Marcas da futebolização na cultura e na educação brasileira

Autores

Rodrigo Koch

Orientador

Marisa Vorraber Costa

Faculdade / Instituição

Programa de Pós Graduação em Educação / Universidade Luterana do Brasil – ULBRA

Tipo

Dissertação

Área de concentração

Educação

Ano

2012

Páginas

213

Cidade

Canoas

Resumo (pt)

Esta dissertação de mestrado partiu de inquietações do pesquisador relativamente à forte presença do futebol na escola e à suposição de uma certa futebolização da cultura, expressando-se nos espaços cotidianos da vida. O objetivo é mostrar e discutir a futebolização como um processo que atravessa a cultura brasileira contemporânea com repercussões no currículo, na escola, na vida e nas identidades de crianças e jovens que as frequentam. Supõe-se que estejam em operação pedagogias da futebolização. Dialogando com pesquisadores portugueses, latino-americanos, britânicos e brasileiros (João Nuno Coelho, Pablo Alabarces, Sérgio Fiengo, Rafael Bayce, Luis Antezana, Franklin Foer, Simon Kuper, Stefan Szymanski, Hilário Franco Júnior, Victor Andrade de Melo, Ricardo Santos, e Simoni Guedes) apresenta-se um panorama da entrada e presença do futebol no Brasil assim como das discussões sobre a futebolização da cultura contemporânea. Recorreu-se também ao referencial teórico de autores que tem subsidiado os Estudos Culturais, dentre eles Stuart Hall e Zygmunt Bauman, para caracterizar identidade, globalização, condição pós-moderna e consumo. Com observações, registros de imagens, entrevistas e conversas informais em duas escolas (Colégio Marista Rosário e Colégio Santa Luzia) da região metropolitana de Porto Alegre, foram problematizadas as marcas pedagógicas do futebol, construídas nos mais variados contextos como mídia, família, grupos e comunidades, entre outros, e que repercutem no espaço escolar. A análise procura mostrar o que a futebolização produz na escola e no currículo, apontando para diversas manifestações como roupas, acessórios e comportamentos, entre outras. Crianças e jovens adquirem estas marcas futebolizadas já no berço, perdurando por toda vida, ainda que, como aficionados da modalidade, apresentem uma condição identitária líquida. O futebol pós-moderno, extremamente midiatizado e espetacularizado, produz constantemente novas identidades. O estudo indica incontáveis efeitos da futebolização, principalmente no Brasil, um país com fortes vínculos e marcas desta modalidade.

Abstract

This Master’s Thesis is based on the researcher’s questions concerning the strong presence of football in the school and the supposition for a particular footballisation of culture, expressed in the daily spaces of life. The aim was to introduce and discuss footballisation as a process crossing the Brazilian contemporary culture, with effects on the curriculum, school, life and children’s and young identities. We suppose that footballisation pedagogies work. Speaking with Portuguese, Latin American, British, and Brazilian researchers (João Nuno Coelho, Pablo Alabarces, Sérgio Fiengo, Rafael Bayce, Luis Antezana, Franklin Foer, Simon Kuper, Stefan Szymanski, Hilário Franco Júnior, Victor Andrade de Melo, Ricardo Santos, and Simoni Guedes), we have provided a panorama for the football introduction and presence in Brazil, as well as discussions about the footballisation of the contemporary culture. We have also drawn on writers’ theoretical referential contributing for the Cultural Studies, such as Stuart Hall and Zygmunt Bauman, to characterise identity, globalisation, postmodern condition and consumption. With notes, images, interviews and talks in two schools in the large Porto Alegre, football pedagogic marks were problematised, those which were constructed in varied contexts such as media, family, groups and communities, and which have effects in the school space. The analysis seeks to show the effect footballisation has in the school and curriculum, pointing out several manifestations such as clothes, accessory, and behaviours. Kids and young people own these footballised marks from the cradle, throughout their whole life, although as enthusiast of the modality, they have a liquid identity condition. The postmodern spectacularised media football constantly makes new identities. The study shows uncountable effects of footballisation, chiefly in Brazil, a country with strong links and marks of this modality.

Sumário

  1. POR QUE O FUTEBOL?, 11
  1. FUTEBOL E TRANSFORMAÇÕES SÓCIO-POLÍTICO-CULTURAIS NO

BRASIL, 16

2.1 A CENTRALIDADE DO FUTEBOL NO CULTURAL BRASILEIRO, 16

2.1.1 O circuito da representação cultural do Brasil, 17

2.1.2 Os ‘outros’ do espetáculo global, 25

2.2 DE VIRADA É MAIS GOSTOSO?, 32

2.2.1 Primeira Virada: popularização do futebol e a entrada dos negros na

modalidade, 34

2.2.2 Transformações e deslocamentos no cenário sócio-político-esportivo

brasileiro, 39

2.2.3 O futebol como instrumento da ditadura, 43

2.2.4 Segunda Virada: globalização e mercantilização do futebol brasileiro, 47

  1. A FUTEBOLIZAÇÃO DA CULTURA, 53

3.1 VAMOS FUTEBOLIZAR?, 53

3.1.1 Hibridação +Globalização + Espetáculo + Linguagem + Futebol =

Futebolização, 55

3.1.2 Um mal que pode acabar com a identidade local das sociedades?, 63

3.1.3 Uma outra visão sobre a futebolização, 65

3.1.4 Teses e dissertações sobre o futebol e suas implicações sociais, 68

3.1.5 Algumas considerações sobre a futebolização, 70

3.2 FUTEBOL, IDENTIDADE E PÓS-MODERNIDADE, 71

3.2.1 Pós-modernidade e futebol, 72

3.2.2 O processo de futebolização na cultura contemporânea, 75

3.2.3 Identidades no futebol pós-moderno, 76

3.2.4 O jogador de futebol pós-moderno,  81

3.3 NASCE MAIS UM CAMPEÃO… DE CONSUMO!, 87

3.3.1 Infância e juventude na pós-modernidade, 89

3.3.2 Mídia, escola e consumo, 92

3.3.3 A futebolização da cultura e suas repercussões no cotidiano das crianças e

jovens, 97

  1. NOTAS SOBRE O CAMINHO INVESTIGATIVO, 108
  1. MARCAS DA FUTEBOLIZAÇÃO, 112

5.1 O LUGAR DO FUTEBOL NA ESCOLA, 112

5.1.1 Escola como espaço da infância e da juventude, 114

5.1.2 Futebol, escola e educação física, 117

5.1.3 As evidências da futebolização do currículo, 124

5.2 EVIDÊNCIAS DA FUTEBOLIZAÇÃO NA MÍDIA, 137

5.2.1 Copa de 1970: das propagandas político-militares para as propagandas

comerciais, 139

5.2.2 Novas convocações na contemporaneidade, 142

5.3 COMPORTAMENTOS COLETIVOS FUTEBOLIZADOS, 152

5.3.1 Vínculo com o grupo, 155

5.3.2 Novas configurações dos jovens torcedores e os times de futebol

‘imaginados’, 161

5.4 O FUTEBOL E O CUIDADO DE SI INDIVIDUAL, 168

5.4.1 Assumindo a identidade de ídolos, 170

5.4.2 Elas também ‘batem um bolão’: o gênero feminino, 176

5.5 AS IDENTIDADES LÍQUIDAS DA FUTEBOLIZAÇÃO, 181

5.5.1 Um mundo de diversidades e policultural, 185

  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS, 189

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS, 196

ANEXOS, 208

Referência

KOCH, Rodrigo. Marcas da futebolização na cultura e na educação brasileira. 2012. 213 f. Dissertação (Educação) - Programa de Pós Graduação em Educação / Universidade Luterana do Brasil – ULBRA, Canoas, 2012.