Infinitos lutos

Autores

Roberto Passeri

Subtítulo

de histórias não contadas de Chapecó

Editora

Editora Ludopédio

Cidade

São Paulo

Páginas

140

Ano

2020

ISBN

9786599122453

Sumário

Prefácio, 15

Introdução, 19

1. Sobre batatas, pesadelos e missões, 25

2. O dia mais feliz, 35

3. A volta dos que não foram, 39

4. De onde vem o futuro?, 43

5. Formas e formas de perder, 51

6. O melhor lanche da cidade, 55

7. A mística Arena Condá, 61

8. Amálgama, 69

9. Irmãos do rádio, 75

10. Setenta e um, 83

11. Experiência de quase-morte, 89

12. “Que tal morar aqui?”, 93

13. Futebol e algo mais, 95

14. Tire sua dor do caminho, 99

15. Querido maldito diário, 109

16. Las cartas, 113

17. Como era bom amar, 117

18. Caixa-preta, 123

19. O fantástico mundo da inocência, 129

20. Acabado, 133

21. Quantas vidas nós vivemos?, 137

Anexo
As cartas, 145

Sinopse

Há quatro anos, mais precisamente em 29 de novembro de 2016, recebíamos a notícia da queda do avião da Chapecoense em solo colombiano. Setenta e um mortos. Um jovem jornalista, impactado pelo episódio, largou tudo e rumou à cidade catarinense para viver (por sete meses!) o que deveria ser vivido: o luto de quem ficou.

O resultado é o livro INFINITOS LUTOS – De histórias não contadas de Chapecó, de Roberto Passeri. Uma viagem aos sentimentos dos que seguem, cada um à sua maneira, tentando entender, acomodar ou mesmo aceitar. Um caleidoscópio de 21 capítulos com diferentes linguagens e tons, que de certa forma representam as faces quase infinitas do luto e de cada um de seus estágios. É sobre perdas, sentimentos e lembranças. Ainda que a maior parte do livro seja de crônicas, é possível encontrar poesia, carta, transcrições de entrevistas e material jornalístico inédito.

Com muito orgulho, convidamos todos a conhecerem, a lerem e divulgarem este (s) novo (s) olhar (es) sobre o que envolveu a Chape. Fechamos esta parte inicial do release, então, com trechos dos textos de Felipe Lobo e João Albuquerque, jornalistas que sentem o futebol lá no fundo e compartilham conosco suas impressões:

O susto, o medo, a raiva, a esperança, a união, a solidariedade, a luta, o lado feminino do luto… tudo está aqui. Com sua entrega corajosa, precisa e delicada, Passeri nos dá uma aula de pesquisa jornalística e, indiscutivelmente, nos torna mais humanos!

– João Carlos Albuquerque, o Canalha!

 

Prepare-se para conhecer um pouco mais sobre a cidade de Chapecó, o clube e se emocionar com as histórias (…). Te aconselho a deixar um lenço por perto, só por precaução. Você está prestes a mergulhar em um mar de humanidade com uma sensibilidade enorme de quem te conta.

– Felipe Lobo, da Trivela

Observações

Sobre o autor:

Roberto Passeri é jornalista e escritor, carioca dos arredores do Maracanã – ali descobriu cedo que o futebol é bem mais do que um jogo. Escreveu para os canais SporTV, Premiere, Universal, Syfy, Multishow e BIS. Em 2017, mudou-se para Chapecó e mergulhou nos escombros afetivos da maior tragédia da história do esporte brasileiro. Nos anos seguintes, auto-exilado em Portugal, concluiu o curso de formação de treinadores da UEFA e também a edição deste livro. Atualmente, dedica-se à escrita de contos, crônicas e roteiros.

Referência

PASSERI, Roberto. Infinitos lutos: de histórias não contadas de Chapecó. São Paulo: Editora Ludopédio, 2020.