Julgamento de lances futebolísticos na perspectiva do árbitro de futebol de campo

Autores

Santana Maria Silva de Moura

Orientador

Antonio Roazzi

Banca

Luciano Rogério de Lemos Meira, Afonso Antonio Machado, Bruno Campello de Souza

Faculdade / Instituição

Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Mestre em Psicologia Cognitiva

Ano

2006

Páginas

149

Cidade

Recife

Resumo (pt)

Neste estudo pretendeu-se verificar o raciocínio moral implicado no julgamento de lances futebolísticos, na perspectiva do árbitro de futebol de campo. Para compreender e buscar explicações sobre ato de julgar tomou-se como referencial o construto teórico de Jean Piaget, referente ao juízo moral, incluindo o conceito de justiça que tem início com a noção de justiça imanente, evoluindo para a justiça retributiva e, finalmente, conquistando seu estágio mais refinado, a justiça distributiva, cujo estabelecimento reflete a mudança de um tipo de moral heterônoma para uma autônoma. Por outro lado, levou-se também em consideração a teoria de Lawrence Kohlberg, que aprofundou os estudos de Piaget, preconizando a existência de três níveis no desenvolvimento moral (pré-convencional, convencional e pós-convencional), desdobrados em seis estágios, que ele considerou universais. A amostra foi composta por 91 respondentes do sexo masculino, com idade média de 34 anos, sendo 61 árbitros pertencentes a duas Federações de Futebol sediadas no Nordeste brasileiro, e 30 torcedores de clubes também nordestinos, com os quais o pensamento dos árbitros foi contrastado. Para dar acesso ao fenômeno pretendido, os participantes analisaram, julgaram e responderam por escrito a oito situações hipotéticas, sendo quatro dilemáticas e quatro não dilemáticas, ocorridas no ambiente do futebol e fora dele. Os resultados indicaram que árbitros e torcedores apresentavam mais semelhanças do que diferenças, quanto aos critérios utilizados no julgamento, à discordância sobre decisões que representavam injustiça e quanto à coerência entre o julgamento que faziam sobre as ações morais dos outros e as suas próprias. À luz dos estudos de Kohlberg, no julgamento de situações que denotavam lances futebolísticos, predominou o raciocínio moral convencional, com aplicação da justiça distributiva do estágio 4. Sob a ótica da teoria de Piaget, verificou-se que o raciocínio moral autônomo estava implicado no julgamento dos referidos lances, com predominância da justiça distributiva igualitária nas situações futebolísticas não dilemáticas e da justiça distributiva eqüitativa nas futebolísticas dilemáticas. A pesquisa colaborou para ampliação dos conhecimentos da Psicologia do Desenvolvimento Moral do adulto, objetivando instigar o debate teórico sobre o tema, na área da Psicologia Cognitiva e Psicologia do Esporte, esperando-se, por outro lado, que a difusão destes conhecimentos, na comunidade científica ou fora dela, possa ter reflexos na prática da arbitragem do futebol, tendo em vista uma maior conscientização dos simpatizantes e dos próprios árbitros, sobre a relevância de seu trabalho dentro de campo.

Palavras-chaves: árbitro de futebol; julgamento moral; raciocínio moral, justiça.

Abstract

The present study aims to verify moral reasoning as it happens in the judgement of soccer plays in the perspective of the referee. In order to understand and explain the act of moral judgement, the theoretical constructs of Jean Piaget regarding the matter were adopted, including the concept of immanent justice, evolving to retributional justice and, finally, achieving its more refined stage, that is, distributive justice, which, when established, reflects the change from an heteronymous to an autonomous moral. On the other hand, there was also consideration of theory of Lawrence Kohlberg, who elaborated upon the initial studies from Piaget and predicted the existence of three levels of moral developments (pre-conventional, conventional, and post-conventional) which unfold into six stages that he considered to be universal. The sample was composed of 91 male subjects, average age of 34 years, being 61 referees belonging two soccer federations in the Brazilian Northeast, and 30 northeastern males soccer club supporters, with whom the referee’s thinking was compared. In order to give access to the intended phenomenon, the participants analyzed, judged and responded in written form to eight distinct hypothetical situations, four of them being dilemmatic and remaining four being non-dilemmatic, them b, half of which occurring within a soccer context and half in other contexts. The results indicate that referees and supporters presented more similarities than actual differences between themselves as to the criteria used in judgment, disagreement with those decisions depicted in the situations that were unjust, and as to coherence between the moral judgment of the actions of others and of their own. In light of the studies by Kohlberg, in the situations regarding soccer plays there was a predominance of conventional moral reasoning, with the implementation of a stage four distributive justice. Under the perspective of Piaget, it was observed that autonomous moral reasoning was implied in the judgement of the plays with prevalence of the equalitarian distributive justice in non-dilemmatic soccer situations and of the equitative distributive in the dilemmatic soccer contexts. The study contributed to expand the existent knowledge regarding the Psychology of Moral Development of the adult, while attempting to instigate the theoretical debate about the topic in fields of Cognitive Psychology and Sports Psychology, in the hopes that the dissemination of this type of knowledge, within the scientific community or outside of it, might have some impacts on the professional practices of soccer referees regarding a greater awareness of both soccer fans and the referees themselves as to the relevance of the work of the later.

Keywords: soccer referee; moral judgement; moral reasoning; justice.

Sumário

1 – INTRODUÇÃO, 17
1.1 – O esporte e o futebol, 20
1.2 – O árbitro, 24
1.3 – Fundamentação teórica, 32
1.3.1 – Desenvolvimento moral – revisão da literatura, 35
1.3.2 – O julgamento moral, 47
1.3.2.1 – O julgamento moral e justiça na abordagem piagetiana, 49
1.3.2.2 – O julgamento moral e justiça na abordagem de Kohlberg, 53
1.3.3 – O erro de julgamento do árbitro e sua repercussão, 58
1.3.4 – Estudos sobre moralidade e justiça, 61
1.4 – Justificativa, 65
1.5 – Objetivos, 67
1.5.1 – Geral, 67
1.5.2 – Objetivos específicos, 67
1.6 – Hipóteses, 68

2 – MÉTODO, 69
2.1 – Participantes, 69
2.2 – Material, 69
2.2.1 – Situações propostas, 70
2.3 – Procedimentos, 75

3 – RESULTADOS, 78
3.1 – Critérios de julgamento, 78
3.2 – Discordância e coerência nas situações não dilemáticas, 85
3.3 – Comparação entre árbitros e torcedores nas situações dilemáticas, 89
3.4 – Tipos de justiça encontrados segundo Kohlberg, 93
3.5 – Tipos de justiça encontrados segundo Piaget, 97
3.6 – Outros resultados, 101

4 – DISCUSSÃO DOS RESULTADOS, 102
4.1 – Hierarquia dos critérios, 103
4.2 – Discordância e coerência, 106
4.3 – Diferenças entre árbitros e torcedores nas ações recomendadas, 108
4.4 – Incidência da justiça de Kohlberg no julgamento, 112
4.5 – Incidência da justiça de Piaget no julgamento, 116
4.6 – Correlação entre o índice de justiça de Kohlberg e Piaget, 119

5 – CONCLUSÕES,122

Referência

MOURA, Santana Maria Silva de. Julgamento de lances futebolísticos na perspectiva do árbitro de futebol de campo. 2006. 149 f. Dissertação (Mestre em Psicologia Cognitiva) - Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006.