4.2 Ópio do povo, 63
4.2.1 Ópio do povo e futebol brasileiro, 64
4.2.2 Ópio do povo e outras nações, 67
4.2.3 O futebol não é o ópio do povo, 69

4.3 Identidade Nacional, 70
4.3.1 O futebol e a identidade nacional, 77
4.3.2 Os símbolos da brasilidade, 80

4.4 Dom, 81
4.4.1 “Eles jogam bola das 8h às 18h”, 84
4.4.2 O ídolo é aquele que possui o dom, 88
4.4.3 As contradições do dom: entre o natural e o desenvolvido, 93
4.4.4 A magia do dom, 95

4.5 Futebol-Arte ou Futebol-Força? A questão continua…, 100
4.5.1 Onde os estilos são construídos?, 101
4.5.2 Afinal, os estilos existem ou não?, 103

4.6 O sonho de ser jogador profissional, 107
4.6.1 O início no futebol, 108
4.6.2 A tentativa de profissionalização, 111
4.6.3 A concretização do sonho, 113

CAPÍTULO 5 – SOBRE ÍDOLOS E HERÓIS
5.1 A importância do ídolo, 118
5.2 A diferença entre ser ídolo e herói, 122
5.3 O ídolo como estímulo, 129
5.4 A influência do ídolo na decisão de ser jogador profissional, 135
5.5 A imagem do ídolo, 140

CAPÍTULO 6 – CONSIDERAÇÕES FINAIS

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 149

APÊNDICE, 159

Referência

GIGLIO, Sérgio Settani. Futebol: mitos, ídolos e heróis. 2007. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

Futebol: mitos, ídolos e heróis – Dissertação de Sérgio Settani Giglio