Mr. Reader no Brasil: processos de hibridismo cultural em torno da Copa do Mundo de 1950

Autores

Raphael Alberti Nóbrega de Oliveira

Periódico / Revista

Mosaico

Cidade

Rio de Janeiro

Volume

v. 9

Número

n. 14

Páginas

p. 232-245

Ano

2018

ISSN

2176-8943

Resumo (pt)

Artigo que retrata a passagem do árbitro de futebol George Reader pelo Brasil entre 1948 e 1950 e os processos de hibridização cultural que ocorreu ao longo desse período da (na) cultura futebolística sul-americana. A análise destas trocas culturais tem como contexto histórico os reflexos do fracasso da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1938, passando pela vinda de árbitros ingleses para apitar jogos nos campos de futebol do Brasil no final da década de 1940 e termina com a arbitragem de George Reader na Copa do Mundo de 1950. Os intercâmbios culturais no estilo de jogo e na forma de interpretar as regras futebolísticas afetaram gradativamente tanto os juízes de futebol britânicos como os atletas brasileiros gerando um debate jornalístico intenso na crônica esportiva carioca.

Palavras-chave: hibridismo; futebol; cultura.

Abstract

This article portrays the passage of football referee George Reader by Brazil between 1948 and 1950 and the processes of cultural hybridization that occurred throughout this period of the South American football culture. The analysis of these cultural exchanges has as a historical context the reflexes of the failure of the Brazilian team in the 1938 World Cup, passing by the English referees to whistle games on the soccer fields of Brazil in the late 1940s and ends with the arbitration of George Reader at the 1950 World Cup. Cultural exchanges in the style of play and in the way of interpreting football rules have gradually affected both British football judges and Brazilian athletes generating an intense journalistic discussion in the sporting chronicle of Rio de Janeiro.

Key words: hybridism; football; culture.

Referência

OLIVEIRA, Raphael Alberti Nóbrega de. Mr. Reader no Brasil: processos de hibridismo cultural em torno da Copa do Mundo de 1950. Mosaico. Rio de Janeiro, v. 9, n. 14, p. 232-245, 2018.