O Brasil no horizonte dos megaeventos esportivos de 2014 e 2016: sua cara, seus sócios e seus negócios

Autores

Arlei Sander Damo, Ruben George Oliven

Periódico / Revista

Horizontes Antropológicos

Cidade

Porto Alegre

Volume

v.19

Número

n.40

Páginas

p.19-63

Ano

2013

Tema

Megaeventos

Área de concentração

Antropologia

ISSN

01047183

Resumo (pt)

Este artigo tem como objeto os significados da realização, no Brasil, da Copa do Mundo de Futebol de 2014 e das Olimpíadas de 2016. Dada a extensão desses megaeventos, seus signifi cados são diversifi cados e controversos. Como não é possível dar conta de todas as possibilidades analíticas que eles nos oferecem, focamos nosso olhar em dois aspectos principais. Um deles trata das representações de brasilidade atualizadas por ocasião dos cerimoniais ofi ciais, e o fato tomado como referência é o anúncio do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016. O outro aspecto é mais difuso e fragmentado, atinente às controvérsias em torno dos usos de recursos públicos empenhados pelo Estado na organização da Copa de 2014. Nesse caso nos valemos de fontes diversas, incluindo-se narrativas oficiais, relatórios de gastos, postagens jornalísticas, entre outras. Nosso objetivo não é promover uma síntese acerca do signifi cado dos megaeventos para os brasileiros, mas mostrar como o país vive um momento singular, de enunciação, justifi cação e tensionamento da própria identidade nacional e do Estado.

Abstract

This article analyzes the meanings for Brazil of hosting the World Soccer Cup of 2014 and the Olympic Games of 2016. Considering the dimensions of these two mega events, their meanings are diverse and controversial. Since it is not possible to come to terms with all the analytic possibilities they offer us, we have chosen to focus our gaze on two main aspects. One of them deals with the representations of “Brazilianess” which are updated brought up in offi cial ceremonies and the announcement of Rio de Janeiro as the seat of the Olympic Games is taken as a reference of this process. The other aspect is more diffuse and fragmented and has to do with the controversies involving the use of public resources by the State for the organization of the World Cup of 2014. In this case we used different sources of information, including, among others, offi cial narratives, accounts of expenses, and internet media postings. Our objective is not to provide a synthesis of the meanings of mega events for Brazilians but to show how the country experiences a singular moment of enunciation, justifi cation and tension of its national identity and of the State.

Observações

Clique no arquivo para fazer download o arquivo ou entre na Revista Horizontes Antropológicos.

Referência

DAMO, Arlei Sander; OLIVEN, Ruben George. O Brasil no horizonte dos megaeventos esportivos de 2014 e 2016: sua cara, seus sócios e seus negócios. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, v.19, n.40, p.19-63, 2013.